SóProvas



Prova CESPE / CEBRASPE - 2021 - CODEVASF - Analista em Desenvolvimento Regional - Engenharia Civil


ID
5028343
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

       Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso. Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    

     Os limites do crescimento marcam uma espécie de escassez, embora no mercado não se tornem imediatamente notados como tais. A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida, comparável a um parafuso de rosca que se aperta sempre mais.

     

       O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.


Thomas Kesselring. Depois de nós, o dilúvio. A dimensão do meio ambiente. In: Ética, política e desenvolvimento humano: a justiça na era da globalização. Benno Dischinger (Trad.). Caxias do Sul, RS: Educs, 2007, p. 222 (com adaptações).

Em relação aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item a seguir.


Infere-se do texto que, em relação às mudanças climáticas, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados.

Alternativas
Comentários
  • Gab. Preliminar: C | Gab. Definitivo: C

    "O professor José Maria, do Direção Concursos, viu possibilidade de recurso nessa questão. Transcrevo aqui seu comentário:

    O texto dá a entender que, se nada for feito, as anomalias climáticas – clicones, períodos de seca e trombas d’água diluvianas – continuarão. Isso fica evidenciado no primeiro parágrafo, quando se lê: “… seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso”. Isso ratifica a ideia de que um cenário de anomalias climáticas é tido como esperado.

    Além disso, se nada for feito, a velocidade com que ocorrem as mudanças climáticas exigirá bastante da capacidade adaptativa de muitas espécies, o que sinaliza para o risco de extinção destas. Isso está evidente no último parágrafo. Podemos dizer, assim, que se trata de algo já esperado.

    Dessa forma, é precipitado dizer que não há como prever, de forma concreta, cenários. Existe, como dito, o receio de intensificação das anomalias climáticas e a consequente pressão para adaptação de muitas espécies ao meio.

    Dizer que não há como definir cenários esperados é simplesmente afirmar que não há desenho plausível algum de cenário futuro, o que contradiz todas as previsões e ações já necessárias para a concretização destas descritas ao longo do texto.

    Em virtude do exposto, penso que o gabarito deveria ser alterado para ERRADO."

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • Creio que o gabarito seja correto mesmo. O trecho que utilizei para embasar meu raciocínio foi o primeiro período do último parágrafo.

    "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    E, ao longo do parágrafo, o autor traz mais argumentos sobre a imprevisibilidade das consequências dessas mudanças.

    Qualquer erro, avisem-me, por gentileza!

  •  O limite do demasiado(Máximo) é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Esse trecho com essa interpretação me fez chegar ao gabarito.

  • "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos" (dá o gabarito como correto). "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. " (ratifica o gabarito com um exemplo).

    Não se pode definir, ao certo, quais cenários devem ser esperados, pois a ideia é de que cada meio pode reagir de uma maneira diferente.

    Correto.

  • 1º PONTO: terceiro parágrafo: "Assim como [..] aquecimento da atmosfera."

    Isso nada tem a ver com a indefinição dos cenários, e sim como cada um vai reagir ou sofrer em decorrência das mudanças climáticas, acho que a analogia deixa bem claro isso.

    2º PONTO: último parágrafo: "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. "

    Aqui se refere à capacidade de expansão das atividades humanas e a não definição de um limite claro de até onde podemos ir a ponto de não avacalharmos o meio ambiente. Ou seja, por acharmos ou termos a falsa impressão que temos tudo sempre em muita abundância e fartura no meio ambiente, não impomos limites às nossas atividade. A segunda parte "e também.." só esclarece que não há possibilidade de estabelecermos uma linha limitadora, porque, para isso, precisaríamos de testes, experimentos, bases empíricas, o que não é possível diretamente, segundo o texto

    Sinceramente, ou a resposta está no primeiro parágrafo, quando se diz acerca das anomalias meteorológicas, ou houve uma extrapolação textual. De qualquer maneira, o gabarito seria Errado.

    Entretanto, quem sou eu na cesta básica? Nem o fubá.

  • 1º PONTO: terceiro parágrafo: "Assim como [..] aquecimento da atmosfera."

    Isso nada tem a ver com a indefinição dos cenários, e sim como cada um vai reagir ou sofrer em decorrência das mudanças climáticas, acho que a analogia deixa bem claro isso.

    2º PONTO: último parágrafo: "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. "

    Aqui se refere à capacidade de expansão das atividades humanas e a não definição de um limite claro de até onde podemos ir a ponto de não avacalharmos o meio ambiente. Ou seja, por acharmos ou termos a falsa impressão que temos tudo sempre em muita abundância e fartura no meio ambiente, não impomos limites às nossas atividade. A segunda parte "e também.." só esclarece que não há possibilidade de estabelecermos uma linha limitadora, porque, para isso, precisaríamos de testes, experimentos, bases empíricas, o que não é possível diretamente, segundo o texto

    Sinceramente, ou a resposta está no primeiro parágrafo, quando se diz acerca das anomalias meteorológicas, ou houve uma extrapolação textual. De qualquer maneira, o gabarito seria Errado.

    Entretanto, quem sou eu na cesta básica? Nem o fubá.

  • Marquei como errado, a questão fala que não se pode definir ao certo "os resultados esperados" dando a entender que não sabemos ao certo o que ocorrerá...

    Ora, o próprio texto mostra alguns resultados dessas mudanças climáticas...

    -->aumento de anomalias meteorológicas

    • ciclones
    • períodos de seca
    • e trombas-d’água diluvianas

    -->exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

  • CERTO

    Considerei o seguinte trecho para a marcação do gabarito:

    "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

  • [...]Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera[...]

    cada parte do planeta reage de uma forma, não dá para afirmar qual vai ser o resultado final no globo.

  • Errei consciente.

    Ocorre que o trecho: "Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies."

    Inicia-se pela conjunção condicional "SE", logo temos aqui uma situação previsível, ao contrario do que afirma o comando da questão, qual seja, "não se pode definir ao certo"

    Mas quem sou eu frente ao SUPREMO TRIBUNAL CESPE...

  • Infere-se do texto que, em relação às mudanças climáticas, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados.

    O texto não fala algo concreto, ele aponta uma série de fatos que TALVEZ PODEM ACONTECER se o aquecimento global não for reduzido.

    Gabarito: correeeeeetttttooooooo...

  • CERTO.

    Atenção às orações Concessivas!

    "Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta."

    -

    Ou seja, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados, mesmo com as grandes probabilidades.

    _______

    Bons Estudos.

    1. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta
    2. O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.
    3. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    1. sou péssimo em questões desse tipo, quer um conselho?

    imprima a prova inteira de português e faça ela marcando com a caneta

    para mim deu certo

    das 20 questões errei só 1

    que deus abençoes vocês...

    força rapaziada, vai dar certo, quando não sei, mas vai...

  • Acredito que o enunciado é bem categórico quanto a expectativa.

    "(...) não se pode definir "ao certo" (...)"

    (...) realmente devem (...)

    Me embasei no último período do último parágrafo: "se ela (a velocidade das mudanças climáticas) não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies."

    Esse "poderá" está sendo empregado no sentido de possibilidade e não de certeza.

  • Típica questão CESPE que pode ser tanto certa quanto errada, a depender do avaliador.

  • Essa ficou foi em branco. Não sou louco. Preparar-se por anos e depender da boa vontade do cara que faz a questão é osso.

  • Errei a questão, mas por pura falta de atenção. Na verdade, o texto é categórico em não afirmar quase nada. Apenas levanta hipóteses. Porém, por ser o texto grande, tentar voltar para lê-lo novamente, não é tão simples assim. Mas a questão está coerente com o texto, bem como a afirmativa.

  • Na minha humilde opnião, acho que o gabarito vai manter C , geralmente questões de interpretação é bem raro ser anulada.

    Meu gabarito é C, pois o autor afirma no texto

    Os limites do crescimento marcam uma espécie de escassez, embora no mercado não se tornem imediatamente notados como tais.

       O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. 

    Com essas duas frases o autor da a sua opnião e usa comparações no texto como está sendo, nao o que podemos esperar. No pensamento do autor as consequências climáticas são coisas que não podemos imaginar.

    Nesse tipo de questão temos que entrar na onda do autor ao inves de discurtir com ele, deixa ele jogar a onda e bora surfar....

  • Aquecimento global não existe, não nesses termos, então é óbvio que não dá pra determinar seus cenários.

  • O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.

    gabarito preliminar CERTO

  •  Depois de nós, o dilúvio. A dimensão do meio ambiente (gabarito errado está sendo esperado

    um diluvio)

  • Acertei com este argumento do texto "Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies."

    Ou seja, caso não for desacelerada de forma competente/plena, poderá haver um exagero em relação à adaptação de muitas espécies.

    Pessoal, foi meu ponto de vista. Não estou dizendo que está certo, apenas estou compartilhando meu entendimento.

  • Gabarito Oficial: CERTO

    A banca deu como gabarito CERTO, mas humildemente discordo. Eis minhas aargumentações:

    O texto dá a entender que, se nada for feito, as anomalias climáticas – clicones, períodos de seca e trombas d’água diluvianas – continuarão. Isso fica evidenciado no primeiro parágrafo, quando se lê: “… seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso”. Isso ratifica a ideia de que um cenário de anomalias climáticas é tido como esperado.

    Além disso, se nada for feito, a velocidade com que ocorrem as mudanças climáticas exigirá bastante da capacidade adaptativa de muitas espécies, o que sinaliza para o risco de extinção destas. Isso está evidente no último parágrafo. Podemos dizer, assim, que se trata de algo já esperado.

    Dessa forma, é precipitado dizer que não há como prever, de forma concreta, cenários. Existe, como dito, o receio de intensificação das anomalias climáticas e a consequente pressão para adaptação de muitas espécies ao meio.

    Dizer que não há como definir cenários esperados é simplesmente afirmar que não há desenho plausível algum de cenário futuro, o que contradiz todas as previsões e ações já necessárias para a concretização destas descritas ao longo do texto.

    Em virtude do exposto, penso que o gabarito deveria ser alterado para ERRADO.

  • A chave da questão é saber o que é demasiado, no contexto...

    Demasiado: Que ultrapassa o natural ou o ordinário; excessivo, exagerado.

    ''O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente...''

  • CERTO

    Infere-se: vai além daquilo que está escrito.

    ***O enunciado da questão pode ser comprovado por alguns trechos do texto, como:

    " O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    "...a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

    ***em razão desses trechos, é possível inferir que não se pode determinar ao certo qual cenário se deve esperar.

  • a questao pede "ao certo " e nao possibilidade

    por isso a questao : certa

  • Eu levei em consideração a seguinte oração: "Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado."

    Se ciclones e secas não são cenários, não sei mais o que pensar sobre interpretar texto no Brasil. Esse texto é de 2007 e sim, vemos cenários acontecendo. Interpretar texto deveria ser algo legal, mas a cada dia mais chato no Brasil.

  • INFERÊNCIA = RETIRAR A IDEIA DE CADA TÓPICO FRASAL

    CONCENTRAR COM MAIOR POTÊNCIAL NAS IDEIAS .

    INFERIR = ALÉM DO QUE ESTAR ESCRITO

    GABARITO CERTO!

  • Na minha opnião gabarito ERRADO, pois já possui sinais como: " ciclones, periodos de seca e trombas-d água diluvianas. Como n pode definir ao certo? Tá louco...

  • Não concordo com esse gabarito, aliás, essas questões de "infere-se" é prato cheio para o subjetivo total. Ora, existem vários indícios que já apontam os cenários esperados: desastres naturais de toda ordem.

  • ERRADA

    Infere-se do texto que, em relação às mudanças climáticas, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados.

    • o cenário de aquecimento é esperado e óbvio, de acordo com o texto todo. Não se pode precisar a quantidade de calor.
    • No texto, "Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.", "ela" se refere a mudança climática, como uma cenário obvio e absoluto que precisa ser detido.
  • Pelo teor do 3º paragráfo do texto, "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos", tem um sentido de dúvida, incerto sobre o futuro das mudanças climáticas, o que ao meu ver, corresponde com o enunciado do item.

    GABARITO: CERTO

  • Apesar de existir cenários relatados no texto, isso não da certeza de um cenário futuro, visto que ele fala no seguinte trecho:

    "...a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

    Ou seja, podem reagir de uma forma a se adaptar ao aquecimento e acabar não acontecendo nada, assim como podem não se adaptar.

    A questão tem em uma redação "ao certo" o que indica um certeza, algo que não se pode ser concluído já que não há nenhum dado concreto apresentado pelo texto, apenas suposições e análises preditivas baseado no cenário atual

  • Último parágrafo: "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    GAB: CERTO

  • . Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    __ mudou dos anos 90 ate hoje.

    __mas em o texto em nada diz o que vai acontecer a partir de hj

    "... em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    __ não da pra definir cenário, pois em cada bioma tem reações diferentes

  • O autor trabalha com a ideia de que, no futuro, não se pode precisar o que será causado pelos efeitos do aquecimento global.

    GAB - Certo

  • O autor trabalha com a ideia de que, no futuro, não se pode precisar o que será causado pelos efeitos do aquecimento global.

    GAB - Certo

  • "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos..."

  • PARA JUSTIFICAR A RESPOSTA DA QUESTÃO: "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

  • demasiado : (adjetivo) que ultrapassa o natural ou o ordinário.

    '' O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.''

    ''poderá( não se sabe ao certo) exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.''

    GABARITO CERTO

  • Inicio do Ultimo Paragrafo

    '' O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    GAB: CERTO

  • Questão subjetiva.

  • Questão subjetiva.

  • "mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida" essa parte me confundiu

  • pra mim questão coringa, aqui no qconcurso todo mundo é "chabixão" na hora da prova queria ver quem teria culhão de responder errado.

  • Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta.

    O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    QUERO VER QUEM COLOCARÁ ERRADO NO DIA DA PROVA .

    #FAVELAVENCÊ

  • Eu marquei certo por causa do seguinte trecho do texto: Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta.

    Como podemos ver no texto, não tem nada afirmativo, somente suposição, ainda não pode ser provado de forma concreta.

  • Final do último parágrafo:

    “Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.”

    Na última oração, ao concluir o texto o autor deixa claro que a mudança climática “PODERÁ exigir...”

    Então não há definição de nada em relação aos cenários.

    Portanto gabarito CORRETO.

  • O cara diz q o efeito estufa vai acabar com tudo botando terror o texto todo...Aí ñ tem como prever o q vai acontecer...Vai acontecer o q um arco-íris cor rosa...Nada a ver esse gabarito
  •   "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos." PERTENCEREMOS !

  • O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

  •  Ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados.

    O Último período os verbos indicam uma possibilidade, que poderá ou não ocorrer, ou seja, não da para saber ao certo, foi assim que eu pensei.

    Sempre analiso esses verbos que indicam Possibilidade com cuidado.

  • "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

    O trecho que me levou à resposta certa.

  • O fato é que do texto pode-se inferir muitas coisas.

    Mas a interpretação do professor Jose Maria do Direção é a mais lógica ao meu ver, é o que mais claramente pode ser inferido do texto. A interpretação dada pela assertiva é uma inferência que o examinador tirou lá da cabecinha dele e que alguns candidatos vão pensar igual e outros não. Algumas questões de interpretação e compreensão de texto da CESPE são assim, não para medir conhecimento mas para eliminar candidatos.

  • No primeiro 1°paragráfo fala sobre um primeiro sinal - anomalias meteorológicas.

    No 3° par. fala sobre o ar rarefeito que os alpinistas tem enfrentado e sobre o aquecimento da atmosfera.

    Logo, para mim, isso são sim alguns cenários esperados(mudanças no ar, climáticas..)

    Por outro lado, o início do 3° par. diz:  O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.

    Talvez o autor da questão esteja se referindo a esse fragmento.

  • "Ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados"

    Ou seja, não se pode definir com precisão os cenários das mudanças climáticas no futuro e o último parágrafo corrobora com essa ideia, lembrando que a questão é de inferência, então é necessário realizar deduções a partir do texto.

    Alguns trechos que ratificam a questão:

    • O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos
    • Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    Gab: Certo

  • "Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta... ." (NÃO É UMA CERTEZA)

    "Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado." (TAMBÉM NÃO É UMA CERTEZA)

    Enunciado da Questão:

    Infere-se do texto que, em relação às mudanças climáticas, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados.

    Ou seja, nada é dado como certo.

    Também marquei errado, mas acredito que seja por falta de atenção.Pensando bem, não caberia uma alteração de gabarito. Na pior das hipóteses a questão poderia ser anulada.

    Em outros comentários há outros trechos que apontam incertezas.

       

  • "  O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.''-

    É UM CENÁRIO NÃO DETERMINADO- AINDA NÃO PREVISIVEL

  • "Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas"

    Esse trecho, ao meu ver, torna a questão errada. Pense que essas anomalias são cenários não só ESPERADOS de ocorrer no futuro, como já aconteceram

  • linha - 3 "essa suposição tem"....

  • EEEE Cespe perigosa

  • O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.

    Sabe-se que ocorrerá mudanças mas não quais.

  • Gab: Certo

  • Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    Esse trecho em destaque não indicaria um cenário esperado ?

  • Questão esquisita ...ao meu ver tá errada
  • A questão diz "ao certo"

    Perceba que o autor está sempre no campo da possibilidade/probabilidade

    Não se tem certeza, somente pode-se vislumbrar o que aconteceria.

  • Comando da questão :

    Infere-se do texto que, em relação às mudanças climáticas, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados. 

    ultimo parágrafo :Não pode ser determinado diretamente por experimentos. 

    logo:Gabarito certo

    #estudaguerreiro

    #Fe no pai que sua aprovação sai

  • "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    De acordo com este fragmento, pode-se inferir que não há como prever com exatidão que consequências serão geradas pelo aquecimento global.

    Gabarito: CERTA

    "A fé na vitória tem que ser inabalável."

  • Não seja um café com leite nos concursos e estude redação. 10% dos aprovados na prova objetiva REPROVARAM na redação no último concurso da PF

    _______________________________________________________________

    Eai concurseiro!?

    Está só fazendo questões e esquecendo de treinar REDAÇÃO!?

    Não adianta passar na objetiva e reprovar na redação.

    Por isso, deixo aqui minha indicação do Projeto Desesperados, ele mudou meu jogo. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. https://go.hotmart.com/W44743476R

  • Certo.

    Uma dica pessoal:

    Em textos científicos, não temos afirmações, certezas do que ocorrerá no futuro, pois se trata de pesquisas, experimentos.

    #Ou seja, não é possível definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados.

  • a Questão está correta. Os cenários poderão ser os piores possíveis, se nada for feito, mas não dá pra dizer com precisão quais são realmente esses cenários. Se trata de eventos climáticos, ambientais, geológicos e evolutivos, não dá pra prever com exatidão os possíveis cenários, nem com os melhores experimentos tecnológicos atuais.
  • O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos

    GAB: CERTO

  • não concordo com a utilização desse trecho para justificar o gabarito "" O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."'

    tendo em vista que o que não se tem ao certo nesse caso, seria o limite das ações humanas que causam impactos e não o limite das consequências dessas ações. pra mim, o gabarito errado.

  • Tem que ter muita coragem pra marcar o Certo na hora da Prova.

  • Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso. Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    Questão : CERTA.

  • Último parágrafo: O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.

  • Não seja um café com leite nos concursos e estude redação. 10% dos aprovados na prova objetiva REPROVARAM na redação no último concurso da PF

    ______________________________________________________________

    Eai concurseiro!?

    Está só fazendo questões e esquecendo de treinar REDAÇÃO!?

    Não adianta passar na objetiva e reprovar na redação.

    Por isso, deixo aqui minha indicação do Projeto Desesperados, ele mudou meu jogo. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens.

    https://go.hotmart.com/W44743476R?src=QC

  • Assertiva: "Infere-se do texto que, em relação às mudanças climáticas, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados."

    Resposta encontrada no início do terceiro parágrafo: "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    Desse modo, o terceiro parágrafo enuncia que não é possível definir o cenário para o qual as mudanças climáticas nos levará.

    Gabarito: CERTO

  • 1ºParágrafo:

    ''Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano''

  • Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    O que está entre os travessões não é considerado uma certeza, pode estar como explicação do que seja anomalias meteorológicas.

  • O autor pintou todo um cenário dos efeitos das mudanças climáticas. Acho que o gabarito não condiz.

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Me diz uma coisa, esta fazendo só questões e esta esquecendo de treinar para a REDAÇÃO!?

    Por que não adianta de nada passar na prova objetiva e reprova na redação, se isso acontece contigo vai ser um trauma para o resto da vida.

    Pensando nisso deixo aqui minha indicação de um curso de redação que tem me ajudado muito na preparação, quem tiver interesse em melhorar na discursiva é uma boa opção.

    Link do site: https://go.hotmart.com/D49209586D

  • GABARITO: CERTO

    QUESTÃO: Infere-se do texto que, em relação às mudanças climáticas, ainda não se pode definir ao certo quais cenários realmente devem ser esperados. CERTO.

    JUSTIFICATIVAS:

    PARTE DO TEXTO: primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado. (Mostra que acontece desde os anos 90 do século passado, mas não afirma com certeza que pode acontecer no futuro próximo).

    PARTE DO TEXTO:  O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. (uma hipótese, mas não dar certeza).

    PARTE DO TEXTO: Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies. (esse poderá, fala de possibilidade, mas não certeza).

    OBS: Esse é um texto cientifico, logo trabalha com hipótese e não com certeza.

    Bons Estudos!

  • CERTO.

    A questão exige interpretação de texto.

    Pessoal, há elementos no texto que embasam a ideia de que ainda não há como definir de forma exata os cenários esperados por causa das mudanças climáticas. Vejamos o último parágrafo:

    "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosferaUma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies."

    Pelos trechos destacados, podemos observar que são sim esperadas consequências, mas o texto não apontou exatamente quais são elas, o que justifica o enunciado nos trazer um grau de indefinição com a expressão "ao certo".

    Quando o texto diz que "o limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos", bem como quando afirma que a fauna e a flora reagem de formas diferentes às mudanças climáticas, percebe-se que os cenários futuros não podem ser determinados com precisão.

    Portanto, o item está correto.

  • O examinador categorizou a afirmação duas vezes: "ao certo" e "realmente". Acrescentou o "ainda"...

    É importante se atentar sobre isso..

  •  "Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies."

    COMO é uma questão de inferência, a partir desse trecho conclui-se que poderá exigir capacidade adaptativa de muitas especies, logo não se pode definir quais cenários esperar ( para adaptar essas especies) pois pode vim vários cenários, caso a mudança climática não for freada.

    KKK

    meu primeiro comentário, espero estar certo mas foi isso que eu entendi.

    Gab: correto

  • O que lascou tudo foi esse "ao certo"...

    Ao certo dá a ideia de: Sei exatamente/certamente o que irá acontecer.

    Impossível saber ao certo o que irá acontecer em tudo na vida.

    Ainda mais se tratando de um texto científico (que trabalha com hipóteses e não certezas).

  • O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos....

    Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    Hipóteses

  • O certo é que quando a questão começar com palavra " Infere-se " pode ter certeza que a questão vai ser voadora nos 'peito' !

  • Se a mudança climática não for eficazmente freada, poderá exigir uma capacidade adaptativa exagerada de muitas espécies. Ou seja, se for freada de forma eficaz, poderá não exigir tanto. Um cenário que não se pode definir ao certo.

  • GABARITO CERTO

    O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  • Mais uma questão coringa que o examinador pode afirmar que é certa ou errada.

    Li os comentários dos caros colegas aqui e há argumentação razoável para qualquer gabarito.

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • "Infere-se"

    Tradução: pense bem muito até viajar nas ideias e errar a questão.

  • Mais uma vez eu reafirmo, enquanto esses vag@bundos do Cespe estiverem por traz da elaboração de questões, nunca se terá seriedade nos concursos públicos, Canalhas!

  • GABARITO: CERTO

    Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso

     O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentosAssim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  • O conhecimento de mundo também ajuda a resolver questões de interpretação de texto.

    Ao estudar a matéria de geografia, quando se trata de meio ambiente, nós não podemos prever o que pode acontecer daqui a alguns anos, conforme o meio ambiente vai se degradando. O que sabemos, hoje, como por exemplo, é que há interferência humana (ação antrópica) nas mudanças climáticas, a exemplo do desmatamento da Amazônia, ocasionando alteração no próprio clima da região. Além disso, temos a agroindústria brasileira, que é a principal responsável por emitir gases do efeito estufa no Brasil, causando ainda mais a degradação e mudança climática.

    Eu posso tá viajando muito nessa interpretação, não sei, mas o conhecimento de mundo é válido sim para questões como essa, tanto que eu não precisei ler o texto para inferir isso. Valeu!

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R

  • CERTO ✔️, MOTIVO: Não há comprovação de mudança concreta, as modificações variam de região a região. (OBS: não sou gênio, errei também a questão, kk)
  • Correta.

    "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. "


ID
5028346
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

       Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso. Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    

     Os limites do crescimento marcam uma espécie de escassez, embora no mercado não se tornem imediatamente notados como tais. A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida, comparável a um parafuso de rosca que se aperta sempre mais.

     

       O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.


Thomas Kesselring. Depois de nós, o dilúvio. A dimensão do meio ambiente. In: Ética, política e desenvolvimento humano: a justiça na era da globalização. Benno Dischinger (Trad.). Caxias do Sul, RS: Educs, 2007, p. 222 (com adaptações).

Em relação aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item a seguir.


De acordo com o texto, as espécies serão atingidas de maneira uniforme pelo aquecimento global.

Alternativas
Comentários
  • Gab. E

    Segundo o texto, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • ❌ERRADA ❕❗

    Compreensão textual:

    (...) a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.(...)

    Uniforme não vai ser.

  • Gabarito: ERRADO

    No último parágrafo, está dito que fauna e flora, em regiões diferentes, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Dessa forma, não há uniformidade, e sim heterogeneidade.

  • EXTRAPOLAÇÃO.

  • Acho que não é extrapolação, sim uma contradição clara do que está no texto...

  • ERRADO

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade".

  • ERRADO

    Uniforme: Padrão, igual

     a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera

  • ERRADO

    "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

  • ERRADO

    "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

  • Gabarito: ERRADO

    De acordo com o texto, as espécies serão atingidas de maneira uniforme pelo aquecimento global?

    NÃO!

    "a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

    ALÔ VOCÊ!

  • GAB: ERRADO

    ASSERTIVA:

    De acordo com o texto, as espécies serão atingidas de maneira uniforme(ERRO, pois, segundo o texto, reagem diferentemente) pelo aquecimento global.

    TEXTO:

    O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

  • Após a leitura do texto, entende-se que a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, vão reagir umas de um jeito, outras de outro jeito, assim não irão seguir algo uniforme: padrão, igual.

  • O terceiro parágrafo deixa claro que as espécies não serão atingidas de maneira uniforme pelo aquecimento global...Portanto, Gabarito: Errado.

  • Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  • Gab: ERRADO

    Pela comparação feita aos alpinistas, com relação ao ar, ao escalar as montanhas, podemos aferir que não serão uniformesmas diferentes. Uma vez que o ar será cada vez mais rarefeito/ denso/ reduzido, diferentemente a cada um. Para uns MAIS, para outros MENOS.

    Ademais, ao longo de todo o parágrafo 2° o autor expressa, de forma clara, essa diferenciação ao citar o reservatório, a comparação aos parafusos, etc.

    Erros, mandem mensagem :)

  • Leiam com atenção o 3º parágrafo:

    O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

  • No último parágrafo, está dito que fauna e flora, em regiões diferentes, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Dessa forma, não há uniformidade, e sim heterogeneidade.

    Gabarito: ERRADO

  • Muitas espécies é diferente de todas espécies.

  • Pensei que era sobre a atmosfera, como atingiu todos (igualmente pois provocou mudanças climáticas) cabe ao organismo de cada um reagir de forma diferentemente, como os alpinistas o ar é o mesmo para todos, rarefeito porém alguns sentiram mais e outros menos por conta de cada organismo.

    O aquecimento global é um só, e como cada um vai reagir que é a resposta: DIFERENTEMENTE.

    Procurei demais e errei, resposta simples e objetiva.

  • Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

  • "poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies".

    Embora sejam "muitas espécies", não são todas elas.

  • a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  • o texto fala PODERÁ ( pode acontecer)

    já a assertiva fala SERÃO

  • assim como os alpinistas, uns mais outros menos.

  • acho que esse UNIFORME entregou a questão!

  • Errado

    Último parágrafo do texto

    "a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera"

  • A assertiva incorreu em contradição.

    "[...] a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. [...]"

    GABA: E. Força, não desista!

  • [...]Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies[...]

    Muitas é diferente de todas,logo não se pode falar em uniformidade .

    Questão :ERRADA!

  •  reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    aqui vc já mata a questão.

  • [...] a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera

    GAb: Errado

    Vença seu maior inimigo, você mesmo!

  • Além do mais, até em indivíduos da mesma espécie (no caso humanos alpinistas) terá efeitos diferentes: "alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos"

  • Tudo tem seu preço, mas acredite no progresso e vá. Deus é contigo!

  • Essa prova não serve de parâmetro pro regaço q virá na PF e PRF, mas é boa pra treinar.

  • Gabarito: Errado

    "a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

  • gab e

     

    , a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. .

     

    ou seja, regirão de forma diferente ...

  • Trecho questão;

    a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    Enunciado da questão:

    De acordo com o texto, as espécies serão atingidas de maneira uniforme pelo aquecimento global.

    uniforme:

    adjetivo de dois gêneros

    1.que tem a mesma ou aproximadamente a mesma forma, aparência, padrão, valor que o(s) outro(s) do mesmo tipo; análogo, idêntico, semelhante.

    "dentes u."

    2.que não varia na sua forma, maneira, grau, intensidade etc.; regular, unímodo

  • A fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    GAB: ERRADO

  • Gabarito: Errado.

    Basta seguir a linha de raciocínio. Diretamente dos meus trechos de revisão, segue...

    COMPREENSÃO DE TEXTO

    É fazer uma ANÁLISE objetiva do texto. É verificar o que realmente está escrito nele. Deve-se analisar os dados concretos e objetivos do texto.

    INTERPRETAÇÃO DE TEXTO

    Se IMAGINA o que às ideias do texto têm a ver com a realidade. O leitor tira conclusões subjetivas do texto ( deduz o que o autor quis dizer).

  • as vezes parece estranho os conceitos, mas se esqueceu pensa de formas diferentes, por exemplo, UNIFORME, imagina o seu cargo da PRF em que todos usam uniforme, É TUDO IGUAL, ou seja, quando a questão fala em uniforme quer dizer que todos passam pela mudança igualitária. PORTANTO ERRADO!

  • ''a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente''

    uniforme : adjetivo ,Idêntico; de mesma forma, aspecto, tipo, padrão, valor.

    GABARITO ERRADO

  • Apesar de ser "De acordo com o texto" eu usei a lógica... não tem como todas as espécies sofrerem consequências uniformes...

  • "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

  • Não seria Uniforme e sim Proporcional. Estatística pelo menos ajudou aqui

    Rumo PF

  • Destaca-se do ultimo parágrafo:

      O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    Diante disso, conforme o comando da questão, destaco "De acordo com o texto" - ou seja, está explicito, nas mesmas palavras ou parafraseado, mas tem que estar escrito.

  • ERRADO

    O trecho que usei para chegar a essa conclusão, foi esse: "A fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

  • a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  • Gabarito: errado.

    A resposta está do segundo período do último parágrafo.

  • A primeira questão já responde a segunda. Se vc n sabe o q vai acontecer no futuro, como é que as espécies serão atingidas de maneira uniforme??

  • Gab. ERRADO

    " a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera"

  • [....]Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. errado

  • (...)a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. 

  • "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. "

  • Gab: ERRADO

    Pela comparação feita aos alpinistas, com relação ao ar, ao escalar as montanhas, podemos aferir que não serão uniformesmas diferentes. Uma vez que o ar será cada vez mais rarefeito/ denso/ reduzido, diferentemente a cada um. Para uns MAIS, para outros MENOS.

    • Ademais, ao longo de todo o parágrafo 2° o autor expressa, de forma clara, essa diferenciaçãoao citar o reservatório, a comparação aos parafusos etc.

    Erros, mandem mensagem :)

  • No último parágrafo, está dito que fauna e flora, em regiões diferentes, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Dessa forma, não há uniformidade, e sim heterogeneidade.

    Comentários do Prof. José Maria (Direção Concursos).

  • O conhecimento de mundo também ajuda muito nas interpretações

    Essa dava para responder sem ler o texto. Mas o ideal é ler, sem dúvidas.

  • Além de mostrar a questão da fauna e da flora(capacidade adaptativa), mostra também que alguns alpinistas reagem diferenciadamente ao ar rarefeito (uns mais, outros menos)

  • Porque na hora da prova vc trava e aqui, vc acerta com tanta obviedade?

  • Resposta no último parágrafo do texto,

    Gabarito: correto

  • QUESTÃO ERRADA.

    Entendi da seguinte maneira.

    TRECHO DO TEXTO: "Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática (devido ao aquecimento global). Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies."

    ASSERTIVA:

    "De acordo com o texto, as espécies serão atingidas de maneira uniforme pelo aquecimento global."

    No texto declara que poderá atingir a capacidade adaptativa de muitas espécies e na questão menciona "será". Portanto, está errada.

    ______________________________________________________________________________________________________

    ______________________________________________________________________________________________________

    Informações adicionais.

    INTERPRETAÇÃO: pode estar IMPLÍCITO no texto. Ex.: DEPREENDE-SE, INFERE-SE, CONCLUI-SE DO TEXTO que etc.

    COMPREENSÃO: tem que estar EXPLÍCITO no texto. Ex.: SEGUNDO O TEXTO; DE ACORDO COM O TEXTO; o autor, narrador do texto diz que.

    Quando se fala em COMPREENSÃO TEXTUAL, as informações estão no texto. Os comandos são:

    - De acordo com o texto;

    - Segundo o texto;

    - O texto informa que;

    - No texto...

  • A Questão generaliza todas as espécies: De acordo com o texto, as espécies serão atingidas de maneira uniforme pelo aquecimento global.

    o Texto não generaliza, ele diz muitas, e não todas as espécies: "adaptativa de muitas espécies".

    Gabarito: Errado

  • gab;E

    O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  •  fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. 

  • cacete, que saco as pessoas vendendo cursos aqui. VÃO ESTUDAR!

  •  Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  • A pergunta em si da a ideia de ser errada.

  • Propagandas mascaradas a gente vê por aqui! O indivíduo muda de usuário (dentre os vários fakes que cria) e acha que ninguém percebe. Sempre que posso, denuncio ao QC. Acho que o QC deveria criar algum tipo de filtro para quem for comentar (algo que detecte links duvidosos) a fim de evitar essas propagandas inconvenientes de gente sem noção e sem vergonha na cara. Só atrapalham quem está aqui para estudar e ajudar os outros.

  • "a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. "

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • Assertiva: "De acordo com o texto, as espécies serão atingidas de maneira uniforme pelo aquecimento global."

    O terceiro parágrafo nos dá a resposta: "a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

    O texto chega a citar, anteriormente à parte transcrita, uma comparação entre a incidência do ar rarefeito nos alpinistas em que alguns se sentem mais prejudicados e outros não.

    Gabarito: ERRADO

  • "adaptativa de muitas espécies"

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Me diz uma coisa, esta fazendo só questões e esta esquecendo de treinar para a REDAÇÃO!?

    Por que não adianta de nada passar na prova objetiva e reprova na redação, se isso acontece contigo vai ser um trauma para o resto da vida.

    Pensando nisso deixo aqui minha indicação de um curso de redação que tem me ajudado muito na preparação, quem tiver interesse em melhorar na discursiva é uma boa opção.

    Link do site: https://go.hotmart.com/D49209586D

  • "a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. "

  • Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora,. ..

  • BEM OBJ;

    No último parágrafo, está dito que fauna e flora, em regiões diferentes, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Dessa forma, não há uniformidade, e sim heterogeneidade.

    ERRADO

  • "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

    Podemos perceber, então, que a fauna e a flora (as espécies em geral) reagem de maneira diferenciada (heterogênea, e não uniforme) ao aquecimento global.

  • Problema é o cara saber na hora da prova oq é uniforme kkkkk

  • ...a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

  • Minha contribuição.

    Interpretação de texto: consiste em saber o que se infere (conclui) do que está escrito. Os comandos de interpretação (está fora (além) do texto) são:

    Depreende-se/infere-se/conclui-se do texto que...

    O texto permite deduzir que...

    É possível subentender-se a partir do texto que...

    Qual a intenção do autor quando afirma que...

    O texto possibilita o entendimento de que...

    Com o apoio do texto, infere-se que...

    O texto encaminha o leitor para...

    Pretende o texto mostrar que o leitor...

    O texto possibilita deduzir-se que...

     

     

    Compreensão de texto: consiste em analisar o que realmente está escrito, ou seja, coletar dados do texto. Os comandos de compreensão (está no texto) são:

    Segundo o texto...

    O autor/narrador do texto diz que...

    O texto informa que...

    No texto...

    Tendo em vista o texto...

    De acordo com o texto...

    O autor sugere ainda...

    O autor afirma que...

    Na opinião do autor do texto...

    Fonte: Colaboradores do QC

    Abraço!!!

  • GABARITO: ERRADO

    (...) a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    Não pare até que tenha terminado aquilo que começou. - Baltasar Gracián.

    -Tu não podes desistir.

  • Não é nem preciso ler o texto para responder essa afirmação.

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R


ID
5028349
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

       Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso. Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    

     Os limites do crescimento marcam uma espécie de escassez, embora no mercado não se tornem imediatamente notados como tais. A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida, comparável a um parafuso de rosca que se aperta sempre mais.

     

       O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.


Thomas Kesselring. Depois de nós, o dilúvio. A dimensão do meio ambiente. In: Ética, política e desenvolvimento humano: a justiça na era da globalização. Benno Dischinger (Trad.). Caxias do Sul, RS: Educs, 2007, p. 222 (com adaptações).

Em relação aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item a seguir.


No segundo período do segundo parágrafo, há elipse da forma verbal funciona logo após “mas”.

Alternativas
Comentários
  • Eu marquei errada a referida alternativa, pois, como há elipse verbal no ponto onde o verbo deveria estar, a vírgula se faz necessária para marcar a zeugma (elipse verbal).

  • gaba CERTO

    [...]A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (funciona) como um mecanismo que...[...]

    perceba que de forma elipitica, com omissão de uma ou mais palavras, ele faz referência.

    apenas para complementar... Tu sabe a diferença entre Frase, Oração, Período?

    • Frase: enunciado linguístico que possui um sentido completo.

    ex.: BOM DIA!

    • Oração: enunciado que contém um verbo ou locução verbal e que pode não apresentar um sentido completo.

    ex.: Você já tomou seu café da manhã hoje?

    • Período: enunciado que contém uma ou mais orações de sentido completo.

    ex.: Se você for aprovado, promete que vai me dar 10% do seu salário, por te ajudar com esses comentários?

    pertencelemos!

    obs.: As frases são meramente ilustrativa... rs

  • Paralelismo trabalhando = A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, ...Intercalações...., mas (Funciona) como um mecanismo que ......

    Nesse tipo de Assertiva, tente retirar os trechos que não importam. Ficará mais fácil de visualizar.

  • ✔ CORRETA.

    A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (FUNCIONA) como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida...

  • GABARITO OFICIAL - CERTO

    “A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, … , mas (funciona) como um mecanismo… “.

    ELIPSE: elipse é uma figura de linguagem caracterizada pela omissão de um termo no enunciado; porém, esse termo pode ser subentendido pelo contexto

  • Gabarito: CERTO

    ELIPSE- É QUALQUER OMISSÃO DE TERMO

    (...) A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (FUNCIONA) como um mecanismo que...(...)

  • A modinha do CEBRASPE é fazer o concurseiro contar os períodos. KKKKK VaiTEpraLá !

  • Gabarito: Certo

    A Elipse consiste na omissão de um termo ou de uma expressão recuperável pelo contexto. A vírgula é muito utilizada para marca a elipse de um verbo (às vezes, de seus complementos).

    Vejamos algumas questões do CESPE:

    (CESPE - 2016 - TCE-PA) Julgue o item que se segue, referente aos aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA.

    Fragmento do texto: Acredito no que vejo e no que me contam pessoas fidedignas, por mais extraordinário que pareça. Sei que o poder do Criador é infinito e a arte do inimigo, vária.

    A supressão da vírgula empregada no trecho “a arte do inimigo, vária” prejudicaria o sentido original do texto.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2015 - TRE-GO) Com relação às estruturas linguísticas do texto I, julgue o item seguinte.

    Fragmento do texto: Candidatos a vereador e a juiz de paz tinham apenas de comprovar residência no município e no distrito por mais de dois anos; candidatos a deputado provincial, dois anos na província; candidatos a deputado geral, renda anual de 800 mil réis; (...)

    Na linha 26, as vírgulas empregadas após os vocábulos “provincial” e “geral” evitam a repetição da expressão “tinham apenas de comprovar”, já expressa na linha 24.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2015 - STJ) cerca das estruturas linguísticas do texto Evolução histórica da responsabilidade civil e efetivação dos direitos humanos, julgue o item a seguir.

    Fragmento do texto: Nesse período, surgiu a chamada Lei do Talião, do latim Lex Talionis — Lex significando lei e Talionis, tal qual ou igual.

    Na linha 12, a vírgula que se segue ao vocábulo “Talionis” representa a elipse da forma verbal “significando”.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2014 - TJ-SE) Com relação às ideias e estruturas linguísticas do texto acima, julgue .

    Fragmento do texto: Tecnologia para essa empreitada os chineses têm. Dinheiro, também.

    Na linha 7, a vírgula empregada após “Dinheiro” marca a elipse do verbo da oração.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2012 - CD) Em relação às ideias e estruturas linguísticas do texto, julgue os itens que se seguem.

    Fragmento do texto: Então, como agora, o país se dava conta da necessidade de contar com recursos humanos capazes de ombrear com os do mundo desenvolvido.

    Em “com os do mundo desenvolvido”, identifica-se elipse da expressão “recursos humanos”.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2009 - SECONT-ES) A partir do texto ao lado, de Michael Moyer, julgue os itens a seguir.

    Fragmento do texto: A fatia maior — R$ 24,5 bilhões — será destinada às obras civis, e o restante para aquisição de trens, implantação dos sistemas necessários, medidas socioambientais e outras.

    No trecho "e o restante para aquisição de trens, implantação dos sistemas necessários, medidas socioambientais e outras", há elipse de "será destinado" após o vocábulo "restante".

    Gabarito: Certo

  • CERTO

    A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, [que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo),] mas [FUNCIONA] como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente [...]

    • Omitiu um termo, mas permite se ter a compreensão = Elipse
    • Apresentou o termo, mas omitiu para não repetir = Elipse do tipo ZEUGMA.

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade."

  •  A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, (oração adjetiva explicativa) que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas(funciona) como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente,...

    ELIPSE

    Consiste na omissão de um ou mais termos numa oração que podem ser facilmente identificados, tanto por elementos gramaticais presentes na própria oração, quanto pelo contexto.

    ZEUGMA

    Zeugma é uma forma de elipse. Ocorre quando é feita a omissão de um termo já mencionado anteriormente.

    Diferença entre elipse e zeugma

    elipse é a omissão de um termo no enunciado. O zeugma, portanto, é um tipo específico de elipse, já que a supressão, nesse caso, está condicionada ao fato de esse termo já ter sido anteriormente mencionado na .

    fonte:https://www.portugues.com.br/gramatica/zeugma.html#:~:text=Zeugma%20%C3%A9%20uma%20figura%20de,expresso%20ou%20n%C3%A3o%20na%20frase.

  • que medooo

  • CERTO.

    Com a leitura do texto, fica fácil perceber a palavra ali subentendida.

    "A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (funciona) como um mecanismo que, (...)"

    ________

    Bons Estudos.

  • Cespe morde e assopra, quero ver o nível na PF!

  • A atmosfera não funciona como, MAS a atmosfera FUNCIONA COMO...

  • REFORÇANDO, pois eu errei!!!

    elipse é uma figura de linguagem que ocorre quando um termo é omitido em um enunciado, mas fica subentendido pelo contexto. Trata-se de um recurso estilístico muito utilizado em discursos e em ditados populares.

  • Lendo assim fica mais fácil de se verificar a elipse :

    "não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento... mas (FUNCIONA) como um mecanismo que..."

    Bons papiros.

  • De fato! Façamos a leitura: “A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, … , mas (funciona) como um mecanismo… “.

    Gabarito: CERTO

  • Elipse é Diferente de Zeugma, mas o CESPE é a mesma coisa.

     Elipse: omitir um termo que não foi mencionado no texto.

    Zeugma: omitir um termo que já foi mencionado no texto. 

  • neste caso a figura correta seria ZEUGMA

    A QUESTÃO ESTA COM O GABARITO ERRADO

  • Zeugma é uma figura de linguagem caraterizada pela omissão de um termo mencionado anteriormente no enunciado. Já a elipse é apenas a ocultação de um termo, não importando que o mesmo já tenha sido expresso ou não na frase.

    Para o Cespe são sinônimos.

    GAB. CERTO

  • Para banca cespe É A MESMA COISA

  • questão correta... para o cespe,zeugma e elipse são sinônimos. portanto, após a palavra "mas" fica subentendido a palavra funciona.

  • ELIPSE É DIFERENTE DE ZEUGMA ,MAS PARA O CESPE É A MESMA COISA, OK

  • O que fazer?

    Se for uma questão de multipla escola e tiver as duas alternativas (zegma e elipse) assinale "Zeugma". pois, percebe-se, nesta situção, que a banca quer saber se voçê sabe a distinção de uma e de outra, lembrando que zeugma é uma espécie de elipse, por isso a questão estará certa, seja elipse, seja zeugma, no entanto, no caso de existência das duas opção assinalar, Zeugma

  • Certo

    Ocorre elipse (é caracterizada pela omissão de termos da oração sem que se prejudique o entendimento da mesma) é só substituir.

     

    A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (funciona) como um mecanismo ....

  • zeugma

    substantivo de dois gêneros

    1. GRAMÁTICA•LINGÜÍSTICA
    2. forma de ELIPSE que consiste na supressão, em orações subsequentes, de um termo expresso na primeira (p.ex.: cada criança escolheu um brinquedo; o menino, um carro, a menina, uma boneca ).

  • Questão muuuuuuuito boa, apesar de eu ter errado. Fica a enfase para a cobrança de Figuras de Linguaguem.

  • Certo

    Elipse => Ocultação de Palavras ou Frases

    A atmosfera, por exemplo, não funciona...., mas funciona.....

  • Lembrando que para a banca elipse e zeugma são a mesma coisa. A banca cobra esse entendimento há anos.

  • Só eu que enxerguei 2 mas no segundo periodo ?

  • Por favor alguém poderia me ajudar..

    eu sinceramente não entendi a questão, por favor pode me mandar no PV eu vou agradecer de mais ou pode me ajudar por aqui mesmo, depois venho ver.

  • para cespe zeugma e elipse é a mesma coisa, bem estranho

  • Elipse-oculta palavra dita anteriormente,no caso está ocultando a palavra "Funciona",descrita antes.

  •  ''......não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), funciona como um mecanismo que......

    GABARITO: CERTO

  • *LEMBRAR QUE ELIPSE É UMA FIGURA DE LINGUAGEM DE UM TERMO "ESCONDIDO" NO ENUNCIADO E SUBTENDIDO NO CONTEXTO. Ex:

    A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, … mas (funciona) como um mecanismo.

    Fonte: Matheus (colega concurseiro) daqui do Q.C

  • Não seria Zeugma?

  • Elipse: é a omissão de um termo em que o contexto deixa claro.

    zeugma: omissão do termo em que já foi dito antes.

  • Alguém reparou que o período citado tem dois "mas" ? O CESPE devia ter sido mais claro, apesar de eu ter acertado a questão.

  • Tem dois "mas", na prova eu marco me tremendo uma dessa.

  • GAB.: CERTO

    Elipse: termo subentendido.

    "A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (funciona) como um mecanismo que..."

    "Falhar não faz de você um perdedor , desistir da sua missão, sim."

  • A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, … mas como um mecanismo.

    A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, … mas (funciona) como um mecanismo.

    Gab- C

  • funciona mas como um reservatório,

  • CERTO!

    ...funciona como um reservatório, mas (FUNCIONA) como um mecanismo que...

    O termo "funciona" está eliptico

  • nova tendência CESPE

    ELIPSE

  • O CESPE considera ELIPSE e ZEUGMA a mesma coisa.

    Elipse: omissão de um termo no enunciado

    Ex: Diante dela, os pais e os irmãos.

    Diante dela, estavam os pais e os irmãos.

    Zeugma: omissão de um termo expresso anteriormente na frase

    Ex: O bebê aprendeu a andar. E depois, a correr.

    O bebê aprendeu a andar. E depois, aprendeu a correr

    gab.:certo.

  • Acho sempre muito relevante dar uma limpada no texto antes de responder esse tipo de questão.

    "A atmosfera não funciona como um reservatório, mas (funciona) como um mecanismo ...."

  • Gabarito contestável. Não há Elipse, e sim Zeugma
  • sujeito elíptico; ocorre quando nao esta presente na oração, mas pode ser identificado pelo contexto...

    na frase:

    “A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório.... mas (funciona) como um mecanismo… “

    é um exemplo..

    certa

  • Gabarito confuso, poderia ser Zeugma, no entanto o CESPE considera zeugma e elipse a mesma coisa.

  • Toda Zeugma é uma Elipse

  • A Zeugma é uma forma de elipse, ou seja, não é que o cebraspe "considere", é.

    Dicionário: ZEUGMA forma de elipse que consiste na supressão, em orações subsequentes, de um termo expresso na primeira (p.ex.: cada criança escolheu um brinquedo; o menino, um boneco, a menina, uma bola) ).

  • elipse é uma figura de linguagem que ocorre com a omissão de um termo que pode ser subentendido no texto. A expressão omitida não interfere na compreensão da mensagem e mesmo sem está explícita ela pode ser percebida como parte da oração.

    GAB: CORRETO

    FOCO NO DISTINTIVO

  • Gabarito: C

    Bizu é "passar a faca na gordura" (retirar apostos, adjuntos, orações intercaladas etc.), nesse tipo de questão:

    A atmosfera não funciona como um reservatório, mas funciona como um mecanismo que terá efeito retroativo em nossas condições de vida, ...

    Trata-se de coesão por elipse que ocorre por meio da omissão de uma ou mais palavra sem prejuízo das informações veiculadas no texto.

  • Qual a dificuldade de colocar as linhas no texto? Acha que eu tô na gangue do Escubi Du pra ficar resolvendo mistério???

  • .1) ELIPSE: omissão de um termo subentendido.

    Ex.: O Planalto vive movimentado. (O Palácio do Planalto)

    2) ZEUGMA: omissão de um termo já dito.

    Ex.: Rachel comeu maçã, eu (comi) pera.

  • (...) mas (FUNCIONA) como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida (...)

  • Gab. Certo

    A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, mas FUNCIONA como um mecanismo...

  • Diz a lenda que quem acerta muitas questões aqui, na prova fica reprovado.

    Cuidado, eu por exemplo, só erro. mas, mas, mas, mas, mas, na prova o trem é diferente.

    Eu só quero uma vaga, os primeiros lugares deixo para os filhos de "Pestana, cruzado com Bechara"

  • Para mim a questão é de Zeugma e não Elipse, se não há distinção entre ambas para que ter dois nomes então?

  • Na minha opinião é um caso de Zeugma.

  • O Cespe segue a visão de Evanildo Bechara:

    "Chama-se elipse a omissão de um termo facilmente subentendido por faltar onde normalmente aparece, ou por ter sido anteriormente enunciado ou sugerido, ou ainda por ser depreendido pela situação, ou contexto."

    CERTO

  • PMAL TÔ CHEGANDO.

  • GABARITO: CERTO

    QUESTÃO: No segundo período do segundo parágrafo, há elipse da forma verbal funciona logo após “mas”. CERTA.

    O que é elipse?

    elipse é uma figura de linguagem que ocorre quando um termo é omitido em um enunciado, mas fica subentendido pelo contexto. (em outras palavras, É A OMISSÃO DE TERMOS)

    Comentários:

    “A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, … , mas (funciona) como um mecanismo… “.

    OBS: Qual a diferença entre elipse e zeugma?

    Elipse: qualquer omissão de palavra ou termo.

    Zeugma: omissão de uma palavra específica pq ela já foi empregada anteriormente e pra não ocorrer a repetição usa-se o zeugma.

    Bons Estudos!

  • VEJAMOS AMIGOS;

    De fato! Façamos a leitura: “A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, … , mas (funciona) como um mecanismo… “.

    CERTO

  • Elipse: omissão de um termo

    exemplo: vamos ao curso

    Quem vai ao curso ? nós

    @missaopmal

  • PLEONASMO : reforçar a ideia

    METÁFORA: Comparação implícita

    SÍMILE: Comparação explícita

    ANTÍTESE: oposição lógica

    PARADOXO: oposição não lógica

    HIPÉRBOLE: exagero

    EUFEMISMO: suavização

    ELIPSE: Omissão de um termo subentendido

    ZEUGMA: omissão de um termo já dito.

    POLISSÍNDETO: Vários conectivos

    ASSÍNDETO: Nenhum conectivo

    ALITERAÇÃO: Repetição de consoantes

    ASSONÂNCIA: Repetição de vogais

    IRONIA: sarcasmo

    GRADAÇÃO: ascensão

    ONOMATOPEIA: o emprego de uma palavra ou conjunto de palavras que sugerem algum ruido

    HIPÉRBATO: inversão, ordem indireta da frase

    METONÍMIA: substituição do autor pela obra

    CATACRESEausência de termos especifica, pé da mesa

    SINÉDOQUE: subs. do todo pela parte

    SINESTESIA: mistura de sentidos

    PROSOPOPEIApersonificação de coisa

    PEGUEI DE UM COLEGA DO QCONCURSOS

  • A questão requer conhecimento acerca das figuras de linguagem, especialmente as figuras de sintaxe.


    No segundo período do segundo parágrafo, realmente há elipse da forma verbal funciona logo após “mas". 


    “A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (funciona) como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida, comparável a um parafuso de rosca que se aperta sempre mais". 


    Esse verbo elíptico foi anteriormente expresso na oração. Quando isso ocorre, há a figura de linguagem zeugma.



    Elipse X Zeugma


    Elipse - omissão de um termo facilmente subentendido.

    Zeugma - omissão de um termo anteriormente expresso.


    Gabarito da Professora: CERTO.

  • Minha contribuição.

    Zeugma x Elipse

    É muito comum haver confusão entre as duas figuras de sintaxe: zeugma e elipse. No entanto, elas apresentam diferenças.

    Para muito estudiosos do tema, a zeugma é considerada um tipo de elipse, visto que também é empregada por meio da omissão de um ou mais termos na oração.

    A elipse é a omissão de um ou mais termos do discurso que não foram expressos anteriormente. Mas estes são facilmente identificáveis pelo interlocutor (receptor). Já na zeugma, os termos já foram mencionados antes no discurso.

    Confira abaixo os exemplos:

    -Ficamos ansiosos com o resultado. (pelo conjugação verbal podemos identificar a omissão do pronome “nós”.) – elipse

    -Joaquim comprou duas calças, eu uma. (omissão do verbo no segundo período: comprei). – zeugma

    Fonte: www.todamateria.com.br

    Abraço!!!!

  • A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas (funciona) como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente...

  • Gabarito: Certo

    Principais Regras de Figuras de Linguagem:

    a)    Elipse X Zeugma – A elipse é a omissão de um termo já subentendido (Ex: (Nós) bebemos água) e a Zeugma é o uso da virgula vicária, você basicamente subentende um verbo geralmente (Ex: Eu estudei para a prova, e ela, não).

    b)    Pleonasmo – “Lembra da palavra plágio”, logo significa trazer um mesmo significado com duas palavras diferentes. Ex: Subir para cima, descer para baixo etc.

    c)     Antítese – Emprego de palavras com sentidos contrários. Ex: O céu e o inferno.

    d)    Eufenismo – “Lembra que essa palavra é um pouco delicada”, logo é para tornar algum termo menos agressivo. Ex: Em vez de você falar gordo, você fala fofo. “Olha aquele fofo”.

    e)    Hipérbole – Exagero da ideia. Ex: Morrer de rir.

    f)      Comparação X Metáfora – A comparação eu uso o conectivo, geralmente “como” e a metáfora eu não quero nem saber do conectivo, eu digo realmente que você é. Ex: Igor é forte como um touro (comparativo) e igor é um touro (metáfora).

    g)    Metonímia – Substituição de palavras. Ex: Eu usei cotonete. Na verdade você não usou o cotonete, e sim uma haste de algodão.

    FICA A DICA PESSOAL: Estão precisando de planejamento para concursos? Aulas de RLM SEM ENROLAÇÃO? Entre em contato comigo e acessem tinyurl.com/DuarteRLM .Lá vocês encontraram materiais produzidos por mim para auxiliar nos seus estudos. Inclusive, acessem meu perfil e me sigam pois tem diversos cadernos de questões para outras matérias, como português e direito constitucional. Vamos em busca da nossa aprovação juntos !!

  • ELIPSE: omissão de um termo

    ZEUGMA: omissão de um termo já dito

  • ✔️ PARA AJUDAR A FIXAR

    DIFERENÇA ENTRE ZEUGMA E ELIPSE

    • ZEUGMA --> É UMA FORMA PARTICULAR DE ELIPSE EM QUE A APRESSÃO SUBENTENDIDA JÁ FOI MENCIONADA.

    EX: ELE PREFERE CULTO AOS SÁBADOS, EU AOS DOMINGOS

    (PREFIRO) OMITIDO

    • ELIPSE --> CONSISTE DA OMISSÃO DE UM TERMO FACILMENTE IDENTIFICÁVEL PELO CONTEXTO. TEM A INTENÇÃO DE TORNA O TEXTO MAIS ELEGANTE.

    EX: NA SALA, APENAS QUATRO OU CINCO CONVIDADOS

    (HÁ) OMITIDO

    GABARITO: CERTO

  • considero a questão errada, pois trata-se zeugma e não de elipse

  • o lançe é seguir o seguinte algoritimo: se na questão as alternativas tem zeugma e elipse, então se faz a diferença entre as duas. se nas alternativas tem apenas elipse, se considera zeugma um tipo de elipse.


ID
5028352
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

       Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso. Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    

     Os limites do crescimento marcam uma espécie de escassez, embora no mercado não se tornem imediatamente notados como tais. A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida, comparável a um parafuso de rosca que se aperta sempre mais.

     

       O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.


Thomas Kesselring. Depois de nós, o dilúvio. A dimensão do meio ambiente. In: Ética, política e desenvolvimento humano: a justiça na era da globalização. Benno Dischinger (Trad.). Caxias do Sul, RS: Educs, 2007, p. 222 (com adaptações).

Em relação aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item a seguir.


O sentido original do texto e a sua correção gramatical seriam mantidos caso o vocábulo “inexoravelmente”, no último período do segundo parágrafo, fosse substituído por definitivamente.

Alternativas
Comentários
  • Sentido da palavra inexoravelmente: De modo inevitável: irremediavelmente, impreterivelmente, infalivelmente, forçosamente, implacavelmente, fatalmente, inevitavelmente, decisivamente, irremissivelmente, inelutavelmente, irrevogavelmente, irreparavelmente, invencivelmente.

  • Gab. C

    A palavra inexorável é um advérbio que significa: Inflexivelmente; de maneira inflexível; de maneira severa: a população humana tem aumentado inexoravelmente. No texto, é como se dissesse que o efeito retroativo em nossas condições de vida fosse implacável e austero, ou seja, de maneira inflexível.

    Já a palavra definitivamente significa: permanente, conclusivo. É como se o efeito retroativo em nossas condições de vida fosse permanente, terminante e conclusivo.

    Vida que segue, cespe é cespe, sempre cespeando.

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • GABARITO - CERTO

    O advérbio “inexoravelmente” tem um de seus sentidos associado à ideia de “irreversibilidade”, “irredutibilidade”, o que o aproxima do significado de “definitivamente”.

  • Odeio esse tipo de questão, mas não tem o que fazer... São as regras do jogo.

    inexoravelmente = de maneira inflexível

    definitivamente =de uma maneira permanente, conclusiva, sem retorno

    São sinônimos. Gab C

  • Gabarito: CERTO

    Inexoravelmente: Que não pode ser evitado, mudado

    Definitivamente: modo definitivo, decidido, que não tem como voltar atrás

  • Tomem cuidado com as questões de sinonímia no Cespe - são quase sempre muito abertas.

    Ainda que vc saiba o significado lexical, dicionarizado da palavra, tome cuidado.

    Eu, pessoalmente, costumo deixar em branco, ou só marcar se a afirmação for muito esdrúxula.

  • Branco

    É ruim de eu perder uma questão "suada" de física pra uma dessa

  • O sentido original do texto e a sua correção gramatical seriam mantidos caso o vocábulo “inexoravelmente”, no último período do segundo parágrafo, fosse substituído por definitivamente.

    CERTO

    • Inexoravelmente: Inflexível, não cede ou se abala, permanece [ideia de definitivo]
    • Olhando o contexto:  um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo
    • [Lento mas vai produzir definitivamente. É lento, porém (adversativo) chega no efeito definitivo]

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade."

  • Analistas do Google no Qc.

    Inexoravelmente: que não pode ser evitado, mudado, de maneira inflexível...

    Analistas do Google na prova

    Inexoravelmente:

    kkkkkkkkkkkkkk

  • Achei que o sentido de algo acontecer de modo inevitável seria diferente de acontecer de modo definitivo...

  • inextricavelmente: Condição que não pode ser dissolvida ou separada. Inseparavelmente, indissoluto...

    Inexoravelmente: Que não pode ser evitado, mudado

  • O conhecimento de certas palavras está sendo essencial para as provas da CESPE.

    Eu julguei errado por ter entendido a palavra como INEVITAVELMENTE, o que não estaria errado, mas não se limitaria apenas a esse sinônimo.

  • Lembrei da música de Catedral na mesma hora e deu certo... kkkkkkkkkkk

  • Não são sinônimos exatos. Embora o significado seja parecido. Porém a CESPE deu como certo. Mas há sim uma leve alteração de sentido.

  • GAB:CERTO

    Assertiva:

    04) O sentido original do texto e a sua correção gramatical seriam mantidos caso o vocábulo “inexoravelmente”, no último período do segundo parágrafo, fosse substituído por “definitivamente”.

    Comentários:

    O advérbio “inexoravelmente” tem um de seus sentidos associado à ideia de “irreversibilidade”, “irredutibilidade”, o que o aproxima do significado de “definitivamente”.

    Fonte:https://www.direcaoconcursos.com.br/artigos/gabarito-comentado-com-propostas-de-recursos-portugues-codevasf/

  • Já dizia Flávio José:

    Se avexe não

    Toda caminhada começa no primeiro passo

    A natureza não tem pressa, segue seu compasso

    INEXORAVELMENTE chega lá.

    Ô, xalalalalalalá

    Ô, xalalalalalalá

    Ô, xalalalalalalá

  • Inexorável = aquilo que não se muda, logo, o que não é alterado pode ser definitivo. Gab. C

  • essa acertei mas sabendo que eu poderia errar, é uma loteria se você não conhece a palavra

    se eu fosse vocês treinava para errar também

    se das 20 você se der o luxo de errar 2 tabom demais

    mas e se você acertar as duas? melhor ainda

    pra cima deles

  • A Cespe já usou o termo "inexoravelmente", em outras questões, como implacável e inevitável.

  • Uma coisa pode ser inevitàvel ( inexorável ) e não ser " definitiva ". Ex.: Cair chuva pode ser inevitável, porém "não dura definitivamente". Além disso, "inexorável" não é sinônimo de "definitivo".

    A Cespe agora tem sua própria gramática e corrige as provas por ela!

  • Rapaz, por incrível que pareça ,lembrei dessa música na resolução da questão também. KKKKKK. "Ô, xalalalalá, coisa boa é namorar". Música raiz nordestina escrita por alguns poetas enriquece o vocabulário.

  • GAB C

    QUESTÃO CAPCIOSA

    MARQUEI CORRETO COM BASE NESSA PARTE :

    ´´ A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento``

  • Esse termo, infelizmente, a CESPE entende como definitivo, sem alteração. Ou seja, fique de olho nele, pois o INEXSORALVEMENTE, a CESPE sempre usa. Já fiz em uma outra questão e, errei, e errei novamente. ótimo, restam apenas 17 dias para a prova.

  • Bom que para fazer prova da CESPE você tem que estudar gramática e gramática da CESPE. A banca tem um dicionário próprio. Oremos!

  • em pleno 2021, a cespe continua sendo uma banca muito fdp kkkkkkk

  • Bateu, chutou e GOLAÇOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!

    Hoje não CESPE!

  • O advérbio “inexoravelmente” tem um de seus sentidos associado à ideia de “irreversibilidade”, “irredutibilidade”, o que o aproxima do significado de “definitivamente”.

    Gabarito: CERTO

  • Depois que dá uma olhadinha no "Google", tudo fica 'colorido'.

    Na hora da prova, o não conhecimento de sinônimos dificulta bastante.

  • O CESPE só vai mudar quando os professores e alunos pararem de aceitar qualquer gabarito e passar pano pra essas bizarrices. Em outras disciplinas eles já tentaram criar conceitos próprios também e não colou, mas na disciplina português parece que ainda são autoridade maior no assunto interpretação porque o subjetivismo impera.

  • Vamos ver qual é a palavra que ela vai querer que a gente saiba no depen, meu povooooo

    Chora não bb, choroooo sim kkkk

  • A meu ver caberia recurso!

    Aproximar não significa ser.

    O sentido teria que ser 100% mantido para não apresentar alteração,

    Parece, mas não é!

    Infelizmente a banca já usou esta mesma situação por diversas vezes.

  • questão pra testar sua sorte.

  • Loteria cespe

  • Uma ou outra tem que chutar né kk

  • Uma ou outra tem que chutar né kk

  • Uma ou outra tem que chutar né kk

  • Dica: Quando a CESPE pede para substituir por uma palavra pouco usada ou desconhecida de muitos, geralmente está certa a substituição. As pessoas têm tendência, nesses casos, a marcar errada quando não conhece a palavra pela qual a questão pede para substituir.

  • (cespe 2019) - Q999045 Na linha 13, o advérbio “inextricavelmente” tem o significado de inexoravelmente.

    Gab. Errado

    (Cespe 2014)Q385416 Por sua natureza adverbial, o termo “inexoravelmente” (L.10), empregado como sinônimo de implacavelmente, poderia ser deslocado para o início do período, logo após a forma verbal “É” (L.8), sem prejuízo para a coerência e a correção gramatical do texto.

    Gab. Errado

    INEXORAVELMENTE - INEVITÁVEL, DEFINITIVO

    INEXTRINCAVELMENTE - INSEPARÁVEL

    IMPLACAVELMENTE -  De maneira implacável, inflexível, intransigente

  • Aumentei meu vocabulário '-'

  • Alguém ai lembrou da música de Catedral?

  • Questão dicionário Aurélio. Mais fácil ganhar na Mega-Sena do que arriscar marcar na prova.

    Já passou da hora de colocarem no edital: definições de palavras contidas no dicionário Aurélio. Seria mais justo!

  • Toda caminhada começa

    No primeiro passo

    A natureza não tem pressa

    Segue seu compasso

    Inexoravelmente chega lá

    Se avexe não....

    DEFINITIVAMENTE IREMOS ALCANÇAR O NOSSO OBJETIVO.

    Elba Ramalho

  • Definitivamente, não vi sinonímia entre os supracitados advérbios, porém, receio dizer que, inexoravelmente, o gabarito da questão será mantido.

  • meu amigo que viagem dessa banca

  • Vey cinceramente que questãozinha hein ?

  • advérbio Inflexivelmente; de modo inexorável; de maneira inflexível: a população humana tem aumentado inexoravelmente. Implacavelmente; de maneira rigorosa e implacável; de modo a não ceder: quem persiste inexoravelmente alcança seu objetivo. Etimologia (origem da palavra inexoravelmente). Inexorável + mente.

    GOOGLE.

  • Considerei errado pelo sentido... mas ... o dicionário do cespe diz uma coisa e o meu diz outra. Q Deus nos ajude. Rs

  • As estatísticas preocupam.

  • Realmente quando se pesquisa a relação de sinonímia do advérbio inexoravelmente não é possível encontrar, de maneira explícita, a palavra definitivamente, entretanto decisivamente (que é sinônima de definitivamente) é expressa como sinônima de inexoravelmente. Logo, a assertiva está CORRETA.

    Sinônimos de inexoravelmente

    De modo inevitável: irremediavelmente, impreterivelmente, infalivelmente, forçosamente, implacavelmente, fatalmente, inevitavelmente, decisivamente, irremissivelmente, inelutavelmente, irrevogavelmente, irreparavelmente, invencivelmente.

    Sinônimo de definitivamente

    De forma decisiva: decididamente, decisivamente, terminantemente, absolutamente, categoricamente, indiscutivelmente, determinantemente, irrevogavelmente.

    Fonte: sinonimos.com.br

  • Nesse tipo de questão eu marco o inverso do que penso, normalmente acerto.rsrs

  • respondo uma dessa no dia da prova nem brincando

  • Esperar o cespe decidir!!!

  • Fiz uma análise do contexto. 'A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento... terá efeito retroativo em nossas condições de vida' ou seja, não será mais esvaziado.

  • inexorável

    i·ne·xo·rá·vel

    (z)

    adj m+f

    1 Que não cede; que não se move à compaixão; implacável, rigoroso, severo: “Aurélia […] esteve por algum tempo afrontando-o com inexorável desprezo” (SEN).

    2 Cujo rigor não admite atenuantes; austero, duro, rígido: Leis inexoráveis.

    3 Que continua indefinidamente; que não se pode evitar; inevitável, infalível, irremissível: A inexorável passagem do tempo.

    ETIMOLOGIA

    lat inexorabĭlis.

    Fonte: https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/inexor%C3%A1vel/

  • Para quem for arriscar uma questão como esta na hora da prova, eu desejo boa sorte.

  • É interessante, além de saber o conceito da palavra, ter conhecimento acerca de seus sinônimos. Vejamos:

    Inexorável: rígidorigorosoinflexívelimplacávelseveroausterofirmeduroretointransigenteincomplacente

    inabalávelimpiedosoinsensívelcruel, inquebrantável.

  • Gabarito adequado: Certo

    Essa questão não é resolvida tão somente com a significação das palavras, é preciso analisar o contexto:

    Primeiramente, o texto menciona os efeitos negativos, em várias áreas, do aquecimento da atmosfera.

    Com isso em mente, os fragmentos que colaboraram para que inexoravelmente seja substituído por definitivamente sem provocar alteração no sentido, nem correção, são:

    "Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — (...)." - Último período do primeiro parágrafo.

    "A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (...)." - Último período do segundo parágrafo.

    "Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies." - Dois últimos períodos do terceiro parágrafo.

  • Acertei essa questão simplesmente pq lembrei de uma Música do Forrozeiro Flávio José - A Natureza das coisas.

    Se avexe não

    Toda caminhada começa no primeiro passo

    A natureza não tem pressa, segue seu compasso

    Inexoravelmente chega lá.

    Forró é bom até para acertar questões do Cespe.

  • Nem o Aurélio sabia todas as palavras do dicionário dele, ai vem a cespe com essas fuleragens...

  • O indivíduo tem de ser louco de césio para responder uma questão dessa no chute.

    Termo anotado, sigamos!

  • como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente(DEFINITIVAMENTE), terá efeito retroativo em nossas condições de vida

  • GABARITO CERTO.

    --- > Inexorável: Que é rígido e inflexível/ Que não se pode evitar: (caso da questão, algo definitivo não pode ser evitado)

  • Típica questão que a gente responde aqui, mas na prova deixa em branco.

  • Fiz essa prova e deixei essa em branco KKKK impossível arriscar sem nunca ter visto a palavra

  • INOXORÁVEL = TEM SENTIDO DE INEVITÁVEL

  • O sentido não muda, mas a correção sim!

  • Certo.

    Obs: ampliar o meu vocabulário kkk

  • Inexoravelmente, não dá pra ter certeza de nada nas provas de PT da CESPE

  • Fiz essa prova e acabei errando essa questão em razão de no contexto eu não ter encaixado o

    ´´decisivamente´´.

    Utilizei a linha lógica padrão de sinônimo para inexorável, quais sejam : inevitável: irremediavelmente, impreterivelmente. Quase deixava em branco, mas estava confiante... Acabou sendo umas das que errei em português. O ideal nesses casos é deixar em branco, pois é um cheque em branco questões envolvendo sinônimo especifico + contexto inserido em textos do Cesp .Ficou o aprendizado......

  • Essa banca é muito fdp..

  • Essa banca é muito fdp..

  • "Implacavelmente; de maneira rigorosa e implacável; de modo a não ceder: quem persiste inexoravelmente alcança seu objetivo."

    "De­ modo definitivo; de uma maneira permanente, conclusiva; sem retorno: o relacionamento terminou definitivamente"

  • Na minha humilde opinião ficaria melhor se fosse substituído por inevitavelmente.

  • Quem é nordestino e gosta de forró acertou kkkk

    "Se avexe não

    Toda caminhada começa no primeiro passo

    A natureza não tem pressa, segue seu compasso

    Inexoravelmente chega lá..."

    Inexoravelmente => que não se pode refutar; inelutável: julgamento inexorável. Que se mantém rigorosamente irredutível: contrato inexorável. Etimologia (origem da palavra inexorável). Do latim inexorabilis

  • na prova deixa em branco

  • Gabarito Certo

    A CESPE havia perguntado em 2019, vejam:

    ''A identidade nacional está inextricavelmente vinculada à mistura racial.''

    (Q999045) Na linha 13, o advérbio “inextricavelmente” tem o significado de inexoravelmente.'' ERRADO

    inextricavelmente: Condição que não pode ser dissolvida ou separada. Inseparavelmente, indissoluto.

    Inexoravelmente: Que não pode ser evitado, mudado.

    Bons Estudos!

  • INEVITAVEL E DEFINITIVO É A MESMA COISA?

  • Essa já estava anotada no dicionário do capeta (CESPE)

    GABA: C!!

  • " Nada detém a inexorável marcha do tempo ! "

  • Eu acertei a questão por analisar o sentido das frases que circundam o termo. Mas é muito subjetiva essa assertiva.

  • Acredito que a banca ampliou bastante o sentido para poder abarcar a palavra "definitivamente", na minha humilde opinião a troca simples de sentido (sem ter por base o texto) é cabível, mas no contexto achei que houve uma quebra de sentido. Enfim, é a escolha macabra do CESPE é estudar bastante e ter bastante sorte. A vera mesmo são poucos que tem colhão pra marcar na bolinha do gabarito, aqui é fácil.

  • Quando eu vejo uma questão dessa, eu marco correto (pelo menos aqui no QC) Utilizando o bizu de um colega da plataforma:

    Dica: Quando a CESPE pede para substituir por uma palavra pouco usada ou desconhecida de muitos, geralmente está certa a substituição. As pessoas têm tendência, nesses casos, a marcar errada quando não conhece a palavra pela qual a questão pede para substituir.

    Quero ver no dia da prova quem vai ter coragem kkkkkk

  • Acredito que se encaixaria melhor a palavra inevitavelmente do que definitivamente.

    Obs: Deixaria em branco na prova.

  • adjetivo

    Que não se corrompe por pedidos ou súplicas insistentes; inflexível: juiz inexorável; normas, regras, leis ou preceitos inexoráveis.

    Que não se pode refutar; inelutável: julgamento inexorável.

    Que se mantém rigorosamente irredutível: contrato inexorável.

    FONTE: https://www.dicio.com.br/inexoravel/

  • para acompanhar.

  • A questão requer compreensão textual, conhecimento acerca das classes gramaticais, especialmente o advérbio, e coerência textual.


    Tanto “definitivamente" quanto “inexoravelmente" são advérbios de modo.

    Inexoravelmente significa agir de modo inflexível, inelutável, ou seja, agir de modo que não fique mudando a todo instante.

    Definitivamente significa algo de modo decisivo, que não volta atrás, algo que permanece.

    Portanto, as duas palavras têm o mesmo significado e, por isso, sua substituição não prejudica o sentido original nem a correção gramatical.



    Gabarito da professora: CERTO.

  • na prova eu deixaria em branco!!!

  • ERA SÓ OLHA PARA O CONTEXTO DO TEXTO QUE JÁ DAVA PARA PERCBER O SENTIDO DA EXPRESSÃO QUE NEM SEMPRE DA CERTO .O BOM MESMO É SEMPRE ENRIQUECER SEU VOCABULÁRIO

  • Lembrei da PM. Posso está viajando, no entanto conseguir acertar assim:

    Caso eu peça exoneração do cargo eu saio DEFINITIVAMENTE,

    caso queira entrar novamente tenho de prestar um novo concurso!!

  • Advérbio Inflexivelmente; de modo inexorável; de maneira inflexível: a população humana tem aumentado inexoravelmente. Implacavelmente; de maneira rigorosa e implacável; de modo a não ceder:

    Quem persiste inexoravelmente alcança seu objetivo.

    Etimologia (origem da palavra inexoravelmente). Inexorável + mente.

  • DICIONÁRIO CESPE

    Demasiado Adv. de intensidade, equivale a muito

    Fortuito =Por acaso

    Efêmero=Passageiro

    Indistinto=Incerto

    A despeito de= Independente de, APESAR DE

    Sobretudo / MORMENTE ou maiormente=Acima de tudo, principalmente

    Ao invés de= Inverso de

    Em vez de =No lugar de

    Incipiente=Inicial, início,novato, noob

    Eivado=Contaminado

    Repleto= Completo

    Circunscrever =Limitar/restringir

    Haja vista=Uma vez que, visto que, já que (obs. não existe "haja visto")

    Corroborar=Confirmar/ Ratificar

    Nesse ínterim=Exprime tempo ( ñ cabe o termo assim )

    Engendrar: Dar existência; formar, gerar.

    mormente = em primeiro lugar; acima de tudo; sobretudo, principalmente.

    Infligir (impor/aplicar); Infringir (Desobedecer/violar);  

    Imergir (afundar);  Emergir (trazer a tona);  

    Longínquo (longe);

    Ignota (remoto/não conhecido);  

    Em detrimento de (em perda dos);  

    Sob (em baixo do referente)

    Cotejar (comparar/confrontar); 

    Obstante (impede); 

    Exortar (estimular); 

    Mitigar (suavizar); 

    Acintosamente (Propositalmente).

    Auspicioso (esperançoso) 

    Desaparição (desaparecimento) 

    Porquanto (porque); 

    Dirimir (tornar nulo). 

    Perene (Eterno). Amiúde (frequentemente). 

    Indulgencia (perdoar culpas ou erros). 

    Subjaz (colocado abaixo de outra coisa; Vem do adjacente). 

    Galgar (andar/saltar). 

    Pairar (flutuar/voar).

    Resignação: (Aceitação/conformação)

    EVOCAR (lembrar)

     inexoravelmente: Implacavelmente; de maneira rigorosa e implacável; de modo a não ceder:

  • Com toda certeza, eu deixaria em branco.

  • Deixei em branco.

  • O advérbio “inexoravelmente” tem um de seus sentidos associado à ideia de “irreversibilidade”, “irredutibilidade”, o que o aproxima do significado de “definitivamente”.

  • Tenho percebido que para essas questões é mais útil entender o contexto que a palavra é aplicada do que saber o significado perfeito dela. É o raciocínio que tenho aplicado e acertado esse tipo de questões, fica a dica.

  • O colegal Gill arrasou no comentário!!! Não esquecer:

    Demasiado Adv. de intensidade, equivale a muito

    Fortuito =Por acaso

    Efêmero=Passageiro

    Indistinto=Incerto

    A despeito de= Independente de, APESAR DE

    Sobretudo / MORMENTE ou maiormente=Acima de tudo, principalmente

    Ao invés de= Inverso de

    Em vez de =No lugar de

    Incipiente=Inicial, início,novato, noob

    Eivado=Contaminado

    Repleto= Completo

    Circunscrever =Limitar/restringir

    Haja vista=Uma vez que, visto que, já que (obs. não existe "haja visto")

    Corroborar=Confirmar/ Ratificar

    Nesse ínterim=Exprime tempo ( ñ cabe o termo assim )

    Engendrar: Dar existência; formar, gerar.

    mormente = em primeiro lugar; acima de tudo; sobretudo, principalmente.

    Infligir (impor/aplicar); Infringir (Desobedecer/violar);  

    Imergir (afundar);  Emergir (trazer a tona);  

    Longínquo (longe);

    Ignota (remoto/não conhecido);  

    Em detrimento de (em perda dos);  

    Sob (em baixo do referente)

    Cotejar (comparar/confrontar); 

    Obstante (impede); 

    Exortar (estimular); 

    Mitigar (suavizar); 

    Acintosamente (Propositalmente).

    Auspicioso (esperançoso) 

    Desaparição (desaparecimento) 

    Porquanto (porque); 

    Dirimir (tornar nulo). 

    Perene (Eterno). Amiúde (frequentemente). 

    Indulgencia (perdoar culpas ou erros). 

    Subjaz (colocado abaixo de outra coisa; Vem do adjacente). 

    Galgar (andar/saltar). 

    Pairar (flutuar/voar).

    Resignação: (Aceitação/conformação)

    EVOCAR (lembrar)

     inexoravelmente: definitivamente

    defeso: proibido

    prescindível: dispensável

    imiscuir: misturar-se:

  • Inechorávelmente = Nem adianta chorar = já era = NÃO MUDA MAIS = INEXORAVELMENTE

  • GABARITO ERRADO

    TJ-RO 2012: Na linha 26, a palavra “inexorável” poderia ser substituída por inextrincável, sem prejuízo do sentido original do texto. ERRADO

    PREF. BOA VISTA 2019: Na linha 13, o advérbio “inextricavelmente” tem o significado de inexoravelmente. ERRADO

    CODEVASF 2021: O sentido original do texto e a sua correção gramatical seriam mantidos caso o vocábulo “inexoravelmente”, no último período do segundo parágrafo, fosse substituído por definitivamente. CERTO

    CÂMARA DOS DEPUTADOS 2014: Por sua natureza adverbial, o termo “inexoravelmente” (L.10), empregado como sinônimo de implacavelmente, poderia ser deslocado para o início do período, logo após a forma verbal “É” (L.8), sem prejuízo para a coerência e a correção gramatical do texto. ERRADO

  • A cespe ta maligna ultimamente, não coloca mais a linha e parágrafo para acharmos mais rápido!

    Crying

  • Atentem "Em relação ao sentido e correção gramatical"

  • deixo branco fácil.

    DEPEN

  • Que não se pode refutar; inelutável: julgamento inexorável

  • Cespe sendo Cespe...

  • Quem persiste inexoravelmente alcança seu objetivo

  • Nada detém a marcha inexorável do tempo, AVANTE BRASIL
  • são sinônimos

  • a cespe faz de tudo para um candidato nao fechar a prova kkkkk

  • Questãozinha top para deixar em branco no dia. C@g@r conhecimento aqui e agora é fácil

  • Meus últimos neurônios bolando um plano pra acertar a questão:

    Formação de palavras no Inglês:

    unrespectful = desrespeitoso

    Respectful = respeitoso

    Respect = respeito

    Formação de palavras no Português:

    inexoravelmente = ? (...) parece com diariamente, se eu tirar o final fica dia. vou tirar o velmente

    inexora = (...) melhorou, mas ainda não sei o que é, vou tirar esse ine, pq deve ser algum tipo de negação...

    xora = (ಥ﹏ಥ)

  • marcar aqui é facil,quero ver na hora da prova kkk

  • Tanto a professora quanto todos que estão tentando justificar o gabarito, sejam honestos: É muito contorcionismo. É falar que só porque um significado aproxima uma da outra podem ser sinônimos, sendo que sabemos não ser verdade. É como falar que incansável é sinônimo de descansado.

  • O advérbio “inexoravelmente” tem um de seus sentidos associado à ideia de “irreversibilidade”, “irredutibilidade”, o que o aproxima do significado de “definitivamente”.

    GAB: CORRETO

  • GALERA, SEM MI, MI, MI, DARIA PARA VER A IDEIA DO TEXTO E RESPONDER A QUESTÃO. Algumas questões do CESPE realmente tem que saber, porque o contexto não ajuda em nada, mas nessa questão o contexto já traz a ideia de DEFINITIVAMENTE . Percebe-se isso com próprios exemplos que o texto traz: "A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento"

  • Comecei a compreender que a banca tem esse estilo de partir mais para subjetividade em algumas questões do que propriamente pelo significado das palavras, já que inexoravelmente e definitivamente não possuem o mesmo significado.

  • Eu concordo com o Lidio, temos outras questões da banca sobre sinônimos que o fato de se aproximar não basta, enfim.

    Inexoravelmente = Implacavelmente; de maneira rigorosa e implacável; de modo a não ceder.

    Para a CESPE se não cede é definitivo :D

  • Comentário da professora.

    A questão requer compreensão textual, conhecimento acerca das classes gramaticais, especialmente o advérbio, e coerência textual.

    Tanto “definitivamente" quanto “inexoravelmente" são advérbios de modo.

    Inexoravelmente significa agir de modo inflexível, inelutável, ou seja, agir de modo que não fique mudando a todo instante.

    Definitivamente significa algo de modo decisivo, que não volta atrás, algo que permanece.

    Portanto, as duas palavras têm o mesmo significado e, por isso, sua substituição não prejudica o sentido original nem a correção gramatical.

    Gabarito da professora: CERTO.

  • É verdade que não existe sinônimo perfeito, mas não tentem forçar a barra falando em contexto porque esse não é o caso de o contexto definir a semântica da palavra, mas o contrário. Busquem nos dicionários e não encontrarão "inexorável" com mesmo sentido de "definitivamente". Este dá ideia de irreversibilidade; aquele, de que não há como escapar do que está por vir, mas o fato de não escapar não quer dizer que será, obrigatoriamente, algo definitivo. E só para desabafo, essa questão com certeza é um chute no saco daqueles que têm o hábito da leitura (e não se limitam a ler só quando fazem provas de concurso ou apenas leem livrinhos bobos de autoajuda divulgados por "coachs"), porque é bem provável que não se assustem com essa palavra.
  • Eu só lembrei da música: A natureza das coisas.

    Se avexe não / Amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada / Se avexe não / Que a lagarta rasteja até o dia em que cria asas. / Se avexe não / Que a burrinha da felicidade nunca se atrasa / Se avexe não / Amanhã ela para na porta da sua casa...

    ...Se avexe não / Toda caminhada começa no primeiro passo / A natureza não tem pressa, segue seu compasso /

    Inexoravelmente chega lá...

    Se avexe não / Observe quem vai subindo a ladeira / Seja princesa ou seja lavadeira / Pra ir mais alto, vai ter que suar...

    Tudo a ver com essa nossa vida sofrida de concurseiro.

  • embora conhecendo as palavras citadas, esse significado possível para ela não se encaixa no contexto.

    um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente(definitivamente), terá efeito retroativo em nossas condições de vida

    um mecanismo, lenta mas definitivamente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida

    (um mecanismo que realmente, com certeza, terá efeito retroativo em nossas condições de vida);

    um mecanismo, lenta mas ixeroravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida

    (um mecanismo que não pode ser mudado terá efeito retroativo em nossas condições de vida).

    AVANTE

  • Decore o dicionário cespe, vlw flw.

  • TODA PROVA TEM UMA DESSAS..

    SÃO AS MAIS DIFÍCEIS, PORQUE NÃO HÁ REGRA PARA APRENDER, OU VOCÊ CONHECE A PALAVRA, OU DEIXA EM BRANCO.

  • Essa dai tem que ser muito "macho" para responder na hora da prova.

  • Deixaria em branco sem peso na consciência. Segue o jogo.

  • Direto ao ponto!

    Ex.: A inexorável marcha do tempo... (Quem nunca ouviu essa frase!)

    Inexorável = imparável, inflexível, implacável, imparável..., ou seja, todos sinônimos remetem a algo Definitivo

    Afirmativa: O sentido original do texto e a sua correção gramatical seriam mantidos caso o vocábulo “inexoravelmente”, no último período do segundo parágrafo, fosse substituído por definitivamente.

    GABARITO: CERTO

    Olá, estou corrigindo redações para concurso, para mais informações envie email para fuvio10@outlook.com ou chame aqui! Experiência comprovada, por meio de provas corrigidas por bancas.

  • Questão boa pra deixar em branco. Saber que inoráxel é implacável okay, agora se a banca vai entender como sinônimo de definitivo ou não... Tem que ter coragem. rs

  • questão loteria... a banca escolhe o gabarito que quiser

  • Difícil entender a Cespe, viu.

  • GABARITO: CERTO

    A questão requer compreensão textual, conhecimento acerca das classes gramaticais, especialmente o advérbio, e coerência textual.

    Tanto “definitivamente" quanto “inexoravelmente" são advérbios de modo.

    Inexoravelmentesignifica agir de modo inflexível, inelutável, ou seja, agir de modo que não fique mudando a todo instante.

    Definitivamente: significa algo de modo decisivo, que não volta atrás, algo que permanece.

    Portanto, as duas palavras têm o mesmo significado e, por isso, sua substituição não prejudica o sentido original nem a correção gramatical.

    Bons Estudos!

    Autor: Elizabeth da Silva, Professora de Língua Portuguesa e Pós-Graduada em Língua Portuguesa., de Português

  • PORQUE ESTAR CERTO? VEJAMOS;

    O advérbio “inexoravelmente” tem um de seus sentidos associado à ideia de “irreversibilidade”, “irredutibilidade”, o que o aproxima do significado de “definitivamente”.

    CERTO

  • Esse tipo de questão é para colocar no gabarito quando se tem 100% de certeza. Na minha estratégia de prova quando vem questões assim costumo deixar em branco. O custo benefício é bem melhor.

  • Isso que a cespe faz, de ter seu próprio dicionário, é ridículo

  • Barra forçada mais uma vez... Mais uma de gabarito flutuante, poderia ser certo ou errado conforme a maré...

  • nunca mais respondo questão de sinônimo da cespe...

  • Não nasci com a capacidade de ter um dicionário na minha mente

  • INEXORÁVELMENTE,DEFINITIVAMENTE= adjunto adverbial de AFIRMAÇÃO

  • Nada detém a inexorável marcha do tempo!

  • Ambas são advérbios de modo:

    Inexoravelmente: agir de modo inflexível, inelutável, de modo que não fique mudando a todo instante.

    Definitivamente: algo de modo decisivo, que não volta atrás, algo que permanece.

  • Aqui vc responde, mas na prova se não tiver certeza melhor deixar em branco.

  • Deixava em branco sem pensar duas vezes. Essas questões de sinônimos, em sua maioria, são feitas para ficarem em branco.

  • Típica questão em que o cespe coloca o gabarito que quiser.

  • Ser aprovado em concurso é inexorável, inevitável, mas não é algo que se possa dizer definitivo ou para sempre, pois uma vez aprovado se uma simples questão for anulada ou revista em meu prejuízo não haverá mais aprovação.

    Mas a Banca deu como definitivamente CERTA a inexorável questão.

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R

  • NADA detém a inexoravel CESPE.

    Enfim, errei!

  • Meu raciocínio foi o seguinte :

    Ora, se eu for para a beira do precipício " INEVITAVELMENTE" irei cair , logo, se é inevitável, então DEFINITIVAMENTE irei cair.

    ...

    Obs: Sempre boto situações doidas nesse tipo de questão CESPE e na maioria das X dá certo ! hehe


ID
5028355
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

       Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso. Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    

     Os limites do crescimento marcam uma espécie de escassez, embora no mercado não se tornem imediatamente notados como tais. A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida, comparável a um parafuso de rosca que se aperta sempre mais.

     

       O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.


Thomas Kesselring. Depois de nós, o dilúvio. A dimensão do meio ambiente. In: Ética, política e desenvolvimento humano: a justiça na era da globalização. Benno Dischinger (Trad.). Caxias do Sul, RS: Educs, 2007, p. 222 (com adaptações).

Em relação aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item a seguir.


A correção gramatical e a coerência do texto seriam preservadas caso fosse suprimida a vírgula empregada logo após o vocábulo “como”, no segundo período do último parágrafo.

Alternativas
Comentários
  • ERRADA ❗❕

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas ...

    Oração temporal deslocada intercalada por vírgulas a supressão da vírgula acarretaria prejuízo !

  • GABARITO - ERRADO

    A vírgula em questão e depois de “montanhas” isolam a oração adverbial deslocada “ao se escalarem montanhas”. Portanto, a supressão de uma delas prejudica a correção gramatical.

  • Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera.

    → As vírgulas estão marcando uma oração subordinada adverbial temporal intercalada a retirada iria ocasionar erro na correção gramatical.

    GABARITO. ERRADO

  • ERRADO

    A vírgula em questão e depois de “montanhas” isolam a oração adverbial deslocada “ao se escalarem montanhas”. Portanto, a supressão de uma delas prejudica a correção gramatical.

  • Prejudica tanto a correção gramatical (tirando a vírgula de uma oração adverbial deslocada), quanto a coerência do texto.

  • GAB:ERRADO

    A vírgula está separando uma oração subordinada adverbial temporal anteposta à oração principal.

    Nesse caso a vírgula que está separando é obrigatória, pois a oração está intercalada e a retirada da vírgula ocasiona erro na correção gramatical.

    Assertiva:

    A correção gramatical e a coerência do texto seriam preservadas(erro) caso fosse suprimida a vírgula empregada logo após o vocábulo “como”, no segundo período do último parágrafo.

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. 

    ao se escalarem montanhas = quando escalarem montanhas.

  • A cespe adora perguntar sobre a faculdade da virgula e da crase, uma dica boa pra complementar os estudos de vocês.

  • GABARITO: ERRADO

    BASTAVA NOTAR A PREPOSIÇAO EM ( AO ) QUE IA PERCEBER QUE ESTA DESLOCADA, AI ERA SÓ IDENTIFICAR A OUTRA VIRGULA.

    QUEM FOI SÓ PELA LOGICA DO ADJ. ADV. DE CURTA EXTENSAO ERROU. POR ISSO NOTA-SE A IMPORTANCIA DA ANALISE DETALHADA.

  • Afobado erra fácil.... errei!

  • Extrapolando o assunto:

    O termo ASSIM, precedido de vírgula, introduz uma CONCLUSÃO

    Já sem a vírgula, trás a ideia de MODO.

    Ex:

    Pedro é um excelente atirador, assim como João - MODO

    Pedro é um excelente atirador. Assim, ele nunca erra o alvo. - CONCLUSÃO

  • A vírgula em questão e a depois de “montanhas” isolam a oração adverbial deslocada “ao se escalarem montanhas”. Portanto, a supressão de uma delas prejudica a correção gramatical.

    Gabarito: ERRADO

  • ERRADO

    Comentários equivocados. A vírgula não pode ser retirada, pois o termo que a segue é uma oração intercalada separada por vírgulas. Logo, teríamos um erro gramatical.

  • ao se escalarem montanhas = quando se escalarem montanhas (oração adverbial temporal intercalada )

    Complemento :

    AO + INFINITIVO = TEMPO    /  Quando .....

    POR + INFINITIVO = CAUSA / Porque, por que, já que.

    PARA + INFINITIVO = FINALIDADE

    A + INFINITIVO = CONDIÇÃO /    se, caso, desde que, salvo se, a menos que.

    APESAR DE + INFINITIVO = CONCESSÃO / embora, ainda que ,mesmo que .....

  • Oração subordinada adverbial temporal deslocada:

    "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente..."

    Ordem direta:

     "Assim como o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente ao se escalarem montanhas..."

    ***Oração adverbial deslocada deve ser intercalada por vírgula.

    Gabarito: ERRADO

  • (ERRADO)

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia ...

    Advérbio de tempo deslocado (ao se escalarem / no momento / quando?)

  • Ao se escalarem montanhas não seria um aposto explicativo ?

    Ele esta indicando que ali o ar fica mais rarefeito.

  • errado,

    Locução adverbial de modo...se fosse um adverbio só poderia...ex: Assim, ou Assim....

  • Oração deslocada vírgula obrigatória

  • Repare que os adjuntos adverbiais indicam circunstâncias que, dentro do contexto, expressam ideias de tempomodolugar, causanegaçãoafirmaçãodúvidainstrumento etc.

    A questão nos traz uma locução adverbial de tempo.

  • Virgula (,)

    1. Adjunto Adverbial Deslocado
    • Ordem normal --> Sujeito/ Verbo /Complemento/ Adjunto. Regra Geral = A maioria dos gramáticos entende que a vírgula é obrigatória quando o adjunto adverbial de grande extensão (>3) está deslocado.
    • Se a vírgula estiver antes das orações adverbiais a vírgula é facultativa
    • Se as orações adverbiais estiverem antes da vírgula ela é obrigatória
    • Mais do que isso, a jurisdição é a garantia do projeto constitucional, quando os outros poderes buscam redefinir os rumos durante a caminhada
    • oração subsequente é subordinativa adverbial que denota tempo (quando) = Virgula Facultativa
    • ex: Num tempo ainda anterior à minha infância, "a virgula não pode ser deslocada"

    1. Quando o "e" for aditivo a vírgula fica de forma facultativa
    • EXEMPLO: A dor de esperar terminoue o amor veio em fim.

    1. SUJEITO - VERBO - COMPLEMENTO = não se separam
    • Estudos mostram isso!! CERTO
    • Estudo mostram, isso!! Errado
    • Estudos, mostram isso!! Erraaaado
    • Estudos, mostram, isso!! Nunca, meu Deus misericórdia!!!!
  • ERRADO

    Galera, eu não entendo como ou pq vocês consideram uma "oração subordinada adverbial temporal".

    Tenta, por exemplo, substituir o termo "Assim como" por outra conjunção subordinada temporal (antes que, depois que, até que, logo que), nem irá respeitar a coerência do texto.

    A expressão é, na verdade, uma conjunção subordinada comparativa. Agora tenta substituir por outras conjunções comparativas (tal como, tanto como, tanto quanto, etc), viu como dá certo?

    Note que ela faz referência aos termos que estão após a vírgula do travessão. Quer ver?

    "Assim como, ao se escalarem montanhas....—, a fauna e a flora..."

    A banca quis confundir os candidatos com uma oração enorme e cheia de vírgulas.

    Por isso, cuidado e mais atenção!

  • Macete - Janaína Arruda

    "Oração deslocada será virgulada"

  • Oração Subordinada Adverbial: Separadas por vírgulas, obrigatoriamente, quando estiverem intercaladas. (A supressão de uma sas vírgulas, implicaria em incorreção gramatical).
  • Vamos lá, galera! já já chega à nomeação.

  • GABARITO ERRADO.

    ESTAMOS COM UMA ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL TEMPORAL (OSAT) DESLOCADA, AO RETIRAR A VÍRGULA COMO PROPOSTO DEIXA A ALTERNATIVA ERRADA.

    TODA ORAÇÃO POSSUI VERBO POR ISSO É UMA OSAT. LOGO SE ESTÁ INTERCALADA O USO DO PAR DE VÍRGULA É OBRIGATÓRIO.

    [...]ao se escalarem montanhas[...].

    > CONJUNÇÃO ADVERBIAL DE TEMPO:ao

    > VERBO: se escalarem

    > SUJEITO: montanhas

  • "AO SE ESCALAREM MONTANHAS" equivale a " QUANDO ESCALAREM MONTANHA"

    oração subordinada temporal reduzida.

    nao pode se retirar a virgula, pois ela esta intercalada, ou seja, fora de sua ordem canonica

  • A oração esta na ordem indireta, o adjunto adverbial deslocado para o inicio da frase faz com que seja obrigatório o uso da vírgula, posto que, "assim como" é adjunto adverbial de tempo e "escalar" é verbo e montanhas "sujeito".

    OD = S+V+CV+.... (Fugiu desta regra, emprega-se vírgula).

  • Só uma dica:

    Coerência é diferente de Sentido;

    Coerência = lógica do texto

    fonte: https://www.youtube.com/watch?v=TwRGE7THObk

    Prof. Décio Terror.

  • GABARITO - ERRADO

    A vírgula em “montanhas” isolam a oração adverbial deslocadaao se escalarem montanhas”. Portanto, a supressão de uma delas prejudica a correção gramatical.

  • Use a vírgula para separar orações subordinadas adverbiais quando antepostas ou no meio da

    principal, bem como as orações reduzidas do gerúndio, particípio e infinitivo que equivalem a

    orações adverbiais.

  • prejudicaria a correção gramatical..

  • poque será que o examinador não colocou o numerao da linha, a prova de português ja é enorme, textos imensos e a praga nem enumera.

  • Adjuntos adverbiais de PEQUENA EXTENSÃO podem vir SEM VÍRGULAS.

    Ex.: Hoje, eu vou beber até perder a memória.

    Hoje eu vou beber até perder a memória.

    ORAÇÕES ADVERBIAIS ANTEPOSTAS À PRINCIPAL devem vir MARCADAS POR VÍRGULAS, --> MESMO QUANDO CURTAS.

    Ex.: Embora fosse impossível, ela bebeu até perder a memória. (vírgula obrigatória).

  • gabarito e

    eu queria muito muito um comentário de professor nessa questão, para confirmar se 'ao'' pode ser equiparada a uma conjunção temporal. Porque ai seria com certeza uma oração subordinada adverbial temporal DESLOCADA. precisando então de vírgula.

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —,

    o ''ao'' é oficialmente uma preposição. Eu sigo na dúvida se isso é uma oração subordinada adverbial temporal.

  • ORAÇÕES INTERCALADAS OU INTERFERENTES

    Não estabelecerem nenhuma dependência sintática entre os demais termos que compõem a oração. Elas existem, sim, no sentido de fazer uma advertência, inserir uma opinião, observação ou ressalva.

     

    Aguardamos ansiosos, disseram os alunos, pela entrega dos resultados.

    Tudo se acertará – creio eu – muito em breve.

    Gostaram dos presentes? – perguntou a madrinha.

    Aquelas palavras (sábias, por sinal) me fizeram compreender que precisava mudar de opinião.

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente...

    Orações intercalada e sua retirada alteraria o sentido do texto.

  • USO OBRIGATÓRIO DAS VÍRGULAS:

    --> ENUMERAÇÃO

    EX: ELA ENTENDEU O PROBLEMA, A SOLUÇÃO, AS CAUSAS E AS CONSEQUÊNCIAS.

    --> EM VOCATIVOS

    EX: “VANESSA, PRECISO FALAR COM VOCÊ.”, “EAI, GALERA”, “MÃE, PRECISO DE ALGO”.

    -->QUANDO O ELEMENTO ESTIVER DESLOCADO

    NESSE CASO, A VÍRGULA É PARA IDENTIFICAR QUE O ELEMENTO ESTÁ DESLOCADO.

    QUAL ELEMENTO? NORMALMENTE UM ADJUNTO ADVERBIAL ( uma palavra ou um grupo de palavras que modifica ou define mais de perto a frase ou o verbo. LUGAR, TEMPO E MODO).

    EX: NA NOITE PASSADA, VOCÊ VEIO ME VER.

    A ORDEM "NORMAL" SERIA VOCÊ VEIO ME VER NA NOITE PASSADA.

    NA NOITE PASSADA É ADVERBIAL DE TEMPO, LOGO, PERCEBE-SE QUE ELE ESTÁ DESLOCADO, DESSE MODO, PRECISA DE VÍRGULA.

    ORDEM NORMAL = SUJEITO + VERBO + COMPLEMENTO

  • Galera, primeiramente: O Examinador não GOSTA da gente, ele quer que a gente se LASQUE! Vejam que ele NEM enumerou a linha pra gente poder se basear, podendo facilmente confundir a gente quando fala "no segundo período do último parágrafo.", quem lê rápido (como eu fiz) pode pensar que está no 2° parágrafo e consequentemente errar! Mas vejam que há, depois do como, uma oração intercalada e SEMPRE SERÁ COM VIRGULA!

    FOCO PMTO. ABS SD GARCIA.

  • GABARITO: ERRADO

     Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    Veja que temos um termo isolado por vírgulas - ao se escalarem montanhas - logo, não mantém a correção gramatical tirando somente um vírgula. Além disso, percebe que mesmo tirando às duas vírgulas havera alteração no sentido explicativo para especifico.

    @MOURA_PRF

     

    #FÉ NA MISSÃO

     

    "DESCOBRI QUE EU ERA CAPAZ DE REALIZAR QUALQUER COISA, DESDE QUE ESTIVESSE DISPOSTO A PAGAR O PREÇO".

     

    "NÃO IMPORTA O MOMENTO DA SUA VIDA, SEMPRE EXISTEM MOTIVOS PARA CONTINUAR A LUTAR PELOS SEUS SONHOS E TER ESPERANÇA EM NOVOS RECOMEÇOS."

  • Nessa questão, não pode ser tratada a extensão? Tipo, +2 palavras a oração tem que ter a inserção da vírgula.

    Alguém tire essa dúvida, por gentileza

  • Beloveds,

    A CESPE/CEBRASPE ama fazer isso. Leiam apenas as partes destacadas:

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. (Tem coerência)

    Assim como ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. (Perceba que não tem coerência)

  •   O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente —

      ( forma direta ) O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. O ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente, Assim como ao se escalarem montanhas

    adjunto adverbial de modo deslocado

  • alguém, me ajuda nessa ?

    minha dúvida:

    Sabendo que orações adverbias (causais, comparativas e por aí vai) deslocadas devem possuir pontuação (única se no início do período e "dupla" ,intercalada, se no meio deste ),

    sabendo ainda da regra da facultatividade de pontuação do adjunto adverbial "curto" deslocado (de até duas palavras),

    caso eu suprimisse a primeira vírgula do período em análise não restaria uma única oração adverbial deslocada, no início de período, e portanto suscetível a uma única vírgula após à mesma????? desta forma:

    Assim como ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas.

    oração adverbial deslocada, sujeito verbo objeto direto.

  • "ao se escalarem montanhas" é um adjunto adverbial intercalado, por isso está sendo delimitado por vírgulas.

    Essas vírgulas não podem ser retiradas.

    Gab.: ERRADO!

  • Sendo mais direto e pratico.

    expliCativa - Com vírgula

    reStritiva - Sem vírgula

  • Usa-se a vírgula diante de Oração Subordinada Adverbial deslocada.(obrigatoriamente)

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciada mente

    ORAÇÃO SUBORDINA ADVERBIAL COMPARATIVA

    Assim como ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente

  • Sempre coloque o período na ordem certa.

  • Melhor e mais prático impossível:

    Quando na questão puder alterar o "assim" por 'portanto', a vírgula é facultativa.

  • como

    assim como

    tal

    qual

    tanto como

  • Cara, tem muito comentário errado nessa questão, isso pode prejudicar quem está começando. Na minha opinião, o melhor comentário foi o do Maybe Jardel, ele matou a questão.

  • Coerência é diferente de sentido.

  • GABARITO: ERRADO

     Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente (...).

    Adjunto adverbial de longa extensão intercalado: vírgulas obrigatórias. O adjunto adverbial de longa extensão é aquele formado por três termos ou mais. Nesses casos, a vírgula é obrigatória.

    Não pare até que tenha terminado aquilo que começou. - Baltasar Gracián.

    -Tu não podes desistir.

  • ERRADO.

    A questão exige conhecimentos sobre pontuação, especificamente sobre os usos da vírgula.

    Vejamos o trecho:

    "Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera."

    Pessoal, a vírgula após o "como" está isolando, bem como a vírgula após "montanhas", a oração subordinada adverbial temporal reduzida de infinitivo "ao se escalarem montanhas", a qual está deslocada de sua posição original.

    Nesse caso, as vírgulas são obrigatórias, e sua supressão implicaria incorreção gramatical.

    Logo, item incorreto.

  • Assim como está fazendo o papel de um elemento de um conectivo, não há o que se falar em restritiva ou explicativa (no caso das virgulas) nesse contexto. Logo após conectivos usa-se virgula.

    Assim como,

    Portanto,

    Além do mais,

    etc..

  • Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez ...

    O elemento intercalado me parece um Adjunto Adverbial de tempo, se estiver errado me corrijam, por favor.

    Mas, de qualquer forma, ele tem mais de 3 elementos. Sendo assim, o uso da vírgula torna-se obrigatório.

  • A vírgula em questão e depois de “montanhas” isolam a oração adverbial deslocada “ao se escalarem montanhas”. Portanto, a supressão de uma delas prejudica a correção gramatical.

  • ''Assim não tem como". kkkkk.

    para descontrair. kk..

    bons estudos, amigos.

  • Quem está em pleno sábado respondendo questões e tomando um cafezinho, é quase um anjinho.

    Pessoas diferentes, requer amigos diferentes, parceiros diferentes, nunca aceito menos que você merece. Confia e segue, caso esteja difícil o trem é porque você estar no caminho certo.

    Força e coragem, pra cima crianças !

  • Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas ...

    orações intercaladas devem sempre ficar isoladas entre vírgulas

  • A cespe tá mudando seu perfil

  • Dá ate medo de marcar esse tipo de questão

  • ERRADO

    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais,

    • Adjunto adverbial de tempo em posição deslocada = vírgula obrigatória
  • Errado

    Com vírgula= Explicativa

    Sem vírgula= Restritiva

  • Se vírgula há, explicativa será. Se vírgula não há, restritiva será.

  • A questão cobra conhecimentos sobre o uso da vírgula em locuções conjuntivas

    Para facilitar, que tal relembrarmos algumas regras em relação ao uso da vírgula antes dessas locuções? Vamos lá? 

    REGRA GERAL: não se usa vírgula depois da locução conjuntiva assim como

    EXCEÇÃO À REGRA: porém, quando, após a conjunção, tivermos de introduzir uma expressão que fica entre vírgulas, obrigatoriamente, termos de colocar uma vírgula após a locução conjuntiva assim como. 

    Exemplo: Ana me disse que não irá vender a casa, assim como, conforme a vontade do pai , ela não vai se desfazer do carro. 

    Por que, na frase acima, a vírgula depois da locução conjuntiva assim como é obrigatória? 

    Porque aquilo que vem depois da locução assim como é uma oração intercalada que explica algo. Resumindo: o trecho conforme a vontade do pai é uma oração intercalada. E de acordo com as regras gramaticais, as orações intercaladas devem, sempre, serem isoladas entre vírgulas. 
    Agora, voltemos à questão. Analisando o enunciado temos: 

    A correção gramatical e a coerência do texto seriam preservadas caso fosse suprimida a vírgula empregada logo após o vocábulo “como", no segundo período do último parágrafo. 

    Vamos analisar o trecho ao qual o enunciado se refere. 
    Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente. 

    O trecho destacado em vermelho é uma oração intercalada que fica entre a locução assim como e a explicação a respeito do ar ser rarefeito quando se escalam montanhas. 

    Portanto, como se trata de uma vírgula que é obrigatória, pois introduz uma oração intercalada, a afirmativa do enunciado está errada. 


    Gabarito do Professor: ERRADO.
  • "ao escalarem montanhas" trata-se de uma oração subordinada adverbial temporal reduzida de ifinitivo e sempre que deslocadas, Usar-se-á a vírgula
  • A vírgula é depois de Como sim. Mas ela não está aí pelo Como, e sim fazendo par com a vírgula depois de montanhas para isolar a oração adverbial: , ao se escalarem montanhas,

  • Gabarito:Errado

    Principais Dicas de Pontuação:

    • Vírgula: Não pode ser colocada entre sujeito e verbo e verbo e complemento; Adjunto adverbial (Início e Meio da oração - obrigatório se tiver acima de 3 palavras e facultativo se tiver menos de 3 palavras e no Final é facultativo); Tem função de enumerar, aposto explicativo, isolar vocativo e zeugma; Orações (Coordenadas - mesmo sujeito (não se usa vírgula) e sujeitos distintos (usa-se vírgula facultativa, exceto quando o "e" estiver dando ideia adversativa, isto é, substituído por "mas") e Subordinadas (Substantivas (não se usa), Adjetivas (Restritiva - não usa vírgula e da uma ideia de "único" e expliCativa - Com vírgula e da uma ideia de "todos") e Adverbial (Ordem direta - facultativo e ordem indireta - Obrigatório)
    • Ponto e Vírgula: Separa incisos de leis e orações coordenadas assindéticas de sindéticas.
    • Dois Pontos: Citação e fala de personagens.

    FICA A DICA PESSOAL: Estão precisando de planejamento para concursos? Aulas de RLM SEM ENROLAÇÃO? Entrem em contato comigo e acessem meu site www.udemy.com/course/duartecursos/?referralCode=7007A3BD90456358934F .Lá vocês encontraram materiais produzidos por mim para auxiliar nos seus estudos. Inclusive, acessem meu perfil e me sigam pois tem diversos cadernos de questões para outras matérias, como português, leis, RLM, direito constitucional, informática, administrativo etc. Vamos em busca da nossa aprovação juntos !!

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R


ID
5028358
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

       Desde fim dos anos 80 do século passado, o efeito estufa como ameaça ecológica número um não é mais contestado. Embora não se possa provar, irrefutavelmente, que o aumento até agora medido das temperaturas anuais médias (em torno de um grau nos últimos cem anos) se refere ao desenvolvimento humano, essa suposição tem, no entanto, muita probabilidade de ser correta — de tal forma que seria irresponsabilidade deixar as coisas seguirem seu curso. Um primeiro sinal de que o clima mundial já começou a mudar é o aumento de anomalias meteorológicas — ciclones, períodos de seca e trombas-d’água diluvianas — desde os anos 90 do século passado.

    

     Os limites do crescimento marcam uma espécie de escassez, embora no mercado não se tornem imediatamente notados como tais. A atmosfera, por exemplo, não funciona como um reservatório, que um dia esvaziará e outro dia será novamente enchido por bombeamento (a isso, o mercado poderia ao menos reagir em curto prazo), mas como um mecanismo que, lenta mas inexoravelmente, terá efeito retroativo em nossas condições de vida, comparável a um parafuso de rosca que se aperta sempre mais.

     

       O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. Assim como, ao se escalarem montanhas, o ar cada vez mais rarefeito nas alturas desafia os alpinistas diferenciadamente — uns mais, outros menos —, a fauna e a flora, em regiões diferenciadas, reagem diferentemente ao aquecimento da atmosfera. Uma das preocupações mais sérias é provocada pela velocidade com que já está ocorrendo a mudança climática. Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.


Thomas Kesselring. Depois de nós, o dilúvio. A dimensão do meio ambiente. In: Ética, política e desenvolvimento humano: a justiça na era da globalização. Benno Dischinger (Trad.). Caxias do Sul, RS: Educs, 2007, p. 222 (com adaptações).

Em relação aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item a seguir.


O vocábulo “demasiado” pertence à mesma classe de palavras em ambas as suas ocorrências no primeiro e no último período do último parágrafo.

Alternativas
Comentários
  • Gab. E

    Na primeira ocorrência "O limite do demasiado", “demasiado” é substantivo, pois é substantivado pelo artigo "o" da contração [de + o]. Já na segunda passagem "poderá exigir demasiado", “demasiado” é advérbio, pois atribui uma circunstância ao verbo.

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • gaba ERRADO

    adotam significados diferentes.

     [...]O limite do exagero é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos

    [...]  Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir um excesso de esforço da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    pertencelemos!

  • ❌ERRADO❗❕

  • GABARITO OFICIAL - ERRADO

    Em “O limite do demasiado”, “demasiado” atua como substantivo, determinado pelo artigo presente na contração “do”. Já em “poderá exigir demasiado”, atua como advérbio modificador da locução verbal “poderá exigir”.

    Fonte: Professor José Maria.

  • É, eles realmente tiraram o auxílio "linha tal" kk

    Apelação nível máximo nas cobranças.

  • O limite do demasiado = Artigo antes de demasiado substantivando-o (SUBSTANTIVO)

    Exigir demasiado da capacidade = Exigir muito da capacidade -> (ADVÉRBIO)

  • 1ª Ocorrência: Substantivo;

    2ª Ocorrência: Advérbio de intensidade (podendo ser substituído por DEMAIS).

  • GAB:ERRADO

    Substantivo: (“demasiado” atua como substantivo, determinado pelo artigo presente na contração “do”)

    O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos.

    Advérbio de intensidade:

    Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado (exageradamente) da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    Fonte: https://www.direcaoconcursos.com.br/artigos/gabarito-comentado-com-propostas-de-recursos-portugues-codevasf/#:~:text=06)%20O%20voc%C3%A1bulo%20%E2%80%9Cdemasiado%E2%80%9D,%C3%BAltimo%20per%C3%ADodo%20do%20%C3%BAltimo%20par%C3%A1grafo.&text=Gabarito%20Oficial%3A%20ERRADO-,Coment%C3%A1rios%3A,presente%20na%20contra%C3%A7%C3%A3o%20%E2%80%9Cdo%E2%80%9D.

  • É, eles realmente tiraram o auxílio "linha tal" kk

    Apelação nível máximo nas cobranças.

    Apolonio Neto, 2020

  • Cebraspe, seu lindo, resolveu agora exigir da gente achar parágrafo pra encontrar a resposta da questão? Inovação Cebraspe versão 2021. Lindo de ver "sentar na graxa" se não treinarmos daqui pra frente nesse novo estilo de cobrar questões. Vamos estudar colegas!

  • G-E

    Primeiro ponto a ser analisado é que "classe de palavras" é o mesmo que morfologia, isto é, advérbios, adjetivos, substantivos, e etc..

    Segundo: No primeiro período, é possível deduzir que há o artigo definido "O" substantivando o termo.

    Terceiro: No último período,  "...poderá exigir demasiadamente da capacidade adaptativa de muitas espécies". Além de modificar uma locução verbal, é possível confirmar ser um advérbio com a inclusão de "mente" ao final do termo.

  • GAB:ERRADO

  • A banca quer eliminar não aprovar.

  • Quando pergunta classe gramatical, ela quer saber se é um substantivo, adjetivo, verbo.... ( as 10 classes gramaticais)

    Na primeira demasiado é um substantivo contraído junto com a artigo definido DO

    Agora o que facilita diferenciar é a segunda, no caso é um adverbio ( adverbio é aquele que da qualidade), o adjetivo na maioria das vezes sempre da pra substutuir por outro.

    ex: Os alunos do q concurso são exageradamente estudiosos.

    OS ALUNOS DO Q CONCURSOS SAO DEMASIADO ESTUDIOSOS.

    Se tive algum erro,, peça que me corrigam

    Nao cai um folha no chão sem a permissão de DEUS

  • Em “O limite do demasiado”, “demasiado” atua como substantivo, determinado pelo artigo presente na contração “do”. Já em “poderá exigir demasiado”, atua como advérbio modificador da locução verbal “poderá exigir”.

    Gabarito: ERRADO

  • Artigos possuem o raio Substantivador

  • O primeiro: substantivo (o artigo antecedente confirma isso)

    O segundo: advérbio (modifica um verbo que compõe uma locução).

  • O pessoal chora até por ter que identificar um período, pelo amor de Deus.

  • Substantivo e Advérbio

  • O que está acontecendo com o CESPE/CEBRASPE gente? Inovando pra pior e tentando dificultar ainda mais nossa vida, retirando das perguntas "na linha xx" por exemplo?

  •  Pessoal, o termo "demasiado" em sua primeira ocorrência não substantivo, é complemento nominal.

     

    1º Ocorrência:

     

    "O limite do demasiado é invisível"

     

     

    Percebam que o termo "do demasiado" é complemento nominal do substantivo "Limite", este vem determinado pelo artigo "o", em "O Limite" o que prova que este que é o substantivo que vem precedido de artigo definido.

     

    Já no segundo caso é advérbio de intensidade com sentido de "muito"

     

    2ª Ocorrência:

     

    Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies

     

    Colocando na ordem direta:

     

    Ela poderá exigir demasiado (muito) da capacidade adaptativa de muitas espécies se não for eficazmente freada

     

     

     

    "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim (João 14:6)".

  • Nós nunca mais esqueceremos o que é um período kkk

  • de + o (artigo) + demasiado ---> O ARTIGO TORNA-O UM SUBSTANTIVO.

    poderá + exigir + demasiado ---> FUNCIONA COMO ADVÉRBIO DE INTENSIDADE

  • Excelente questão exige conhecimento básico do candidato :

    de + o + demasiado = Substantivo

    exigir demasiado = Advérbio

  • quase que eu escorrego nessa casca de banana.

  • GABARITO ERRADO.

    --- > O limite do demasiado = SUBSTANTIVO.

    [...] poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    --- > poderá exigir demasiado = ADVÉRBIO DE INTENSIDADE, QUE MODIFICA O VERBO.

    --------------------------------------------------------------

    * advérbio é a classe gramatical das palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou outro advérbioE também toda uma oração.

  • O limite "disso" - Isso sempre substitui um substantivo, lembre-se das orações subordinadas substantantivas.

    pq podemos usar aquele macete de trocar por "isso", justamente pq o isso substitui substantivos.

    Usei essa técnica, porém, há outros meios como os ditos anteriormente.

  • Fiquei igual um otário procurando no primeiro parágrafo, só depois vi que era a primeira parte do último parágrafo.

    Que fase..

  • Para aumentar o vocabulário:

    Demasiado que ultrapassa o natural ou o ordinário; excessivo, exagerado.

  • Eu analisei assim, o Primeiro está preposicionado, o segundo não, então não é mesma classe!! rs

  • 1ª ocorrência: do demasiado = de + o demasiado = SUBSTANTIVO.

    Ainda sobre essa ocorrência, o termo "do demasiado" está relacionado ao substantivo abstrato "limite". Se analisarmos, quando a ser Agente ou Paciente, o termo será Paciente, consequentemente tem função de Complemento Nominal.

    2ª ocorrência: poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies. Nessa ocorrência, demasiado modifica (intensificando) o sentindo do verbo. Portanto, se altera um verbo, trata-se de ADVÉRBIO.

    Nessa ocorrência, o termo tem função de Adjunto Adverbial de Intensidade.

  • Adjunto Adnominal / Advérbio

  • Gab. ERRADO

    1 - Substantivo

    2 - Advérbio

  • 1- substantivo

    2-advérbio

  • " O limite do demasiado" : Substantivo

    "Exigir demasiado" : Advérbio de intensidade

  • Acertei, mas errei!

  • O CONCURSEIRO NÃO TEM UM DIA DE PAZ ATÉ OS NUMEROS DAS LINHAS ELES TIRARÃO

  • Já que eu chutei a questão por não lembrar o que era DEMASIADO , está ai o significado .

    adjetivo

    Que está ou se encontra acima do considerado normal; excessivo:

    ex: tinha um amor demasiado pelos filhos.

    Que vai além do comum ou vulgar; desregrado:

    ex: ele era demasiado para beber.

    Que é dispensável pela dimensão ou pelo caráter excessivo:

    ex: um prédio demasiado para poucas pessoas.

    advérbio

    De maneira exagerada; em que há excesso; exageradamente: o cantor era demasiado nervoso.

  • GABARITO ERRADO

    demasiado.

    Adj. 1. Excessivo:

    luxo demasiado;

    demasiada ambição.

    Adv. 2. Excessivamente:

    A ladeira era demasiado íngreme para que o velho a pudesse subir.

  • Classe de palavras é Morfologia...Uma é substantivo; a outra é Advérbio.

  • Na primeira situação "O limite do demasiado", “demasiado” é substantivo, já o segundo "poderá exigir demasiado", “demasiado” é advérbio

  • No primeiro período, Demasiado atua como SUBSTANTIVO, no último atua como ADVÉRBIO.

  • Alguem poderia me explicar ???

    Adverbio por causa que modifica '' exigir'' ???

  • Acertei por conhecer estas típicas questões do cesp ou seja a malandragem do cesp

    1. Na primeira ocorrência "O limite do demasiado", “demasiado” é substantivo, pois é substantivado pelo artigo "o" da contração [de + o].
    2. NA Segunda passagem "poderá exigir demasiado", “demasiado” é advérbio, pois atribui uma circunstância ao verbo.
  • O limite do demasiado

    O limite de + o demasiado = substantivo

    Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade...

    Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado = Adverbio.

  • Só uma ressalva: classe de palavra é a natureza da palavra, no caso em questão trata-se de um adjetivo. A questão confunde classe de palavra como função morfológica, no caso, o emprego da palavra, que na questão demasiado está empregada de formas diferentes. Primeiro está empregada como substantivo em um complemento nominal e no segundo caso exerce função de adjunto adverbial ao se referir ao verbo exigir.

  • Em “O limite do demasiado”, “demasiado” atua como substantivo, determinado pelo artigo presente na contração “do”. Já em “poderá exigir demasiado”, atua como advérbio modificador da locução verbal “poderá exigir”.

    GAB: ERRADO

    FONTE DOS MEUS RESUMOS: curso sou mais Alfacon!

  • O limite do demasiado = substantivo

    A irrigação poderá exigir demasiado= advérbio de modo.

  • As classes de palavras não são estas:

    VERBO

    ADJETIVO

    SUBSTANTIVO

    PRONOME

    ARTIGO

    NUMERAL

    CONJUNÇÃO

    INTERJEIÇÃO

    PREPOSIÇÃO e

    ADVÉRBIO

  • Gab: Errado

    Matei essa questão pelo primeiro período, onde identifica-se a contraposição da preposição antes do substantivo. hehe.

  •  Na primeira frase, demasiado é um adjetivo (palavra que expressa qualidade) e tem o sentido de algo que se encontra acima do normal, algo excessivo.

     

    Já na segunda frase, demasiado é um advérbio (palavra que modifica o sentido de um verbo, de um adjetivo ou do próprio advérbio). 

  • Gab.Errado Na primeira ocorrência ele é substantivo e na segunda advérbio.
  •  GABARITO: ERRADO

    A palavra assume um sentido diferente dependendo da classe gramatical na qual ela aparecer.

    Na primeira frasedemasiado é um adjetivo (palavra que expressa qualidade) e tem o sentido de algo que se encontra acima do normal, algo excessivo.

    Na segunda frasedemasiado é um advérbio (palavra que modifica o sentido de um verbo, de um adjetivo ou do próprio advérbio). Notem que grifei o modifica o sentido. Olhem a polissemia aparecendo novamente. Voltando: na segunda frase, demasiado é um advérbio que muda o sentido do termo demasiado quando este aparece como adjetivo. Parece complicado, mas não é. Vamos com calma:

    •  Demasiado (primeira frase), como adjetivo, qualifica o limite.
    • Já a segunda ocorrência de demasiado, como advérbio, traz uma ideia de demais, que, por sua vez, é outro advérbio.

     Resumindo: mesmas palavras, classes gramaticais e sentidos diferentes.

    Autor: Carlos Ferreira, Mestre e Doutor em Teoria e História Literária pela UNICAMP. Formado em Letras pela Unicamp. Corretor de redação para concursos da banca Cespe/UnB e Vunesp. Corretor do Vestibular UNICAMP., de Português.

    Bons Estudos!

  • ERRADO.

    A questão exige conhecimentos sobre as classes de palavras. Vejamos os trechos em tela:

    "O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos."

    Pessoal, nesse caso, a palavra "demasiado" é classificada como substantivo; reparem como está substantivada pelo artigo "o", na contração "do" (de + o).

    "Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies."

    Nesse caso, "demasiado" é um advérbio de intensidade; vejam como está modificando a locução verbal "poderá exigir". É equivalente a muito, bastante:

    Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir bastante da capacidade adaptativa de muitas espécies.

    Como são classes diferentes, o item está incorreto.

  • Demasiadamente

  • Gabarito: E

    • 1° Demasiado é Substantivo por conta do artigo: "do(de+o) demasiado"
    • 2° Demasiado é Advérbio
  • Questão feita pra polêmica. É só a opinião do examinador o último demasiado ser sintagma adverbial, não há contrassenso em defendê-lo como sintagma nominal substantivo

  • Ahhhh, o CESPE fede!

    • Adjetivo - qualifica o Substantivo limite
    • Advérbio - modifica o Verbo exigir

  • Em “O limite do demasiado”, “demasiado” atua como substantivo, determinado pelo artigo presente na contração “do”. Já em “poderá exigir demasiado”, atua como advérbio modificador da locução verbal “poderá exigir”.

  • Esta questão trabalha com dois conhecimentos, que devem ser mobilizados, simultaneamente, pelo candidato para que ele responda corretamente, a saber, conhecimentos acerca de classes gramaticais (como o próprio enunciado diz) e conhecimentos acerca da capacidade de uma palavra adquirir mais de um sentido, isto é, a polissemia. 

    Mas o que isso quer dizer? 

    Que gramática e sentido andam de mãos dadas em várias circunstâncias e que quanto mais conhecimentos o candidato tenha a respeito, melhor. Não que seja impossível responder à questão sem o conhecimento de polissemia, no entanto, a tarefa fica mais difícil, pois a palavra demasiado assume sentidos diferentes quando aparece em classes gramaticais diferentes. 

    Dito isto, é hora da resolução. 

    O enunciado pede que julguemos a seguinte afirmação: “O vocábulo demasiado pertence à mesma classe de palavras em ambas as suas ocorrências no primeiro e no último período do último parágrafo". 

    Retirei do texto associado as duas ocorrências mencionadas pelo enunciado. Vejam: 

    O limite do demasiado é invisível e também não pode ser determinado diretamente por experimentos. 

    Se ela não for eficazmente freada, poderá exigir demasiado da capacidade adaptativa de muitas espécies. 

    O primeiro demasiado atua como substantivo, marcado pela presença do artigo o como seu antecedente. 

    Já na segunda frase, demasiado é um advérbio (palavra que modifica o sentido de um verbo, de um adjetivo ou do próprio advérbio). No caso, o advérbio demasiado amplia o sentido de outro advérbio – eficazmente – colocando dois advérbios de modo em paralelo. 

    Como se tratam de duas ocorrências da palavra demasiado, mas em classes gramaticais diferentes, a afirmação do enunciado está errada. 

    Gabarito do professor: Errado.
  • Gabarito  ERRADO

    Explicação em vídeo.

    O link já vai direto para a questão.

    https://youtu.be/oky5mKCDFYY?t=1326

    Fonte: Estratégia Concursos - Prof. Adriana Figueiredo

  • QUESTÕES DE CLASSES DE PALAVRAS

    DO=> (ARTIGO) DEMASIADO=> SUBSTANTIVO

    EXIGIR=>(ADVERBIO) DEMASIADO =>ADVERVIO=> DEMASIADAMENTE

    NÃO PERTENCEM A MESMA CLASSE GRAMATICAL

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • Primeiro Adj. Adnominal

    Segundo Objeto direito

    Gab: E

  • O primeiro é substantivo;

    O segundo adverbio;

  • Olá, pessoal.

    Estou vendendo minha conta QC (ASSINATURA PREMIUM PLUS VITALÍCIO).

    Paguei R$ 439,90 e estou repassando por R$200.

    Quem tiver interesse me mande uma msg no whatsapp:

    https://abre.ai/dHz0

    Agradeço.

  • Gab: ERRADO

    •  O limite do demasiado é invisível >>>> Aqui ele atua como um Substantivo

    • poderá exigir demasiado">>>>> Aqui o “demasiado” é um advérbio 

  • Não tinha conhecimento sobre a palavra, mas achei estranho a preposição vir antes da primeira ocorrência.


ID
5028361
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


No período “Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas.”, no segundo parágrafo, a expressão a irrigação poderia ser inserida antes da locução “era utilizada” — a irrigação era utilizada — sem prejuízo dos sentidos originais do texto.

Alternativas
Comentários
  • ✔CORRETA.

    (...)  O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro.

    Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era (a irrigação) utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas...

  • GABARITO - CERTO

     Desde o primeiro parágrafo, fala-se de irrigação. Mantendo-se a coerência e a coesão das ideias, deve-se sim considerar “a irrigação” como sujeito oculto de “era utilizada”.

  •  CERTO

    O Brasil, [...] não se baseou, no passado, na irrigação, [...]. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, [a irrigação] era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas.

    • O contexto imediato é sobre irrigação;
    • O termo 'Irrigação' foi mencionado antes e ocultado posteriormente. Pode ser uma ZEUGMA.

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade."

  •  O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    Irrigação ou técnica caberia uma ou outra.

  • GAB C

    o que era utilizada? a irrigação.

    Elipse é uma figura de linguagem que ocorre quando um termo é omitido, mas fica subentendido pelo contexto.

  • ELIPSE- Uma omissão, assim como na desinência.

  • Cespe concentrando a energia para as provas de polícias federais!

  • Eu sempre digo: só o CESPE tem o dom de nos fazer ter medo de responder a uma questão como essa kkkkkkkkkkkkkk

  • “Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo(,)ELIPSE era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas.”.

    OMISSÃO OU SUPRESSÃO DE UM TERMO CITADO ANTERIORMENTE E QUE PODE SER SUBENTENDIDO PELO CONTEXTO NO QUAL ESTEJA INSERIDO. A VÍRGULA NO CASO ACIMA ASSUME ESSE PAPEL.

  • GAB:CERTO 

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica (da irrigação) na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, a irrigação era utilizada em culturas de cana-de-açúcar,

  • CERTO.

    Trata-se de uma ELIPSE (a banca adora essa Figura de Linguagem)

    "O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica (da irrigação) na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, (a irrigação) era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas."

    _________

    Bons Estudos.

  • De fato! Desde o primeiro parágrafo, fala-se de irrigação. Mantendo-se a coerência e a coesão das ideias, deve-se sim considerar “a irrigação” como sujeito oculto de “era utilizada”.

    Gabarito: CERTO

  • Só fiquei na dúvida, e acabei errando, porque pensava que na reescrita da frase a vírgula deveria ser suprimida, já que nao se trata mais de elipse, alguém poderia me esclarecer melhor essa questão?

  • Se fizermos uma pergunta ao verbo, podemos ultilizar a resposata como resolução da acertiva, por exemplo:

    A irrigação era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas."

    O que/quem era ULTILIZADA em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas?

    R= A Irrigação.

  • Interessante observar que ultimamente o CESPE tem cobrado questões de elipse. Se pegarmos provas dos anos anteriores, dificilmente apareciam questões assim.

  • Complementando a resposta: A elipse é uma figura de linguagem que ocorre quando um termo é omitido em um enunciado, mas fica subentendido pelo contexto. Trata-se de um recurso estilístico muito utilizado em discursos e em ditados populares.

    A elipse é caracterizada pela omissão de termos da oração sem que se prejudique o entendimento da mesma, dado que essa omissão é permitida pelo contexto e pelos restantes elementos gramaticais da oração, estando o termo claramente subentendido.

  • Pra quem está errando questões: NÃO DESISTA.

    Quem passa em concurso também erra questões na prova e todo mundo que passa já errou muitas questões na vida.

    Aguenta firme.

    Umbó.

  • errei, pois pensei que era "na irrigação", cespe sempre com pegadinhas, deixa nos deixa medrosos. kkk

  • Menosprezar questões com comentários que não acrescentam, assim como, fazer propaganda políticas em comentários que deveriam agregar o conhecimento das pessoas que estão começando agora, já consigo imaginar o nível de servidor público que essas pessoas serão se conseguirem a aprovação.

  • interessante ressaltar a leitura do período ou parágrafo anterior à qual a questao está perguntando, pois muitas vezes a Elipse está nele.

    peçam e vos será dado, busquem e acharao.

  • Certo

    Quem era utilizada? A irrigação.

  • questão horrivel na minha opinião tá gente, eu errei ela porque não entendi a questão, na prova irei deixar esse tipinho em branco

  • Questão fácil pessoal,lendo o contexto,você perceberá que o termo ´´a irrigaçaõ´´ está implícito antes de era utilizada,é só fazer a pergunta ao verbo que percebe claramente.

  • Porque não poderia ser '' a técnica'' que era utilizada?

  • GABARITO CERTO

    Transcrevei os trechos principais do texto, ou seja, retirarei os termos acessórios, vejam como fica muito mais fácil.

    (...) O Brasil não se baseou na irrigação, embora haja registro de que os jesuítas praticavam a técnica [Irrigação] na antiga Fazenda Santa Cruz. [A Irrigação] era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas, nas regiões mais secas do Brasil (...)

    Estudem bastante as elipses, pois de uns anos pra cá o cespe tem as adorado.

  • PARELISMO SINTÁTICO

  • As 2 provas do CESPE, em 2021, TCE/RJ e CODEVASP cobraram elipse. INTERESSANTE. ;)

  • Só eu que estou achando ruim a banca não inserir mais em suas últimas provas a informação de linhas e parágrafos?

    Tá parecendo a FCC. No computador, é só procurar por meio do CTRL+F, se for o caso, mas, na hora da prova, isso pode atrasar o candidato.

  • Eu entendi que o termo irrigação mencionado no 1° período, apenas foi resgatado no período seguinte. Espécie de elipse.

  • E o medo de clicar no certo rsrs por causa do "sem prejuízo dos sentidos"

  • ' O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, NA IRRIGAÇÃO, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    NA IRRIGAÇÃO, está entre vírgulas, percebe-se que foi deslocado.

  • ' O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, NA IRRIGAÇÃO, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    NA IRRIGAÇÃO, está entre vírgulas, percebe-se que foi deslocado.

  • Depois de 30 min caçando uma vírgula ou um termo fora do lugar , a gnt acerta rsrs

  • A pergunta Cespe: no segundo parágrafo, a expressão a irrigação ....

    o Segundo parágrafo: "não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em..."

    Eu fiquei procurando a expressão a irrigação e estou procurando até hoje!!

    Questão passível de anulação na minha opinião.

  • o termo está elíptico, então se colocar não vai alterar o sentido.

  • De fato! Desde o primeiro parágrafo, fala-se de irrigação. Mantendo-se a coerência e a coesão das ideias, deve-se sim considerar “a irrigação” como sujeito oculto de “era utilizada”.

    FONTE: sou mais Alfacon.

  • GABARITO: CERTO

  • Concordo com o PRF Guilherme, esse tipo de comentário não agrega em nada e só desestimula os iniciantes.

  • ELIPSE: A elipse é uma figura de linguagem caracterizada pela omissão de um termo no enunciado; porém, esse termo pode ser subentendido pelo contexto

    #Va&Vença

  • O texto cita a técnica ( da irrigação), portanto, seria mais correto inserir a expressão "a técnica" no contexto mencionado. Questão duvidosa e passível de anulação.

  • O cara sabe que é fácil e está certo, no entanto, sempre dá aquela aceleradinha no coração.

  • Direto ao ponto! Sem pilha só porque é Cespe

    No período “Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas.”, no segundo parágrafo, a expressão a irrigação poderia ser inserida antes da locução “era utilizada” — a irrigação era utilizada — sem prejuízo dos sentidos originais do texto

    Trecho: Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, (a irrigação) era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas.

    Justificativa: Sim, está certo, pois foi somente colocado o sujeito expresso na frase, passando de Oculto para Simples!

    GABARITO: CERTO

  • Achei essa questão super confusa.

    Um vai e vem no texto de ficar tonto.

  • GABARITO: CERTO

    De fato! Desde o primeiro parágrafo, fala-se de irrigação. Mantendo-se a coerência e a coesão das ideias, deve-se sim considerar “a irrigação” como sujeito oculto de “era utilizada”.

    Bons Estudos!

  • o que 'era utilizada"? A irrigação.

    Gabarito: CERTO.

  • Quase troco por “a técnica “

  • Gabarito - Certo

    O termo "A irrigação" traz uma retomada das ideias antes expostas, por isso pode ser utilizado na frase

  • Era Utilizado - Retoma Irrigação.

    Correto.

  •   A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação. 

       O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, A IRRIGAÇÃO era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

  • Correto, deixa explícito um termo oculto

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • Questão tão fácil que li umas 5x

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R

  • Uso de crase


ID
5028364
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


O emprego do sinal indicativo de crase no trecho “de caráter suplementar às chuvas”, no terceiro parágrafo, é facultativo; portanto, a supressão desse sinal não prejudicaria a correção gramatical do trecho.

Alternativas
Comentários
  • Só retificando, é APÓS a preposição ATÉ.

    Obrigado.

  • ❌ERRADA ❕❗

  • Dica:

    Troca por uma palavra masculina

    Suplementar ao sol

    Suplementar à chuva

    Erros me avisem

    Estudar é o caminho.

  • GABARITO - ERRADO

    Ao omitir o acento indicador de crase, a construção resultante seria “de caráter suplementar as chuvas”. Omitiu-se, assim, a preposição – requerida pela regência de “suplementar” – e deixou-se apenas o artigo plural “as” – solicitado por “chuvas”.

    Ocorre que a ausência da preposição cria um problema de regência, comprometendo-se a correção gramatical.

  • GAB: ERRADA

    • Atenção : Pra galera que assim como eu decora " até a sua maria"

    Provas: CESPE / CEBRASPE - 2010 - EMBASA - Assistente de Serviço Administrativo I 

    O uso do sinal indicativo de crase em “atender às demandas” (l.9) é facultativo, porque o verbo “atender”, no sentido em que foi empregado no trecho, pode estar ou não acompanhado da preposição. CERTA

    Mantra : o verbo atender admite duas regências!

    Quando houver um termo elíptico, é obrigatória a crase:

    Ex: Enviaram uma encomenda à nossa residência, não à sua ( residência)

    Nesse caso, o termo residência está elíptico( subentendido pelo contexto), portanto, a crase é obrigatória.

    Para revisar:

    Facultativo -> ATÉ SUA MARIA.

    Após Preposição até -> Ex: Fui até à/a cidade.

    Sua -> Pronomes possessivos. EX: Levei Flores à/a sua mãe.

    CUIDADO: às suas maneiras -> crase obrigatória

    Maria (Nome Próprios) -> EX: Levei flores à/a Maria.

  • Não tem ATÉ, nem SUA e ainda estar no plural.

    Não pode suprimir juvenal.

    Gab. E

  • ERRADO

    O verbo Suplementar rege a preposição "a" na oração, sendo obrigatório o sinal indicativo de crase.

  • Pense bem, como "suplementar é VTI", a supressão da crase acarretaria em uma preposição "a" indo ao plural. O que é um absurdo pois as preposições são invariáveis.

  • GAB: ERRADA

    ASSERTIVA:

    O emprego do sinal indicativo de crase no trecho “de caráter suplementar às chuvas”, no terceiro parágrafo, é facultativo(Erro); portanto, a supressão desse sinal não prejudicaria a correção gramatical do trecho.

    Os casos em que a crase é facultativa são 3:

    1. Antes de nomes próprios femininos;

    Entreguei o documento à Luísa.

    Entreguei o documento a Luísa.

    2. Antes de pronomes possessivos;

    Diga à minha mãe que chegarei tarde. 

    Diga a minha mãe que chegarei tarde.

    3. Depois da preposição até antecedendo substantivos femininos.

    A loja ficará aberta até às 20h.

    A loja ficará aberta até as 20h.

  • Toda prova da CESPE tem essa desgraçada da crase...

    Artigo a + Preposição a = Crase Haverá!!!

  • GABARITO: ERRADO.

    Casos facultativos do uso da crase

    • ATÉ A POSSE, DILMA!

    Proposição ATÉ;

    Pronomes POSSESSIVOS femininos no singular (no plural é obrigatório o uso do acento grave); e

    Antes de nomes de mulheres (nomes próprios femininos - Maria, Joana, DILMA).

    Bons estudos!

  • 1 - Antes de nomes próprios femininos:

    a)Entreguei o documento à Luisa.

    Entreguei o documento a Luisa.

    2 - Antes de pronomes possessivos:

    a)Diga à minha mãe que chegarei tarde.

    Diga a minha mãe que chegarei tarde.

    3 - Depois da preposição até antecedendo substantivos femininos.

    a) A loja ficará aberta até às 20h.

    A loja ficará aberta até as 20h.

    *Esses aí sãos os casos facultativos.

  • Existem 3 casos em que a crase será FACULTATIVA:

    1) Nome de MULHER

    2) Diante da preposição ATÉ

    3) Diante de pronome possessivo adjetivo feminino no SINGULAR

    PEGA O BIZU, BONS ESTUDOS.

  • Para nunca mais esquecer, grave que:

    Crase facultativa é: antes de nome de mulher (ex. Ana, Júlia, ...), de pronome possessivo feminino (ex. sua, minha, ...) e depois de até.

    Até RIMA e nos ajuda a lembrar os casos de crase facultativa.

    Repita para lembrar:

    CRASE FACULTATIVA É

    antes de nome de mulher, de possessivo feminino e depois de até.

    antes de nome de mulher, de possessivo feminino e depois de até.

    Bons estudos!

  • Lembre-se:

    Até

    Tua

    Dona

    Maria

  • Ao omitir o acento indicador de crase, a construção resultante seria “de caráter suplementar as chuvas”. Omitiu-se, assim, a preposição – requerida pela regência de “suplementar” – e deixou-se apenas o artigo plural “as” – solicitado por “chuvas”.

    Ocorre que a ausência da preposição cria um problema de regência, comprometendo-se a correção gramatical.

    Gabarito: ERRADO

  • Suplementar a algo . ( O termo anterior exige a preposição )

  • Como assim o Arthur ainda não comentou ?

  • Será FACULTATIVO, QUANDO

    VIM ANTES DO NOME FEMINO PRÓPRIO ( MARIA, ANA, JULIA ETC.)

    ANTES DO PRONOME POSSESSIVO FEMININO( MINHA, NOSSA ETC.)

    APÓS DA PREPOSIÇÃO ATÉ ( AVISA MINHA MÃE QUE CHEGAREI ATÉ ÁS(AS) 23H

  •  "A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes." (FAÇA A TROCA POR UM TERMO MASCULINO)

     A irrigação, de caráter suplementar ao solo, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes. (CRASE OBRIGATÓRIA)

    GAB: ERRÔNEO

  • Crase facultativa 

    • ocorre diante dos pronomes femininos "minha, sua, tua"
    • diante de nomes de mulheres não especificadas
    • depois da palavra até quando indicar movimento.
    • Minhas, suas, tuas, nossas, vossas: o uso de crase antes de pronomes possessivos no plural é obrigatório. *
    • Exemplos:
    • Eu me referi à sua mãe (facultativa)
    • Eu me referi à Joana (facultativa - Joana não está especificada)
    • Eu me referi à Joana do seu Zé (obrigatória - Joana está especificada)
    • Todos os alunos foram até à escola (facultativa)

    OBS:

    •  * Uso da crase será obrigatória quando houver a presença de um substantivo feminino oculto
    • Exemplo: "Na geração anterior à nossa" , pronome possessivo feminino substantivo, substitui geração, crase obrigatória.
    • Na geração anterior a nossa geração, pronome feminino possessivo adjetivo, está adjetivando geração, logo a crase é facultativa.
    • Fique atento à crase antes de palavras que estão no PLURAL.
    • Se a palavra após o "a" estiver no plural você tem duas opções, ou deixa sem crase ( singular - A), ou coloca crase e acrescenta o "S" (plural -às).
    • ✔ "com relação a centenas de anos de pensamento científico"
    • ✔ "com relação às centenas de anos de pensamento científico".
    • X "com relação à centenas de anos de pensamento científico".
  • Errado. Crase obrigatória

  • Pega o MACETE: ATE SUA MARIA

    NUNCA MAIS VC VAI ERRA UMA QUESTAO DE CRASE NA PROVA DO CESPE

  • Dica para entender a utilização da crase: 

    Troque a palavra a seguir por uma masculina, se ficar "ao", tem crase.

    Responda à questão / Responda ao questionário. Vai ter crase!

    Pergunte a ela / Pergunte a ele. Não vai ter crase!

    A irrigação, de caráter suplementar ao gramado, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes = tem crase!

    CASOS EM QUE O USO DA CRASE É OPTATIVA

    Diante de pronomes possessivos femininos

    Só devo satisfação a/à minha (pronome possessivo feminino) mãe

    Diante de nomes de mulheres

    Pedi um favor a/à Mariana (Nome de Mulher)

    Depois da palavra até.

    Fomos até (até) a/à praça.

  • de caráter suplementar AO VENDAVAL...

    Substitui por uma palavra masculina.

  • Caráter facultativo quando:

    Diante de pronome POSSESSIVO;

    Nomes PRÓPIOS femininos;

    Após preposição ATÉ.

    Na questão, trata-se de SUBSTANTIVO feminino.

  • Depois da palavra "até".

    Antes de pronomes possessivos.

    Antes de nome próprios.

    A crase será facultativa

    BIZU: ATÉ SUA MARIA

  • o que é suplementar é suplementar A Alguma coisa... suplementar À QUE? às chuvas....

    GAB.E

  • CRASE facultativa se dá em três casosATÉ SUA MARIA

    1 - Após a preposição até

    Ex: Fui até a secretaria / Fui até à secretaria

    2 - Diante de pronomes possessivos femininos (sua, minha, nossa)

    Ex: Referi-me a sua professora / Referi-me à sua professora

    3 - Antes de nomes próprios femininos

    Ex: Entregarei tudo a Maria / Entregarei tudo à Maria

    Comentário do colega aqui do QC

  • Crase facultativa:

    Bizu --> ATÉ SUA MARIA

    Casos

    1. Preposição "até"
    2. Pronome possessivo
    3. Nome próprio
  • questão errada

    • Pois o termo regente exige a preposição ''a''

    Para resolver esses tipos de questões segue a dica do professor Diogo Alves do Gran Cursos

    BIZU: Até a posse, Dilma!

    • após preposição até
    • diante de pronomes possessivos femininos no SINGULAR ( minha,sua,tua,nossa)

  • Crase Faculdade

    1. Preposição "até"
    2. Pronome possessivo
    3. Nome próprio
  • Duvida. Se alguém poder ajudar:

    A crase é proibida antes de palavras no plural. O que justifica em "... às chuvas" ?

    Obrigado.

  • A irrigação, de caráter suplementar (a o que?) as chuvas. Ocorre a fusão da preposição a com o artigo as, portanto a crase é obrigatória.

  • GAB E

    Crase Obrigatória.

    Tente trocar por uma palavra masculina e veja se é possível a retirada, vejamos:

    ...de caráter suplementar às chuvas (aos trovões).

  • Só são três os casos de facultatividade:

    1. antes de nome de mulheres.
    2. diante de pronome possessivo feminino no singular.
    3. depois da preposição até.

  • Casos facultativos de CRASE.

    ATÉ A POSSE DA DILMA!

  • CRASE facultativa se dá em três casos: ATÉ SUA MARIA

    1 - Após a preposição até

    Ex: Fui até a secretaria / Fui até à secretaria

    2 - Diante de pronomes possessivos femininos (sua, minha, nossa)

    PS: A crase é facultativa APENAS em pronomes possessivos no singular. Quando houver plural, a crase se torna obrigatória. 

    Ex: Referi-me a sua professora / Referi-me à sua professora

    3 - Antes de nomes próprios femininos

    Ex: Entregarei tudo a Maria / Entregarei tudo à Maria

    Mantra : o verbo atender admite duas regências!

    fonte: fiz um frankestein com os comentários dos colegas.

  • Na minha análise, o trecho poderia ser escrito das seguintes formas:

    "de caráter suplementar às chuvas" ou

    "de caráter suplementar a chuvas".

    Visto que o texto trata "chuvas" em sentido genérico, é possível a escrita do trecho sem a crase, PORÉM, e é aqui onde a questão justifica-se, de forma alguma o trecho poderia ser escrito como:

    "de caráter suplementar as chuvas"

    Pois desta forma ocultaria-se o pronome "a" que é necessário como companhia do termo "suplementar".

  • Gabarito e. (Essa crase não é facultativa. É obrigatória)

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, 

    Motivo: Regência nominal do adjetivo ''suplementar''. Ele tem regência indireta, precisa da preposição À para complementos femininos - AO para complementos masculinos.

    (Para testar regência nominal, sempre fazer a substituição por masculino. Se couber AO, colocar À)

    exemplo:

    irrigação complementar À chuva / irrigação complementar AO temporal.

  • O Professor José Maria do Direção Concursos, ao corrigir uma questão do simulado abordou uma hipótese de exceção do mnemônico: ATÉ SUA MARIA para questões de crase facultativa.

    Interessante ver a explicação para aprendizado. --> https://www.youtube.com/watch?v=wiq9sjOKN0o&t=16082s

    A partir do minuto 37.

  • ERRADO:

    é de uso obrigatório.

    Casos de FACULTATIVO

    . Antes nomes de mulheres “Maria

    . Depois da preposição até

    . Antes de pronomes possessivos (minha, sua, tua)

    . Dona, Senhora, Senhorita

    CRASE facultativa se dá em três casosATÉ SUA MARIA

  • Já se preparem para questões que indicam o parágrafo e período ao invés de indicar a linha.

  • Basta trocar a expressão à chuva por uma palavra masculina, por exemplo ao vento, assim observa-se que a crase é obrigatória e não facultativa.

  • Use o

    ATÉ

    SUA

    MARIA

    e nunca mais erre questões de crase facultativa, comigo foi assim :)

    FORÇA E HONRA.

    #CFP2021 TÔ CHEGANDO.

  • Aprendendo o jogo do CESPE!!!

    CRASE:

    # Técnicas para resolver questões do CESPE:

    • Verbo/Nome + às + palavra no plural --> Crase OBRIGATÓRIA:

    • Verbo/Nome + a + palavra plural --> Crase PROIBIDA:

    CASO:

    # Se na frase tem (às + Plural) NÃO pode suprimir a crase.

    (CESPE/CODEVASF/2021) O emprego do sinal indicativo de crase no trecho “de caráter suplementar às chuvas”, no terceiro parágrafo, é facultativo; portanto, a supressão desse sinal não prejudicaria a correção gramatical do trecho.(ERRADO)

    (CESPE/TCE-AC/2009) Preservam-se a coerência da argumentação bem como a correção gramatical do texto ao se retirar o sinal indicativo da crase em "entende-se às relações" (L.11), generalizando o termo.(ERRADO)

    (CESPE/TJ-AL/2012) Sendo o emprego do plural em “regras” suficiente para garantir a interpretação genérica desse nome, a supressão do sinal indicativo de crase, em “às regras morais” (L.9), não causaria prejuízo à correção gramatical do texto.(ERRADO)

    (CESPE/TRF 1ª/2017) A supressão do sinal indicativo de crase em “às crianças” (no trecho: considerados nocivos às crianças) comprometeria a correção gramatical do texto.(CERTO)

    CASO:

    # Se na frase tem (a + plural) e propor adicionar a crase estará incorreto.

    (CESPE/BB/2002) O uso do sinal indicativo de crase em "levaram A mudançaS" (l.2) é facultativo, porque "mudanças" está no plural.(ERRADO)

    (CESPE/ANTAQ/2014) Em “A preçoS” (L.6), estaria correto o emprego do sinal indicativo de crase.(ERRADO)

    (CESPE/SESA-ES/2013) É facultativo o emprego do sinal indicativo de crase em “a”, na oração “O indivíduo obeso fica vulnerável A possíveiS complicações” (l.33-34).(ERRADO)

    (CESPE/STJ/2015) A correção gramatical do texto seria prejudicada caso se empregasse o sinal indicativo de crase no vocábulo “a” em “dá suporte A exigênciaS recíprocas” (l.20).(CERTO)

    # Se tiver na frase (À + Plural) já marca errado e segue para a próxima.

    (CESPE/CAIXA/2006) Em "comprar, preferencialmente, à vista;", é obrigatório o sinal indicativo de crase em "à vista", à semelhança do que ocorre com a expressão À prestaçõeS.(ERRADO)

    (CESPE/ANTAQ/2009) Mantêm-se a correção gramatical e a coerência do texto ao se inserir um sinal indicativo de crase em "a grandes distâncias" (.3), escrevendo-se: À grandeS distâncias. (ERRADO)

    (CESPE/TJ-AM/2019) A inserção do sinal indicativo de crase em “A interpretaçõeS” (ℓ.7) ocasionaria erro gramatical no texto.(CERTO)

    Por fim:

    # Se na frase tiver (às + Plural) e propor trocar para (a + Plural) ficará correto (vice-versa).

    (CESPE/MDS/2009) Se "às", em "às doações" (L.14), fosse substituído por a, a correção gramatical do período seria prejudicada.(ERRADO)

    (CESPE/ME/2020) No trecho “com relação a centenas de anos de pensamento científico”, no quarto período do texto, a substituição do vocábulo “a” por às manteria a correção gramatical do texto. (CERTO)

    Gabarito: Errado.

    “Hoje não é apenas outro dia. É uma nova oportunidade. Outra chance. Um novo começo. Abrace-o!”

  • Suplementar pede preposição e Chuva é feminino, logo pede artigo. Com Isso temos Dois A, e para poder não repeti os A, usa a crase. e como Chuvas está no plural, o "ás" também tem que esta ou será incorreta. ou Seja: "à chuvas, as chuvas".

  • ERRADO

    Só existe três casos em que o uso da crase torna-se facultativa:

    1- Antes de pronomes possessivos adjetivos quando o termo regente exigir a preposição "a".

    2- Diante da preposição "até", uma vez que a mesma pode aparecer em forma de locução prepositiva "até a".

    3- Diante de nomes próprios femininos, quando o termo regente exigir a preposição "a".Como se sabe, os nomes de pessoas na língua Portuguesa podem ou não vir precedidos de um artigo. A colocação do artigo denota afetividade, proximidade, intimidade.

  • CRASE FACULTATIVA SÃO 04 HIPÓTESES:

    • DEPOIS DO ATÉ;
    • ANTES PRONOME FEMININO;
    • ANTES PRONOME POSSESSIVO;
    • DIANTE DE NOMES PRÓPRIOS;

    Mnemônico: ATÉ POSSE DONA DILMA

  • CRASE facultativa se dá em três casosATÉ SUA MARIA

    1 - Após a preposição até

    2 - Diante de pronomes possessivos femininos singular (sua, tua, minha, nossa)

    3 - Antes de nomes próprios femininos (maria)

  • IMPORTANTÍSSIMO: SE A PALAVRA DEPOIS DA CRASE ESTIVER NO PLURAL, SÓ PODE SER A OU ÀS SENDO PROIBIDO À OU AS

  • A Crase só é facultativa:

    Antes de Pronomes Possessivos:

    • ex: Eu devo satisfações à (ou a) minha equipe de trabalho.

    Antes de Substantivos Femininos Próprios:

    • ex: João fez um pedido à (ou a) Maria.

    Depois da palavra "até":

    • ex: Os servidores foram até à (ou a) praça dos tribunais.

    Fonte: Estratégia Concursos

  • Bizu dos casos facultativos

    Até a posse dilma

    Depois do até

    antes de pronome possesivos no singular

    diante de nomes próprios femininos

  • É obrigatório porque o verbo suplementar pede preposição. O que é facultativo é o artigo "as" antes de chuvas. Então as formas corretas são:

    1.... de caráter suplementar às chuvas. ( prep. + artigo as )

    2.... de de caráter suplementar a chuvas. ( prep.)

    ...de caráter suplementar as chuvas. Fica errado porque só tem o artigo, falta a preposição.

    Fonte: Técnica prof. Elias, do Gran.

  • Pequeno desabafo: saudade de quando se enumeravam as linhas. Ficar contando parágrafo e procurando o período eh dose.

  • CRASE

    (CESPE 2021) O emprego do sinal indicativo de crase no trecho “de caráter suplementar às chuvas”, no terceiro parágrafo, é facultativo; portanto, a supressão desse sinal não prejudicaria a correção gramatical do trecho. (ERRADO)

    Crase Facultativa

    Antes de "ATÉ,SUA,MARIA"

    à SUA → FACULTATIVO

    (CESPE 2018) A supressão do sinal indicativo de crase em “à sua maneira” (l.2) manteria a correção gramatical do texto. (CERTO)

    às SUAS → OBRIGATÓRIA

    (CESPE 2013) O emprego do sinal indicativo de crase na expressão “às suas mais difíceis demonstrações” (l.2-3) é facultativo (ERRADO)

    Cuidado há algumas provas que a banca aperta, ex: cargo de diplomata

    (CESPE 2015) Em razão do arranjo sintático na expressão “na geração anterior à nossa” (R.2), torna-se obrigatório o emprego do sinal indicativo de crase, apesar de esta preceder um pronome possessivo. (CERTO)

    Ah, mas você falou que era facultativo, calma guerreiro(a), explico: quando há zeugma na oração.

    Na geração anterior à ( geração) nossa.

    Crase obrigatória, uma vez que concorda com o termo omitido, porém subentendido.

    (CESPE 2019) A retirada do acento indicativo de crase em “às vezes” (l.19) não comprometeria a correção gramatical do texto. (ERRADO)

    Às vezes (com acento grave)

    Sinônimo “de vez em quando”, “por vezes”, “ocasionalmente”. Haverá crase sempre que a expressão sugerir sentido de tempo.

    As vezes (sem acento grave)

     Sinônimo “as ocasiões”, “os momentos”. Quando o sentido não for de tempo, não haverá crase

    Não se usa crase

    Antes de pronome demonstrativo: "Essa, Esta, Ela" "Alguém, Ninguém, Vossa Excelência".

    (CESPE 2015) No trecho “Em meio a esse cenário" (L.23), a inserção de sinal indicativo de crase no “a" acarretaria prejuízo à correção gramatical do texto. (CERTO)

    Antes de nomes no plural

    (CESPE 2019) A inserção do sinal indicativo de crase em “a interpretações” (ℓ.7) ocasionaria erro gramatical no texto. (CERTO)

    Em palavras iguais “pouco a pouco” “cara a cara” “dia a dia

    (CESPE 2018) No trecho “Diga não às ‘corrupções’ do dia a dia”, seria correto o emprego do sinal indicativo de crase no vocábulo “a” em “dia a dia”. (ERRADO)

    Antes de verbo

    (CESPE 2014) É facultativo o emprego do sinal indicativo de crase em “A partir do século XVII” (L.2).

    Antes de pronome indefinido (nenhuma, alguma, cada, qualquer, ninguém, outro, algo ...) (ERRADO)

    (CESPE 2015) Estaria também correto o emprego de sinal indicativo de crase em “a cada” (l. 4 e 5). (ERRADO)

    Antes de masculino

    (CESPE 2014) Seria mantida a correção gramatical do texto, caso fosse empregado o acento indicativo de crase no “a”, em “cunhagem a martelo” (l.6). (ERRADO)

    OBS: "A moda de" é permitido o uso. A locução prepositiva feminina “à moda de” receberá o acento grave mesmo quando o termo “moda de” vier subentendido

    Pintura à moda de Leonardo da Vinci

    Era uma pintura à Leonardo da Vinci.

  • CRASE

    (CESPE 2021) O emprego do sinal indicativo de crase no trecho “de caráter suplementar às chuvas”, no terceiro parágrafo, é facultativo; portanto, a supressão desse sinal não prejudicaria a correção gramatical do trecho. (ERRADO)

    Crase Facultativa

    Antes de "ATÉ,SUA,MARIA"à SUA → FACULTATIVO

    (CESPE 2018) A supressão do sinal indicativo de crase em “à sua maneira” (l.2) manteria a correção gramatical do texto. (CERTO)

    às SUAS → OBRIGATÓRIA

    (CESPE 2013) O emprego do sinal indicativo de crase na expressão “às suas mais difíceis demonstrações” (l.2-3) é facultativo (ERRADO)

    Cuidado há algumas provas que a banca aperta, ex: cargo de diplomata

    (CESPE 2015) Em razão do arranjo sintático na expressão “na geração anterior à nossa” (R.2), torna-se obrigatório o emprego do sinal indicativo de crase, apesar de esta preceder um pronome possessivo. (CERTO)

    Ah, mas você falou que era facultativo, calma guerreiro(a), explico: quando há zeugma na oração.

    Na geração anterior à ( geração) nossa.

    Crase obrigatória, uma vez que concorda com o termo omitido, porém subentendido.

    (CESPE 2019) A retirada do acento indicativo de crase em “às vezes” (l.19) não comprometeria a correção gramatical do texto. (ERRADO)

    Às vezes (com acento grave)

    Sinônimo “de vez em quando”, “por vezes”, “ocasionalmente”. Haverá crase sempre que a expressão sugerir sentido de tempo.

    As vezes (sem acento grave)

     Sinônimo “as ocasiões”, “os momentos”. Quando o sentido não for de temponão haverá crase

    Não se usa crase

    Antes de pronome demonstrativo: "Essa, Esta, Ela" "Alguém, Ninguém, Vossa Excelência".

    (CESPE 2015) No trecho “Em meio a esse cenário" (L.23), a inserção de sinal indicativo de crase no “a" acarretaria prejuízo à correção gramatical do texto. (CERTO)

    Antes de nomes no plural(CESPE 2019) A inserção do sinal indicativo de crase em “a interpretações” (ℓ.7) ocasionaria erro gramatical no texto. (CERTO)

    Em palavras iguais “pouco a pouco” “cara a cara” “dia a dia

    (CESPE 2018) No trecho “Diga não às ‘corrupções’ do dia a dia”, seria correto o emprego do sinal indicativo de crase no vocábulo “a” em “dia a dia”. (ERRADO)

    Antes de verbo(CESPE 2014) É facultativo o emprego do sinal indicativo de crase em “A partir do século XVII” (L.2).

    Antes de pronome indefinido (nenhuma, alguma, cada, qualquer, ninguém, outro, algo ...) (ERRADO)

    (CESPE 2015) Estaria também correto o emprego de sinal indicativo de crase em “a cada” (l. 4 e 5). (ERRADO)

    Antes de masculino(CESPE 2014) Seria mantida a correção gramatical do texto, caso fosse empregado o acento indicativo de crase no “a”, em “cunhagem a martelo” (l.6). (ERRADO)

    OBS: "A moda de" é permitido o uso. A locução prepositiva feminina “à moda de” receberá o acento grave mesmo quando o termo “moda de” vier subentendido

    Pintura à moda de Leonardo da Vinci

    Era uma pintura à Leonardo da Vinci.

  • Galera, há oito semanas, comecei utilizar os MAPAS MENTAIS PARA CARREIRAS POLICIAIS, e o resultado está sendo imediato e absurdo, pois nosso cérebro tem mais facilidade em associar padrões, figuras e cores.

    Estou mais organizado e compreendendo grandes quantidades de informações;

    Retendo pelo menos 85% de tudo que estudo;

    E realmente aumentou minha capacidade de memorização e concentração;

     

    Obs.: Alguns mapas mentais estão gratuitos o que já permite entender essa metodologia.

    Mapas mentais no link da bio do instagram: @veia.policial

    “FAÇA DIFERENTE”

    SEREMOS APROVADOS EM 2021!

  • Quando a crase é facultativa?

    1. Depois da preposição “até”

    2. Antes dos nomes próprios femininos

    3. Antes dos pronomes possessivos

    Mnemônico ATE a POSSE DILMA

    Observando a questão é possível verificar que não se encaixa nos casos de crase facultativa, logo a questão está errada.

  • Ao omitir o acento indicador de crase, a construção resultante seria “de caráter suplementar as chuvas”. Omitiu-se, assim, a preposição – requerida pela regência de “suplementar” – e deixou-se apenas o artigo plural “as” – solicitado por “chuvas”.

    Ocorre que a ausência da preposição cria um problema de regência, comprometendo-se a correção gramatical.

  • GABARITO: ERRADO

  • Crase facultativa; antes de nome de mulher, depois da preposição até, e com os pronomes possessivos femininos adjetivos no singular.

  • ERRADO

    * ÀS + PLURAL = CERTO

    * A + PLURAL = CERTO

    * À + PLURAL = ERRADO

  • não só a correção como também o sentido original seriam alterados

  • FACULTATIVO:

    ATÉ SUA MARIA.

  • Facultativo: ATÉ A POSSE DA DILMA

  • Outro macete que uso é o de tentar trocar a palavra para o masculino, se ficar AO a crase é necessária, pois pediu a preposição A, assim:

    “de caráter suplementar às chuvas” mudei "de caráter suplementar ao inverno"

    pediu preposição a + artigo a .

    "" Crase é o nome que se dá à união da preposição “a” com o artigo definido “a(s)”, ou com o “a” inicial dos pronomes demonstrativos “aquele(s)”, “aquela(s)” e “aquilo”, ou, ainda, com o “a” inicial dos pronomes relativos “a qual” e “as quais”. Ao acento indicador de crase dá-se o nome de acento grave.""

  • CASOS FACULTATIVOS (são 3):

    1→ Pron. Possessivo Feminino Sing. + Ñ subentender/substituir palavra feminina

    2→ Após Até

    3→ Antes de nome feminino s/ especificador

  • Alguém me explica esses bizu de "até sua maria" kkk?

    Sério, não sei estudar gramática por bizu. Não sei como conseguem acertar questões assim.

    ___________________________________________________________________________________

    Minha contribuição:

    Caso facultativo de crase: PREPOSIÇÃO "A" + ARTIGO PRECEDIDO DE SUBST. FEM NO PLURAL

    • A irrigação, de caráter suplementar às chuvas. (prep. "a" + art. "as" = às)

    ou

    • A irrigação, de caráter suplementar a chuvas. (somente prep. "a", pois o uso do artigo precedido de substantivo feminino no plural é opcional)
  • Minha contribuição.

    Casos em que a crase é facultativa: ATÉ,SUA,MARIA.

    a) Uso facultativo da preposição (a), formando a locução (até a).

    Ex.: Leu o livro de uma vez até a última página.

    Ex.: Leu o livro de uma vez até à última página.

    b) Antes de pronomes possessivos femininos no singular.

    Ex.: Levaremos o livro a sua casa.

    Ex.: Levaremos o livro à sua casa.

    c) Antes de nomes próprios femininos.

    Ex.: Desejo tudo de bom a Maria.

    Ex.: Desejo tudo de bom à Maria.

    Abraço!!!

  • Gab. E

    O sinal de indicativo de crase é OBRIGATÓRIO, sob pena de incorreção gramatical. Isso porque a regência palavra "suplementar" exige preposição "a".

    CRASE facultativa se dá em três casosATÉ SUA MARIA

    1 - Após a preposição até

    Ex: Fui até a secretaria / Fui até à secretaria

    2 - Diante de pronomes possessivos femininos (sua, minha, nossa)(NO SINGULAR)

    Ex: Referi-me a sua professora / Referi-me à sua professora

    3 - Antes de nomes próprios femininos

    Ex: Entregarei tudo a Maria / Entregarei tudo à Maria

  • Facultativo é "Até Minha Dona Maria"

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Me diz uma coisa, esta fazendo só questões e esta esquecendo de treinar para a REDAÇÃO!?

    Por que não adianta de nada passar na prova objetiva e reprova na redação, se isso acontece contigo vai ser um trauma para o resto da vida.

    Pensando nisso deixo aqui minha indicação de um curso de redação que tem me ajudado muito na preparação, quem tiver interesse em melhorar na discursiva é uma boa opção.

    Link do site: https://go.hotmart.com/D49209586D

  • Mantra trazido por um colega do QC, achei interessante:

    Palavra masculina, crase não se anima

    E antes de verbo, crase sai de perto

    Antes de pronome, simplesmente some

    Palavra repetida, crase nem se aproxima

    Se é cardinal, crase passa mal

    Loc. feminina, aí crase combina

    E "à moda de", crase adora aparecer

    E na hora exata, crase novamente ataca

    Trocando "a" por "ao", crase é crucial

    Antes de mulher, crase se quiser

  • A regência palavra "suplementar" exige preposição "a"

  • ERRADO PORQUE?

    Ao omitir o acento indicador de crase, a construção resultante seria “de caráter suplementar as chuvas”. Omitiu-se, assim, a preposição – requerida pela regência de “suplementar” – e deixou-se apenas o artigo plural “as” – solicitado por “chuvas”.

    Ocorre que a ausência da preposição cria um problema de regência, comprometendo-se a correção gramatical.

  • #OBRIGATÓRIO

    CRASE FACULTATIVA se dá em três casos:

    ATÉ SUA MARIA

    • 1 - Após a preposição até

    Ex: Fui até a secretaria / Fui até à secretaria

    • 2 - Diante de pronomes possessivos femininos no singular (sua, minha, nossa)

    Ex: Referi-me a sua professora / Referi-me à sua professora

    • 3 - Antes de nomes próprios femininos

    Ex: Entregarei tudo a Maria / Entregarei tudo à Maria 

    Se liga, Jacaré que dorme vira bolsa !

  • suplementar AOS TROVOES . PRONTO E O BRIGATIRA , EM AS CHUVAS . VEM CESPE 2021 .

  • lembre do bizu da crase facultativa, aí vc não erra

    ATÉ SUA MARIA

    depois do ATÉ = eu fui ATÉ À / A PRAIA

    Referi-me a sua professora / Referi-me à sua professora

    Entregarei tudo a Maria / Entregarei tudo à Maria

    OS DOIS ÚLTIMOS EXEMPLOS PEGUEI DE UM COLEGA

  • Gab. "Errada"

    Crase facultativa diante de: Até, pronomes possessivos , nome próprios feminino, dona

  • gab e!

    ''de caráter suplementar às chuvas”

    A crase está ai devido à regência indireta da palavra ''suplementar''. (Suplementar é um adjetivo) é uma regência nominal.

    Preposição AO para complemento masculino: Suplementar AO temporal

    Preposição À para complemento Feminino: Suplementar À chuva

  • gab. E ✓ " de caráter suplementar PARA AS chuvas" (para+as= às)
  • até sua Maria
  • Um macete que uso para questões de Crase do CESPE, foi decorar as CRASES FACULTATIVAS.

    A)     ANTES DO NOME DE MULHERES

    Ex: Dei um presente a Maria

          Dei um presente à Maria

    B)     DIANTE DE PRONOME POSSESSIVO FEMININO ADJETIVO NO SINGULAR

      Minha, tua, sua, nossa, vossa.

     Ex: Obedeço a sua opinião

           Obedeço a minha irmã

    C)     DEPOIS DA PREPOSIÇÃO “ATÉ”

    Cheguei até à praia

    Cheguei até a praia

    Fomos até à feira

    Fomos até a feira

  • de caráter suplementar a alguma coisa

    às chuvas

    aos ventos

  • OBRIGATORIA E NAO FACULTATIVA

    GABARITO ERRADINHO

  • Gabarito: Errado

    Principais Regras de Crase (à) com base nas questões que já respondi:

    Obrigatório: Verbo (pedindo a preposição “a) + a (à) + Palavra Feminina no Singular; Horas especificadas (substituir por ao meio dia e ver se tem sentido); Locuções adverbiais femininas (às vezes, à direita, à esquerda etc); Mudança de sentido ao colocar a crase, criando uma circunstância.

    Facultativo (Só tem 3 casos, mas esse é o que mais cai): Pronome Possessivo Feminino no Singular na oração (Minha, sua, nossa, tua, vossa) na oração.

    Proibitivo: Palavras masculinos; Uso de verbos; Diante de Pronomes (que, a ela, a ele, nosso, alguém, nenhum etc); Palavras repetidas (Ex: dia-a-dia); Verbo (pedindo a preposição “a”) + a + Palavra Feminina no Plural.  

    DICA DE PARALELISMO: tia DEA não usa crase (Ex: De 8:00 as 10:00) e tio DAAn usa crase (Ex: Das 8:00 às 10:00).

    FICA A DICA PESSOAL: Estão precisando de planejamento para concursos? Aulas de RLM SEM ENROLAÇÃO? Entre em contato comigo e acessem tinyurl.com/DuarteRLM .Lá vocês encontraram materiais produzidos por mim para auxiliar nos seus estudos. Inclusive, acessem meu perfil e me sigam pois tem diversos cadernos de questões para outras matérias, como português e direito constitucional. Vamos em busca da nossa aprovação juntos !!

  • CRASE

    A crase só é facultativa em 3 casos (decore!):

    ATÉ SUA MARIA

    1) Após a preposição ATÉ

    2) Antes de pronome possessivo adjetivo no singular

    OBS: Em caso de pronome possessivo substantivo ou pronome possessivo no plural a crase é OBRIGATÓRIA!

    3) Antes de nome próprio feminino.

    Bons estudos!

  • Suplementar a ....

    às chuvas : locução feminina

    Crase obrigatória.

  • Às + Palavra no Plural CRASE OBRIGATÓRIA !

    Às + Palavra no Singular CRASE PROIBIDA!

  • Complementando, pois muito se falou do bizu "ATÉ SUA MARIA", mas ninguém citou o caso de CRASE NO PLURAL.

    A supressão do acento grave tornaria o trecho gramaticalmente INCORRETO, pois ficaria:

    "de caráter suplementar as chuvas".

    Nesse caso, haveria o fenômeno fonético de encontro da preposição "a" (regência do verbo "suplementar") com o artigo "as". Desse modo, seria necessário o acento grave indicativo de crase.

    Entretanto, vale ressaltar que por se tratar de crase no plural, duas possibilidades são admitidas:

    1) "de caráter suplementar às chuvas" (preposição "a" + artigo "as") --> dá ideia de sentido ESPECÍFICO.

    ou

    2) "de caráter suplementar a chuvas" (preposição "a" sem artigo) --> dá ideia de sentido GERAL.

    - A troca de uma forma pela outra é possível e correta, mas gera alteração semântica.

    - Pela segunda possibilidade, fica claro que a crase não é totalmente obrigatória, pois nesse caso posso usar a preposição sozinha sem artigo.

    Logo, por se tratar de crase no plural, PODERIA SER USADO:

    "... suplementar às chuvas"

     OU 

    "... suplementar a chuvas"

    MAS NUNCA:

     "... suplementar as chuvas".

  • Crase obrigatória

    ↪ às + Plural

    (CESPE/DPE-RS/2022) A supressão do sinal indicativo de crase no vocábulo “às”, em “às mudanças tecnológicas” (segundo parágrafo), prejudicaria a correção gramatical do texto.  (CERTO)

    Ano: 2021 Prova: CESPE - ANM - Técnico em Segurança de Barragens

    No trecho “devido às dificuldades” (segundo parágrafo), a supressão do acento indicativo de crase em “às” manteria a correção gramatical do texto. (ERRADO)


ID
5028367
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


Sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto, o vocábulo “onde”, no segundo período do primeiro parágrafo, poderia ser substituído pela expressão uma vez que.

Alternativas
Comentários
  • Gab. E

    Segundo Pestana, quando o pronome relativo "onde" inicia uma oração subordinada adjetiva, como é o caso da questão, o pronome exerce função de adjunto adverbial de LUGAR.

    Já a locução conjuntiva "uma vez que" inicia uma oração subordinada CAUSAL, ou seja, possui sentido de CAUSA.

    Portanto, a troca de "onde" por "uma vez que" compromete o sentido original do texto.

    Fonte: A Gramatica para Concursos - Fernando Pestana; p.831.

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • ❌ERRADA❕❗

    (...) Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível...

    O onde retoma regiões áridas, sendo, pois, um pronome relativo . Assim a substituição por "uma vez que" acarretaria prejuízo no sentido por dar uma ideia de causa.

  • GABARITO - ERRADO

    Há problemas em relação ao sentido original.

    O vocábulo “onde” expressa a ideia de lugar. Já a locução “uma vez que”, causa. A troca proposta altera significativamente o sentido original.

  • Gabarito: ERRADO

    ONDE: equivale à "em que" e variações " na qual(s), no qual(s)".

    UMA VEZ QUE: Conjunção Subordinativa Causal (razão de um efeito), pode ser substituído por : Porque, que, porquanto, pois, como, pois que, dado que, visto que, visto como, já que, na medida em que, sendo que.

  • Compromete o sentido, mas a alteração de "ONDE" por "UMA VEZ QUE", não altera a correção gramatical ? *Alguém poderia tirar essa dúvida e explicar o motivo. ?

  • Gabarito: Errado

    Algumas observações a respeito do pronome relativo "Onde".

    a) É invariável.

    b) Aparece com antecedente locativo real ou virtual.

    c) Substituível por em que, no qual (variações).

    d) Pode ser antecedido, principalmente, pelas preposições a, de, por e para. Aglutina-se com a preposição a, tornando-se aonde, e com a preposição de, tornando-se donde.

    Vamos algumas questões do CESPE sobre o assunto:

    (CESPE - 2020 - SEFAZ-DF) Considerando os aspectos linguísticos do texto CG1A1-I, julgue o item a seguir.

    No trecho “os investidores reconhecem cada vez mais o impacto, para a sociedade, das empresas nas quais investem”, a substituição de “nas quais” por aonde prejudicaria a correção gramatical do texto.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2019 - Prefeitura de São Cristóvão - SE) Com relação às propriedades gramaticais e à coerência do texto9A2-I, julgue os itens a seguir.

    Fragmento do texto: Em Toronto, Tóquio, Teerã ou Tel Aviv, será levado a hospitais parecidos, onde médicos com aventais brancos seguirão protocolos idênticos e farão exames idênticos para chegar a diagnósticos muito semelhantes.

    O termo “onde” retoma as cidades de Toronto, Tóquio, Teerã e Tel Aviv.

    Gabarito: Errado

    (CESPE - 2018 - SEFAZ-RF) Em relação aos sentidos e às estruturas linguísticas do texto 1A1-II, julgue os itens que se seguem.

    Fragmento do texto: Do total arrecadado com cada veículo, 50% vão para o governo estadual e os outros 50%, para o município no qual o veículo tiver sido emplacado.

    A correção e os sentidos do texto 1A1-II seriam preservados se o termo “no qual” fosse substituído por onde.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2017 - SEDF) Julgue o item a seguir, que trata de aspectos gramaticais do texto CB2A6AAA.

    Fragmento do texto: Não têm conta entre nós os pedagogos da prosperidade que, apegando-se a certas soluções onde, na melhor hipótese, se abrigam verdades parciais, (...)

    Seriam preservados a correção gramatical e o sentido do texto caso o vocábulo “onde” fosse substituído por que.

    Gabarito: Errado

    (CESPE - 2015 - MPU) Julgue o item que se segue, a respeito das estruturas linguísticas do texto II.

    Fragmento do texto: (...) que é justamente na fase do inquérito policial que serão coletadas as informações e as provas que irão formar o convencimento do titular da ação penal, isto é, a opinio delicti.

    Haveria prejuízo à correção gramatical do texto, se o vocábulo “que” fosse substituído por onde.

    Gabarito: Certo

    (CESPE - 2014 - PF) Com relação às ideias e a aspectos gramaticais desse texto, julgue os itens de 6 a 10.

    Mantendo-se a coerência e a correção gramatical do texto, o trecho “em que se situam esses princípios fundamentais” poderia ser substituído por aonde se situam esses princípios fundamentais.

    Gabarito: Errado

    Eu poderia colocar mais de 20 questões a respeito do assunto, mas o QC limita o número de palavras. Espero ter ajudado com esses exercícios!

  • Não prejudicaria a correção gramatical, mas o sentido seria alterado.

  • ERRADO

    Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    •    ONDE: Demonstra o local em que se originaram. Aponta a característica local do lugar;
    • UMA VEZ QUE: Demonstraria uma causa. Se originaram lá uma vez que (porque) a produção...

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade."

  • ERRADO

    Em termos gramaticais, tudo ok, porém o sentido é alterado.

  • GAB:ERRADO

    ASSERTIVA

    Sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto, o vocábulo “onde”, no segundo período do primeiro parágrafo, poderia ser substituído pela expressão uma vez que.

    O vocábulo “onde” expressa a ideia de lugar. Já a locução “uma vez que”, causa. A troca proposta altera significativamente o sentido original.

    Causais: introduzem uma oração que é causa da ocorrência da oração principal. São elas: porque, que, como (= porque, no início da frase), pois que, visto que, uma vez que, porquanto, já que, desde que, etc.

    Onde costuma ser utilizado como advérbio de lugar ou como pronome relativo. Essa palavra possui noção de lugar, mas sempre no sentido estático, permanente, isto é, sem movimento.

  • Mudou o sentido. Deixou de ser local e passou a ser causa.

  • O vocábulo “onde” expressa a ideia de lugar. Já a locução “uma vez que”, causa. A troca proposta altera significativamente o sentido original.

    Gabarito: ERRADO

  • ❌Errada

    Correção gramatical = OK.

    Sentido = Alterado, pois a oração passaria a ser SUBORDINADA ADVERBIAL CAUSAL.

    Obs: Na escrita original, a oração é SUBORDINADA ADJETIVA INTRODUZIDA PELO PRONOME RELATIVO ONDE, esse que faz referência a regiões áridas.

    Conjunções causais = pois, porque, visto que, como, uma vez que, na medida em que, porquanto, haja vista que, já que...

    Erros? Só avisar!! Bons estudos!!!!

  • Ta certo + ta errado aushdasudhasudasd

  • Onde: ideia de LOCAL

    Uma vez que: ideia de CAUSA

    Sinônimos de "ONDE" : (NÃO "AONDE",pois dá ideia de movimento)

    EM QUE,NA QUAL,NAS QUAIS

  • onde por ''em que''...

  • ONDE sempre poderá ser substituído por EM QUE, mas o EM QUE só poderá ser substituído por ONDE quando for ideia de lugar.

    • Dica: Onde = em que ||| Aonde = A que ||| Donde = de que
    • A casa onde moro (em que) ||| A casa aonde vou (a que) ||| A casa donde venho (de que

  • Promone Relativo "ONDE" é somente a Lugares -Gramatica Pablo Jamilk

  • 31651654 horas pra localizar períodos em parágrafos..saudades da numeração das linhas do texto e respectivas referências nos enunciados...

  • ERRADO.

    O vocábulo “onde” expressa a ideia de lugar.

    Já a locução “uma vez que”, causa.

  • Pessoal, cuidado!

    Onde = Lugar

    Uma vez que = Causa

  • GAB: E

    Ultimamente está despencando em provas:

    O relativo onde deve ser usado para indicar lugar.

    a) onde é empregado com verbos que não dão ideia de movimento. Pode ser usado sem antecedente.

    ONDE = Em que = No(a) qual + Nos(as) quais > Ação em ponto fixo.

    b) aonde ideia de movimento e equivale a para onde, sendo resultado da combinação da preposição a + onde.

    AONDE = A que = Ao qual + Aos quais + À qual + Às quais > Ação em que há deslocamento.

    (CESPE/16) A locução “uma vez que" (l.15) introduz, no período em que ocorre, ideia de causa. CORRETO.

    Conjunções Causais:

    introduzem uma oração que é causa da ocorrência da oração principal. São elas: porque, que, como (= porque, no início da frase), pois que, visto que, uma vez que, porquanto, já que, desde que.

  • GABARITO ERRADO.

    em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    ONDE É "PR" DE LUGAR QUE REMETE A REGIÕES ÁRIDAS, LOGO A SUA SUBSTITUIÇÃO CORRETA SERIA POR " EM QUE" ou "NOS QUAIS".

    ----------------------------------------------------------

    REDAÇÃO ORIGINAL

    Sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto, o vocábulo “onde”, no segundo período do primeiro parágrafo, poderia ser substituído pela expressão uma vez que. ERRADA.

    UMA VEZ QUE É UMA CONJUNÇÃO ADVERBIAL DE CAUSA.

    ----------------------------------------------------------

    REDAÇÃO RETIFICADA.

    Sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto, o vocábulo “onde”, no segundo período do primeiro parágrafo, poderia ser substituído pela expressão EM QUE/ NOS QUAISCERTO.

    ----------------------------------------------------------

    Trocas possíveis com o pronome relativo.

     

    > que: o qual, a qual (plural). 

    > a que: ao qual, à qual (plural).

    > ONDE: em queno qual, na qual (plural)

    > De que: do qual, da qual (plural).

    >Por que: pelo qual, pela qual (plural)

  • ONDE só pode substituir algo se for LUGAR.

  • O ''onde'' está fazendo referência a lugar, logo só poderá ser substituído por ''Em que''/ ''No qual''(e flexões).

  • Correção gramatical ok, mas o sentido muda.
  • Se a banca pedisse só a correção gramatical, a assertiva estaria correta, porém ela pergunta se muda o sentido e, de fato, mudou, passando de uma ideia de lugar (onde, que pode ser trocado por "em que"/"na qual") para uma ideia de causa (uma vez que).

  • Sem voltar ao texto, ONDE é lugar, "Uma vez que" sem saber o que é, sabe-se que nunca seria lugar. Agora por "em que" ficaria perfeita.

  • "Onde" também é muito usado como pronome relativo dando ideia de lugar físico, (seu antecedente tem que ser um lugar) ligando um termo ao outro ou uma oração à outra. Nesse caso, pode ser substituído pelos termos “em que”, “no qual”, “na qual” sem alteração de sentido. Mas muita atenção!! O "onde" sempre poderá ser substituído por "em que", mas o "em que" só poderá ser substituído por "onde" quando for ideia de lugar. 

    orações subordinadas Causais: introduzem uma oração que é causa da ocorrência da oração principal. São elas: porque, que, como (= porque, no inicio da frase), pois que, visto que, uma vez que, porquanto, já que, desde que, etc.

    Ele não fez a pesquisa porque não dispunha de meios.

  • "Onde" tem sentido de lugar no texto, enquanto "uma vez que" expressa causa.

  • Galera enfeita muito, pqp!

    qual dificuldade de simplificar e fazer o básico?

    Correção gramatical = OK!

    o ONDE só pode ser substituído por = Em que, No qual

    (não é nenhum desses dois marca a alternativa como errada e vai pra próxima!)

  • Estaria correta se fosse utilizado o vocábulo "CUJA".

  • ''Onde'' pode ser substituído por "cujo", mas cujo não pode ser substituído.

  • Prejudica o sentido original do texto ---> onde pode ser substituído por em que; é usado para fazer referência a lugar e é pronome relativo que retoma termo antecedente; uma vez que é conjunção subordinativa adverbial de causa.

  • pessoal .ONDE esta se referindo a lugar ,que nesse caso é em regiões áridas

    já o vocábulo uma vez que  indica uma causa.

    ou seja , nao tem nada haver trocar um pelo outro , são totalmente diferentes.

    a banca estava apenas querer te induzir ao erro.

  • GAB.:ERRADO

    outra questão parecida que achei por aq:

    (2020) A correção gramatical do texto seria mantida se o vocábulo “que” (segundo parágrafo), fosse substituído por onde.

    2º paragráfo: A diferença entre regiões centrais e regiões periféricas está baseada em uma multiplicidade de contrastes — geográficos, econômicos e sociais — que, em toda a sua diversidade, também apresentam, em seu contexto, elementos comuns essenciais.

  • Tenho aprendido português com essas questões, os comentários com dicas são muito bons!

  • Nesse caso, a substituição para: uma vez que não acarretaria erro gramatical, contudo compromete o sentido do texto.

  • o "onde" na questão dá ideia de lugar.

  • Onde =lugar

    Uma vez que = Causa.

  • (Onde) Pronome relativo de lugar, deve ser usado para se referir "localidade"

  • Adoro os comentários, vale muito a pena. obg

  • O vocábulo “onde” expressa a ideia de lugar. Já a locução “uma vez que”, causa. A troca proposta altera significativamente o sentido original.

    fonte: sou mais alfacon.

  • GABARITO: ERRADO

  • ONDE = PRONOME RELATIVO

    UMA VEZ QUE (VERBO NO MODO INDICATIVO) = CAUSAL

    Portanto, não cabe essa substituição.

  • Curiosidade: vocês decoram mesmo as funções de cada termo de português? Porque eu acerto só pela lógica e tô preocupado se eu deveria decorar tudo ou não

  • Concordo com os comentarios, mas optei pelo errado!!!!! incrivel!

  • Só pode substituir o ONDE: por EM...EM QUE, NA QUAL E NAS QUAIS.

  • ONDE se refere a lugar

    UMA VEZ QUE - CAUSA-EFEITO

  • A palavra "onde" faz referência a algum lugar especifico. "Uma vez que" é uma conjunção causal, ou seja, causa e efeito.

  • Onde - oração subordinada adjetiva explicativa

    Uma vez que - introduziria uma oração subordinada adverbial causal

  • nem fui ao texto
  • GAB: E

    Ultimamente está despencando em provas:

    O relativo onde deve ser usado para indicar lugar.

    a) onde é empregado com verbos que não dão ideia de movimento. Pode ser usado sem antecedente.

    ONDE = Em que = No(a) qual + Nos(as) quais > Ação em ponto fixo.

    b) aonde ideia de movimento e equivale a para onde, sendo resultado da combinação da preposição a + onde.

    AONDE = A que = Ao qual + Aos quais + À qual + Às quais > Ação em que há deslocamento.

    (CESPE/16) A locução “uma vez que" (l.15) introduz, no período em que ocorre, ideia de causa. CORRETO.

    Conjunções Causais:

    introduzem uma oração que é causa da ocorrência da oração principal. São elas: porque, que, como (= porque, no início da frase), pois que, visto que, uma vez que, porquanto, já que, desde que.

  • Onde é somente usado para LUGAR fixo

    assim como Aonde lugar em movimento

  • Questão 110% ERRADA!

    Onde - Indica LUGAR.

    Uma vez que - Indica CAUSA.

  • GABARITO: ERRADO

    O vocábulo “onde” expressa a ideia de lugar. Já a locução “uma vez que”, causa. A troca proposta altera significativamente o sentido original.

     Bons Estudos!

  • onde pode ser em que

  • ONDE > Adj. adverbial de lugar

    • Só faz referência a lugares;
    • Pode ser substituído por: em que(no/na qual, nos/nas quais)

    Exemplo: A quadra onde(em que/na qual) moro é calma.

    :)

  • ...em regiões áridas, onde = Pronome Relativo - LUGAR

    uma vez que = Locução Conjuntiva - CAUSA

  • De fato, o sentido será mudado pelo motivo de troca de referente. Mas a correção gramatical seria mantida.

    "Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, uma vez que a produção só era possível com o uso da irrigação." >> passaria a se referir à "Muitas civilizações antigas se originaram assim"

  • Em que "lugar"> substitui por "onde".

    Em que "causa"> substitui por "uma vez que".

  • Onde transmite ideia de LUGAR

    Uma vez que é ideia de CAUSA

    Sendo assim, muda o sentido da frase .

    Gab: ERRADO

  • Algumas substituições:

    Que: O qual, A qual

    A que: Ao qual, À qual

    Em que: No qual, Na qual, Onde

    De que: Do qual, Da qual

  • QUESTÃO: Sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto, o vocábulo “onde”, no segundo período do primeiro parágrafo, poderia ser substituído pela expressão uma vez que. ERRADA.

    TEXTO:  1º PERÍODO A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. 2º PERÍODO Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    ONDE quando unir orações é classificada como pronome relativo, como também, retoma ao termo anterior sem que precise se repetido pela mesma palavra.

    ONDE é usado para lugares (geográficos), portanto a questão está errada, pois esse onde está retomando as regiões áridas, por isso não pode ser substituída pela locução conjuntiva de causa (uma vez que).

    Bons Estudos!

  • GAB. ERRADO

    SE USA ONDE quando retomar lugar por EM QUE ou NA QUAL.

    ONDE = Em que / Na qual.

  • Onde: Pronome Relativo + refere se a lugar

    Uma vez que: Conjunção Causal + Causa

    Gabarito: errado


ID
5028370
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


No primeiro período segundo parágrafo, o trecho “embora haja” poderia ser substituída por apesar de existir sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto.

Alternativas
Comentários
  • Gab. C

    Conjunções Concessivas [principais]

    • Embora
    • Ainda que
    • Apesar de
    • Se bem que
    • Mesmo que
    • Por mais que
    • Posto que
    • Conquanto [CESPE também gosta de utilizar]

    Portanto, é perfeitamente correta a troca de "embora haja " por "apesar de existir".

    As questões se repetem até em português, vejam:

    Ano: 2020 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: Ministério da Economia Provas: CESPE / CEBRASPE - 2020 - Ministério da Economia - Tecnologia da Informação - Segurança da Informação e Proteção de Dados 

    No quarto período do texto, a substituição de “embora desperte” por apesar de despertar manteria a correção gramatical e o sentido original do texto. Resp.: C

    Quarto período: "Essa quebra de rumo com relação a centenas de anos de pensamento científico já é suficientemente chocante, mas há outro aspecto da teoria quântica que nos confunde ainda mais, embora desperte menos atenção.

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • ✔CORRETA.

    • Embora >> Conjunção concessiva;
    • Apesar de >> Conjunção concessiva;

  • GABARITO - CERTO

    No trecho “embora haja registro…”, o termo “registro” atua como objeto direto e “embora” é um conector de concessão.

    Já em “apesar de existir registro”, o termo “registro” atua como sujeito e “apesar de” é uma locução conjuntiva concessiva.

    Ref : Professor José Maria.

  • GAB CORRETO

    Observa-se

    • Duas conjunções concessivas = Embora: Conjunção concessiva / Apesar de: Conjunção concessiva;
    • E um verbo haver no sentido de existir.

    O verbo haver, quando utilizado com sentido de existir, é um verbo impessoal. Isso significa que não tem sujeito, sendo conjugado apenas na 3.ª pessoa do singular.

  • CERTA

    São equivalentes semanticamente , porém o verbo deverá sofrer alteração:

    Embora + verbo no subjuntivo

    Apesar de + verbo no infinitivo

    Embora corresse muito, perdeu o ônibus. = Apesar de correr muito, perdeu o ônibus.

  • CORRETO

    Ocorreu apenas a permuta entre conjunções concessivas.

  • A troca do verbo Haver por Existir me fez errar a questão

  • Concessiva:(ideia contrária à da principal,) ,Embora haja, ainda que, conquanto, dado que, posto que, em que, quando mesmo, mesmo que, por menos que, por pouco que, apesar de que

  • GAB:CERTO

    Assertiva:

    No primeiro período segundo parágrafo, o trecho “embora haja” poderia ser substituída por apesar de existir sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto.

    ...,embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz

    ...,apesar de existir registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz

    Concessivas: introduzem uma oração que expressa ideia contrária à da principal, sem, no entanto, impedir sua realização. São elas: embora, ainda que, apesar de que, se bem que, mesmo que, por mais que, posto que, conquanto,

  • Entendi que a correção gramatical é mantida, mas vejamos... o sentido permanece?

    ...,embora haja registro de que... -> verbo haver no sentido de existir é impessoal, logo registro é OD.

    ...,apesar de existir registro de que... -> já com o verbo existir o termo registro é sujeito.

    Isso não altera o sentido? se alguém tiver algo a acrescentar, agradeço :)

  • O verbo haver quando faz papel de Existir não é impessoal?

  • Transcrevo o comentário da Colega, visto que isso também me fez errar. Todos sabemos que o verbo Haver com o sentido de Existir é impessoal, logo, ele não possui sujeitos e sim Objeto Direto.

    (...) embora haja registro de que (...) Haja o que ? Registro, ou seja, isso é OD

    Beleza, entendi que a troca da Conjunção (Embora) pela locução conjuntiva (Apesar de) mantém o sentido de Concessividade, além da correção gramatical manter-se correta, porém, com a substituição do Haver por Existir, que é Pessoal, não ocorria uma troca de sentido ? Visto que o que era Objeto Direto tornou-se sujeito

    (...) apesar de existir registro de que (...) Existir o que ? Registro, ou seja, Sujeito, visto que esse verbo é pessoal.

    Alguém por gentiliza poderia explicar tanto a mim como a colega ? Talvez eu esteja viajando e achei cabelo em ovo, mas por favor, peço a ajuda de vocês :)

    Cara, vocês só estão copiando a mesma coisa, que Embora e apesar de é concessiva, ok, isso todo mundo sabe, mas ninguém se atentou ao fato de que Haver é Impessoal e Existir é Pessoal ?

  • Eu acho o seguinte.............................

    "embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz" É UM ADJUNTO ADVERBIAL DE LONGUÍSSIMA EXTENSÃO.

    Se retirarmos os termos interferentes da oração inteira, ficaria assim:

    "O Brasil não se baseou na irrigação, embora haja registro de que os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santo Cruz.

    Se for assim, não tem como você tentar achar sujeito ou complemento em um adjunto adverbial. A questão só quis saber sobre o valor semântico das conjunções.

    EMBORA - Concessivo

    APESAR DE - Concessivo.

  • De fato! No trecho “embora haja registro…”, o termo “registro” atua como objeto direto e “embora” é um conector de concessão.

    Já em “apesar de existir registro”, o termo “registro” atua como sujeito e “apesar de” é uma locução conjuntiva concessiva.

    Gabarito: CERTO

  • ✅ Correta

    Coerência = OK.

    Correção gramatical = OK.

    Sentido = OK

    Ambas as conjunções são SUBORDINADAS CONCESSIVAS. Ex: Embora, conquanto, não obstante, ainda que, mesmo que, se bem que, posto que, por mais que, por piro que, apesar de que, a despeito de, malgrado, em que pese que...

    Fonte: Tabela de conectivos do Prof: Elias Santana, Gran Cursos. BONS ESTUDOS!!!

    Pessoal, estou disponibilizando meu resumo de AFO, especificamente dentro da LRF, a partir do dia 16/02. Quem tiver interesse é só falar comigo no PV.

  • Galera, vocês identificaram erro de concordância no enunciado da questão?

    No primeiro período segundo parágrafo, o trecho “embora haja” poderia ser substituída (o que poderia ser substituído = "o trecho") por apesar de existir sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto.

    Agradeço a ajuda de vocês.

  • Concessiva: embora, conquanto, ainda que, mesmo que, posto que, bem que, se bem que, apesar de que, nem que,em que, que, a despeito de ....

  • por mais que tenha preservado o sentido de concessão houve uma mudança de termo.

    Sabemos que o verbo Haver é impessoal, quando é mudado para o verbo Existir passa a ter um sujeito.

    "embora haja registro de que" Objeto direito

    "apesar de existir registro" Sujeito

  • Ambas são conjunções adversativas concessivas e são cabíveis no período do texto.

    GAB: CERTO

  • Questão do Cespe eu sempre tento prestar mais atenção kkk

  • CONCESSIVAS: MESMO QUE, AINDA QUE, EMBORA, APESAR DE, CONQUANTO, POR MAIS QUE, POSTO QUE, SE BEM QUE, NÃO OBSTANTE E ASSIM QUE.

  • Pra quem não lembrar que são conjunções concessivas é só colocar em uma frase mais simples.

    Exemplo:

    Embora você vá, eu gostaria que ficasse.

    Apesar de você ter que ir, eu gostaria que ficasse.

  • CONJUNÇÕES CONCENSSIVAS EMBORA,APESAR DE,AINDA QUE, SE BEM QUE...

    VERBO HAVER(HAJA) COM SENTIDO DE EXISTIR....

  • CERTO.

    No trecho “embora haja registro…”, o termo “registro” atua como objeto direto e “embora” é um conector de concessão.

    Já em “apesar de existir registro”, o termo “registro” atua como sujeito e “apesar de” é uma locução conjuntiva concessiva.

    Fonte: direção concursos

  • Certa

    sobre o assunto:

    Prova: VUNESP - 2018 - PC-SP - Escrivão de Polícia Civil

    Assinale a alternativa que reescreve o trecho destacado na passagem – Apesar dos sinais de recuperação da economia, o número de brasileiros endividados chegou a 61,7 milhões em fevereiro passado... –, em consonância com a norma-padrão de concordância e preservando o sentido que a conjunção que o inicia imprime no contexto.

    R: Embora haja sinais de recuperação da economia...

    Prova: CCV-UFC - 2017 - UFC - Auxiliar em Administração

    Assinale a alternativa em que a frase “embora haja um ceticismo evidente acerca de suas afirmações...” (linha 13) está reescrita conforme a norma padrão.

    R: Ainda que existam pessoas céticas sobre suas afirmações...

    - Com relação ao sentido e aos aspectos linguísticos do texto acima, julgue o item subsequente.

    A conjunção “Embora”, em “Embora o Leste Asiático tenha se mantido independente” (L.13), poderia ser corretamente substituída por Apesar de, feitas as devidas alterações na forma verbal “tenha”. CERTA

  • é uma receitinha de todas as bancas, trocar conjunções e vê se o tempo verbal não altera.

  • Gabarito: Certo

    Orações Subordinada Adverbial

    Concessiva:Embora, ainda que, apesar de que, conquanto.

  • Certo. Mais uma vez a banca querendo pregar uma peça !

  • Mas a correção gramatical não se manteve por causa dos verbos haver e existir. Aguardando o gab definitivo.

  • Duas coisas a considerar nessa questão:

    1) Não alteração de sentido entre as orações, sendo ambas concessivas.

    2) Flexão do verbo existir, que não foi exigida.

  • Várias explicações iguais só pra receber curtidas... Vai entender!

  • orações subordinadas Concessivas: introduzem uma oração que expressa ideia contrária à da principal, sem, no entanto, impedir sua realização. São elas: embora, ainda que, apesar de que, se bem que, mesmo que, por mais que, posto que, conquanto, a despeito de, etc.

     Embora fosse tarde, fomos visitá-lo.

    O verbo haver fica na 3°pessoa do singular, quanto à predicação, ele é transitivo direto. O elemento que parece ser sujeito, na verdade é objeto direto. Em locução verbal, cujo verbo principal seja o "haver", significando "existir" ou "acontecer" ou "ocorrer" ou indicando tempo decorrido, o verbo auxiliar também ficará na 3° pessoa do singular.

     Só para complementar e lembrá-los: 

    • Verbo EXISTIR:
    • Tem sujeito 
    • Não tem complemento (intransitivo)

    1. verbo HAVER:
    2. Não tem sujeito (verbo impessoal)
    3. Tem complemento.

    O verbo "Haver" ou sua forma "Há" quando forem auxiliares de verbos que virá no infinitivo ou particípio, precedidos ou não de preposição, ele será pessoal.

    Ex:

    • Eles haviam chegado cedo.
    • Eles tinham chegado cedo.

    Além disso, como verbo pessoal (com sujeito), pode assumir o sentido de “obter”, “considerar”, “lidar”, ainda que esses usos sejam menos recorrentes:

    1. Houveram (= “obter”) do juiz a comutação da pena (sujeito: “comutação da pena”).
    2. Nós o havemos (= “considerar”) por honesto. (sujeito: “nós”)
    3. Os alunos houveram-se (= “lidar”) muito bem nos exames. (sujeito: “os alunos”)

    ✨O verbo “haver”, portanto, precisa ser usado com atenção (especialmente, quando ele é impessoal), para evitar erros gramaticais

  • AS PRINCIPAIS CONJUNÇÕES CONCESSIVAS COBRADAS PELO CESPE.

    • Por mais que
    • por menos que
    • apesar de que
    • embora
    • conquanto
    • mesmo que
    • ainda que
    • se bem que.

  • GAB C

    Ambas são concessivas.

    Embora + verbo no modo subjuntivo

    Apesar de + verbo no modo infinitivo.

    O Haja é uma forma verbal do verbo haver, que é usado maioritariamente com sentido de existir ou ter.

  • “embora haja registro…”, o termo “registro” atua como objeto direto

    Já em “apesar de existir registro”, o termo “registro” atua como sujeito

    Pensei que isso iria alterar a correção gramatical! :(

    Mais alguém errou por pensar dessa maneira ?

  • Cespe adora o verbo HAVER, ESTUDEM ESSE MALDITO...

  • A questão requer conhecimento acerca dos valores semânticos das conjunções e preposições.

    O trecho “embora haja", no primeiro período do segundo parágrafo, poderia ser substituído, sem prejudicar o sentido original e a correção gramatical, pelo trecho “apesar de", visto que a conjunção subordinativa adverbial concessiva embora tem o mesmo valor semântico da locução prepositiva apesar de.

    Observação: grupo de palavras que termina com preposição é classificada como locução prepositiva. Isso é uma dica para não confundir com locução conjuntiva, esta termina com a palavra “que".


    Exemplos: a fim de (termina com a preposição “de", logo é locução prepositiva); a fim de que (termina com a palavra “que", logo é locução conjuntiva).


    A oração subordinada adverbial concessiva (desenvolvida ou reduzida) exprime um fato contrário ao da oração principal, mas não suficiente para anulá-lo ou impedi-lo. Lembrando que esse tipo de oração pode ser introduzido por uma conjunção concessiva ou preposição com valor concessivo.

    A substituição do verbo haver em “embora haja" por existir em “apesar de existir" é válida porque o verbo haver está no sentido de existir.


    O verbo haver, no sentido de existir, acontecer, ocorrer ou indicando tempo passado, é impessoal, ou seja, oração sem sujeito e, nesse caso, só deve se flexionar na 3ª pessoa do singular. Já os verbos existir, acontecer ou ocorrer são pessoais.

    A substituição ficaria assim: “apesar de existir registro", o verbo deve permanecer no singular porque seu sujeito é “registro".


    Gabarito da professora: CERTO.

  • Explicação simples e prática:

    No primeiro período segundo parágrafo, o trecho “embora haja” poderia ser substituída por apesar de existir sem prejuízo da correção gramatical e dos sentidos originais do texto.

    Certo

    embora haja

    apesar de existir

    São conjunções concessivas= Exprimem ideia de contrariedade

    Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro.

    Percebe- se a ideia de contrariedade do que foi dito pelo autor na primeira ideia do texto, exposto na segunda ideia do texto.

  • Ambas concessivas !!

  • Agora se fosse uma palavra no plural (Ex: Registros), estaria errada. Verbo haver no sentido de existir é invariável. Já o verbo existir, não!!!

  • Para este tipo de questão, quando mais vc estuda, mais errará, - temos que pegar o "felling" da questão... o examinador quis saber se vc, além de compreender acerca dos conectivos (concessão, adição, etc), sabe olhar tempo verbal : impessoalidade do verbo Haver e a flexão do "existir". Só isso... é complicado porque, na minha opnião, o sentido muda quando se passa OD para Sujeito, embora eu tenha errado por não realizar bem a análise sintática da frase. Registro(singular) não há problema trocar, pois não prejudica a concordância. PF TÔ CHEGANDO, BEBÊ!

  • CUIDADO

    Conjunções concessivas devem estar no SUBJUNTIVO.

    Inclusive o "APESAR DE QUE"... Agora Advinha o único diferente? APESAR DE, esse deve ficar no INFINITIVO, portanto, questão correta.

  • Questão pra deixar em branco.

  • Conjunções concessivas pedem verbo no subjuntivo

    Mas o "apesar de" não é conjunção, é locução prepositiva então não precisa estar no subjuntivo

  • Essa Questão é fácil, esse questão cai no Sujeito, "Embora HAJA" está substituindo o Existir, porque o Haja está, nesse caso, como Existir. "Embora Exista" então: "Apesar de Existir" Não muda o sentido do texto."

  • EMBORA e APESAR DE são concessivas...

    lembrando que HAJA e EXISTIR estão no modo SUBJUNTIVO o qual exprimem hipótese, além disso, o verbo HAVER no sentido de existir pode ser trocado pelo verbo EXISTIR.

    Que eu HAJA (presente do subjuntivo)

    Quando eu EXISTIR (futuro do subjuntivo)

  • Essa questão da pra resolver pelo resto da frase:

    Calma eu explico... O restante da frase temos certeza de que pode ser trocado por se tratar de uma certeza não uma hipótese! Muitas questões do cespe principalmente de português devemos sempre olha pra oração toda não só pra um trecho.

  • De fato! No trecho “embora haja registro…”, o termo “registro” atua como objeto direto e “embora” é um conector de concessão.

    Já em “apesar de existir registro”, o termo “registro” atua como sujeito e “apesar de” é uma locução conjuntiva concessiva.

  • GABARITO: CERTO

  • O que acabou comigo foi a mudança do modo verba... "Haja" está no modo subjuntivo... Existir está no modo infinitivo impessoal. Não há mudança de sentido nesse caso? A permuta das conjunções é plenamente possível.

    Sei que o subjuntivo pode ser permutado pelo pretérito imperfeito, sem mudança de sentido.

    Exemplo: ERA por SERIA.

  • DICA:  Para verificar o sentido, troca-se uma conjunção por outra de valor equivalente. Para fixar:

    CONJUNÇÕES COORDENATIVAS 5

    1ADVERSATIVAS

    CO-TO-NO-ENTRE-PO-MA

    1. *CONTUDO
    2. TODAVIA,
    3. *NO ENTANTO
    4. **ENTRETANTO,
    5. **PORÉM,
    6. *MAS,

    2ADITIVOS

      *COMO TAMBÉM,

    **E,

    NEM

     NEM...NEM,

    *NÃO SÓ

    MAS TAMBÉM,

    TAMPOUCO,

    TANTO...QUANTO

    3ALTERNATIVOS

     OU,

    OU...OU,

    ORA...ORA,

     JÁ...JÁ,

    QUER...QUER,

     SEJA...SEJA

     4CONCLUSIVAS

    LOGO,

    POIS,

    POR ISSO,

    **PORTANTO,

    *POR CONSEGUINTE,

    *ASSIM

    EM VISTA DISSO

    ENTÃO...

    EXPLICATIVOS

    QUE,

    *POIS,

    *PORQUE,

    *PORQUANTO

    *CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS ADVERBIAIS

    CONCESSIVOS:  

    1. *APESAR DE,
    2. EM QUE PESE.
    3. A DESPEITO DE,
    4. **CONQUANTO,
    5. *EMBORA,
    6. SE BEM QUE,
    7. *AINDA QUE,
    8. NÃO OBSTANTE,
    9. MALGRADO,
    10. *MESMO QUE,
    11. POR PIOR QUE,
    12. POR MAIS QUE,
    13. POSTO QUE,

    CAUSAIS

    *POIS,

    PORQUE,

    PORQUANTO,

    *VISTO QUE,

    *COMO,

    *UMA VEZ QUE,

    *NA MEDIDA EM QUE,

    HAJA VISTA QUE,

    *JÁ QUE

    CONFORMATIVAS

    *SEGUNDO,

    *CONFORME,

    CONSOANTE...

    DA MESMA MANEIRA QUE,

     ASSIM COMO,

    COM QUE.

    CONSECUTIVOS (CONSEQUÊNCIA)

    TÃO...+QUE,

    TAMANHO...+QUE,

    TANTO...+QUE,

    TAL...+QUE,

    *DE MODO QUE,

    DE MANEIRA QUE

     TANTO QUE,

    DE SORTE QUE,

    SEM QUE.

    COMPARATIVOS

    *COMO,

    MAIS...(DO) QUE,

    MENOS...(DO) QUE,

    TÃO...COMO,

    TAL...COMO,

    TANTO...QUANTO,

    TÃO...QUANTO,

    *ASSIM COMO

    CONDICIONAIS

     *SE,

    SEM QUE,

    SE NÃO,

    A NÃO SER QUE,

    A MENOS QUE,

    *CONTANTO QUE,

    CASO,

    SALVO SE,

    *DESDE QUE

    EXCETO SE,

    PROPORCIONAIS

    *À PROPORÇÃO QUE;

    *À MEDIDA QUE;

    *AO PASSO QUE;

    **QUANTO MAIS/MENOS/MAIOR/MELHOR/PIOR...

    (TANTO → FACULTATIVO)

    MAIS/MENOS/MAIOR/MELHOR/PIOR

    FINAIS

     *PARA,

    **PARA QUE,

    *PORQUE

    A FIM DE QUE,

    DE MODO QUE,

    DE FORMA QUE,

    DE SORTE QUE,

    TEMPORAIS:

    QUANDO,

    ENQUANTO,

    EIS QUE

    ASSIM QUE,

    ATÉ QUE,

     LOGO QUE,

    MAL,

    DESDE QUE,

    DEPOIS QUE,

     

  • A expressão “Ainda que” (ℓ.36) poderia ser substituída por Embora, sem alteração dos sentidos e da correção gramatical do texto.

    VERBO NO SUBJUNTIVO = EMBORA FOSSE   Concessão:    CONQUANTO, malgrado, em que se pese, , apesar de queMESMO QUE,     MESMO ASSIM, APESAR DE, AINDA QUEPOSTO QUE, A DESPEITO,   POR MAIS QUE,   se bem que, em que pese = apesar de, sem embargo de, a despeito de, não obstante, MESMO ASSIM, APESAR DISSO

     

     

  • Quando comecei estudar, só queria cargo federal, top !

    Depois, foi vindo as reprovações, ai achei melhor um que pague bem, nível médio.

    Ai veio a pandemia, e já estou aceitando até concurso para o IBGE, ops ! não vai ter esse ano. rsrsrsrsrsrs

    Mas, entretendo, todavia, não, não, não, desisto. Vou vencer na insistência.

    Um dia a banca, vai me convidar para ser aprovado. rsrsrsrsrs

  • Minha contribuição.

    Conjunções / locuções conjuntivas subordinativas adverbiais concessivas: embora, ainda que, mesmo que, por mais que, apesar de que, posto que, conquanto etc.

    Ex.: Embora gritasse, não me ouviam.

    Ex.: Apesar de gritar, não me ouviam.

    Abraço!!!

  • GAB C simplificando

    Conjunções subordinativas concessivas: Embora = apesar de

    Singular: haja=existir

  • CORRETO! AMBAS SÃO CONCESSIVAS, VEJA:

    embora;

    conquanto;

    ainda que;

    apesar de;

    posto que;

    mesmo que;

    em que pese.

  • GABARITO: CERTO

    TEXTO: “embora haja registro…”, o termo “registro” atua como objeto direto e “embora” é um conector de concessão.

    Já em “apesar de existir registro”, o termo “registro” atua como sujeito e “apesar de” é uma locução conjuntiva concessiva.

    Bons Estudos!

  • Questão interessante, pois envolve conjunção e a concordância do verbo Haver.

  • Embora haja: Vários aspectos....

    Apesar de existir: Vários aspectos.

    OBS: Se estivesse assim: apesar de existirem... estaria errada.

  • certo ✓ trocou uma conjunção concessiva por outra concessiva. e o verbo haver está no sentido de existir.
    • A Conjunção Subordinativa Adverbial Concessiva embora tem o mesmo valor semântico da Locução Prepositiva apesar de - exprime um fato contrário, mas não suficiente para anulá-lo ou impedi-lo.
    • A substituição do verbo haver é válida porque está no sentido de existir.
    • Permanece no singular porque seu sujeito é registro.
  • fiquem ligados, se o termo "registro" estivesse no plural, o correto seria "apesar de existirem", já que o emprego do verbo haver na ocorrência é impessoal, ou seja, não se flexiona para concordar com o sujeito.

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R

  • A questão requer conhecimento acerca dos valores semânticos das conjunções e preposições.

    O trecho “embora haja", no primeiro período do segundo parágrafo, poderia ser substituído, sem prejudicar o sentido original e a correção gramatical, pelo trecho “apesar de", visto que a conjunção subordinativa adverbial concessiva embora tem o mesmo valor semântico da locução prepositiva apesar de.

    Autor: Elizabeth da Silva, Professora de Língua Portuguesa e Pós-Graduada em Língua Portuguesa., de Português

    Bons Estudos!

  • Pra quem fica com dúvida sobre EXISTIR E HAVER, fica a DICA:

    1. Haver - verbo IMpessoal -> logo NÃO tem PESSOA praticando a ação, e como verbo concorda c/ sujeito, então não se conjuga.
    2. Existir - Verbo Intransitivo -> tem sujeito, não tem complementos. Então se conjuga
  • -

    Conjunções Concessivas [principais]

    • Embora
    • Ainda que
    • Apesar de
    • Se bem que
    • Mesmo que
    • Por mais que
    • Posto que
    • Conquanto [CESPE também gosta de utilizar]

    Portanto, é perfeitamente correta a troca de "embora haja " por "apesar de existir".

    As questões se repetem até em português, vejam:

    Ano: 2020 Banca: CESPE / CEBRASPE Órgão: Ministério da Economia Provas: CESPE / CEBRASPE - 2020 - Ministério da Economia - Tecnologia da Informação - Segurança da Informação e Proteção de Dados 

    No quarto período do texto, a substituição de “embora desperte” por apesar de despertar manteria a correção gramatical e o sentido original do texto. Resp.: C

    Quarto período: "Essa quebra de rumo com relação a centenas de anos de pensamento científico já é suficientemente chocante, mas há outro aspecto da teoria quântica que nos confunde ainda mais, embora desperte menos atenção.

  • O verbo haver está no sentido de existir.

    Apesar de é uma conjunção subordinativa concessiva, como EMBORA.

    Portanto, não há prejuízo gramatical, nem para os sentidos do texto.

  • GAB. CERTO

    Concessivas: Embora, ainda que, apesar de que, mesmo que, posto que, conquanto.


ID
5028373
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


No sétimo parágrafo, o termo “Ali” (no início do segundo período) refere-se à expressão "região Nordeste" e funciona como elemento de coesão.

Alternativas
Comentários
  • Gab. C

    Ali é um advérbio de lugar que retoma anaforicamente a região Nordeste.

    "Ali (= na região Nordeste), a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas. Parafraseando Arenildo, questão inteiramente boa. 

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • Alí onde? Região Nordeste.

  • ✔CORRETA.

     Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali( Ali onde? Ali na região Nordeste), a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

  • Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali (= naquele), a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    Ali= retoma o termo mais distante, seria o mesmo sentido quando usamos "aquele". Logo, não faz sentido retomar Semiárido ou vale do São Francisco que foram recém citados

  • GABARITO - CERTO

    Pela coerência das ideias apresentadas, faz total sentido associar o advérbio “Ali” à região Nordeste.

    Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali ( NA REGIÃO NORDESTE ), a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

       

  • No sétimo parágrafo, o termo “Ali” (no início do segundo período) refere-se à expressão "região Nordeste" e funciona como elemento de coesão.

    CERTO

     Na região Nordeste, [...]. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    • O contexto próximo é da região Nordeste;
    • A região como um todo que sofre com secas periódicas;
    • Na região Nordeste a irrigação é vista como importante

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade."

  • Os elementos de coesão são aqueles os que ligam as frases ou palavras dentro de um texto. Podemos dizer que tais elementos são responsáveis pela organização das ideias no plano da linguagem textual.

    O termo ALI, refere-se (Na região Nordeste) e tido como um elemento anafórico.

  • Errei por achar que seria mais indicado o Lá, no lugar de Ali, por se encontrar mais distante.

    Mas, olhando com atenção, vi que ''Na região Nordeste,'' está deslocada no texto.

    Poderia assim ser rescrita, eu acho, kkkk

    A irrigação foi introduzida pelo governo federal na região Nordeste e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco.

    A irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco na região Nordeste.

  • Minha contribuição:

    De acordo com o descrito nos parágrafos 7 e 8, é possível compreender que o plano de irrigação tem maior incidência na região nordeste, com especial enfoque na região semiárida e, ainda mais especificamente, na região do Vale do São Francisco. Poderíamos utilizar o "ali" para três hipóteses: "região nordeste"; "região semiárida"; e, por fim "vale do São Francisco". Se adotássemos como termos referenciados apenas "região semiárida", excluiríamos "região nordeste" e "vale do São Francisco". Se adotássemos "vale do São Francisco", ocorreria algo semelhante. Essas hipóteses não coadunam com o texto, já que todos os três são irrigados e percebem a irrigação como uma "importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas" (p. 8). No entanto, ao adotarmos a "região nordeste" como elemento referenciado, não estaríamos excluindo "vale do São Francisco" e "região semiárida", mas sim abrangendo elas. Nesse sentido, há sim correta correlação com as informações veiculadas no texto e, portanto, o gabarito é CORRETO.

    Espero ter contribuído.

  • GAB:CERTO

    Os elementos de coesão são aqueles os que ligam as frases ou palavras dentro de um texto. Podemos dizer que tais elementos são responsáveis pela organização das ideias no plano da linguagem textual. É o uso correto desses conectivos que dará ao texto a consistência necessária para a compreensão, isto é, para que o texto comunique alguma coisa.

    No caso da questão, foi utilizado um adverbio de lugar para retomar a região Nordeste.

    ASSERTIVA:

    No sétimo parágrafo, o termo “Ali” (no início do segundo período) refere-se à expressão "região Nordeste" e funciona como elemento de coesão.

     Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

     (Na região Nordeste, a irrigação é vista como importante medida...)

    Fonte:https://www.concursosnobrasil.com.br/escola/portugues/elementos-de-coesao.html#:~:text=Os%20elementos%20de%20coes%C3%A3o%20s%C3%A3o,palavras%20dentro%20de%20um%20texto.&text=da%20linguagem%20textual.-,%C3%89%20o%20uso%20correto%20desses%20conectivos%20que%20dar%C3%A1%20ao%20texto,pronomes%20relativos%20e%20as%20conjun%C3%A7%C3%B5es.

  • CERTO.

    É só fazer a pergunta:

    "Ali aonde?" --> Na região nordeste!

    ______

    Bons Estudos.

  • Assertiva C

    No sétimo parágrafo, o termo “Ali” (no início do segundo período) refere-se à expressão "região Nordeste" e funciona como elemento de coesão.

  • Gab: CERTO

    É simples, mas cai. Veja!

    1. Utilizamos o "AQUI, ALI, - Quando o objeto ou pessoa está ao alcance dos nossos olhos e, portanto, está acessível:
    • AQUI: PERTO de quem FALA - refere-se a ISTO.
    • ALI: LONGE de AMBAS as pessoas - refere-se a AQUILO.
    • : PERTO da pessoa COM QUEM SE FALA, refere-se a ISSO.

    Portanto, o termo "ali" retoma, por coesão, a expressão "região Nordeste", pois esta está longe de ambas as pessoas com quem se fala e funciona como elemento anafórico.

    Minhas anotações.

    Erros, mandem mensagem :)

  • De fato! Pela coerência das ideias apresentadas, faz total sentido associar o advérbio “Ali” à região Nordeste.

    Gabarito: CERTO

  • Pessoal, alguém sabe me dizer o porque de ser "região Nordeste" e não "Na região Nordeste"?

    Para mim precisaria do "Na" para ter coesão...

  • "Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido (ALI) e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco (AQUI). Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais."

    Por que não poderia ser dessa forma, relacionando o "ali" a Semiárido? Entendi que o "ali", usado em contraposição ao "aqui", estaria relacionando esses 2 termos (Semiárido e vale do São Francisco), por serem 2 termos próximos (ainda mais próximos que o próprio termo "Região Nordeste", resposta da banca), sendo um mais próximo e outro mais distante.

    Assim:

    Aqui = vale do São Francisco

    Ali = Semiárido

    Se a resposta for com base no contexto, tanto no Nordeste quanto no semiárido, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais. Associar a irrigação a um só deles retiraria o outro da necessidade de irrigação. E, se for comparar Nordeste e Semiárido, o Semiárido, região central do Nordeste, extremamente seca, precisa MUITO MAIS de irrigação do que o Nordeste em termos gerais pois, quando se fala Nordeste, incluem-se regiões que não são secas como o Semiárido, a exemplo das capitais nordestinas.

    Pensei dessa forma.

  • ALI E LÁ -> NAQUELE LUGAR

    AQUI E CÁ -> NESTE LUGAR

  • O termo "Ali" não poderia se referir ao Semiárido ou vale do São Francisco?

  • Elemento coesivo anafórico

  • Pra mim, parece ser adjunto adverbial de lugar.

  • acredito que a banca, ao falar elemento de coesão, não esteja buscando o termo anafórico referente ao sujeito e sim um termo no qual a palavra ALI possa dar continuidade/ coesão ao tema proposto e isso só poderia ocorrer se o termo se referisse à REGIÃO NORDESTE.

    ALI= NAQUELA REGIÃO ( adjunto adverbial )

  • Coesão é a conexão, ligação, harmonia entre os elementos de um texto. Percebemos tal definição quando lemos um texto e verificamos que as palavras, as frases e os parágrafos estão entrelaçados, um dando continuidade ao outro. Os elementos de coesão determinam a transição de ideias entre as frases e os parágrafos.

    Dento em vista a definição de COESÃO, perceba que ele liga os elementos do texto, bem como está no comando da questão, o  “Ali” está ligando/retomando a expressão "região Nordeste".

  • Errei por achar que se referia ao Vale do São Francisco

  • certoo. Desconheço banca mais malvada !!

  • Ali baba da REGIAO NORDESTE

  • Não seria referência ao vale do são Francisco,

  • se fosse numa situaçao real, eu nao marcaria

  • Aqui,cá,aí,ali,lá,acolá-->são advérbios pronominais e valor dêitico(fora)

  • Pra quem ficou em dúvida entre se referir a "vale do São Francisco" ou "região Nordeste":

    Aqui → termo mais próximo [= vale do São Francisco]

    Ali → termo mais afastado [= região Nordeste]

    ____________________________________________

    Exemplo com os termos sendo utilizados em conjunto:

    A Nespresso tem representações no Porto e em Lisboa.

    Tanto aqui como ali o seu lema é servir um bom café.

    Fonte: Breve Abordagem Semântica e Pragmática de Aqui, Aí e Ali [é um artigo científico da Letras]

    Parece corroborar a explicação do colega Mário Diego.

  • Gabarito Certo

    Coloca na ordem direta:

    A irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco na região Nordeste. Ali...

    Ali onde? Na região nordeste.

    "Prepara-se o cavalo para o dia da batalha, porém do Senhor vem a vitória". - Pv. 21:31

    Bons Estudos!

  • Aqui ou cá = isto/este/esta

    Ali = aquilo/aquele/aquela

    = isso/esse/essa

  • Errei essa por achar que se referia ao vale do São Francisco... Pelo que entendi o "Ali" se refere algo mais distante... Se no lugar tivesse "Aí" ou "aqui" teria acertado... que se refere a um termo mais próximo. :P errar aqui pra acertar na prova...

    Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação"

  • A irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco, na região NordesteAli, a irrigação...

  • Estruturas textuais:

    Coesão: refere-se aos conectores;

    Coerência: refere-se à ideia lógica;

    Sentido: refere-se à estrutura semântica;

    Correção gramatical: refere-se à norma padrão da lingua portuguesa.

  • GABARITO CERTO

    ali.

    É advérbio de lugar, mas também se usa com valor temporal:

    Até ali (= então), a vida na tribo transcorrera serena, mas com a chegada dos brancos tudo mudou.

    Dicionário de dificuldades da língua portuguesa - Cegalla

  • Ali poderia ser: "Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido (ALI) e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco (AQUI). Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais."

    Lógico que tanto o vale do São Francisco ( Local físico, existente, real) quanto Semiárido ( diz-se das regiões e dos climas das zonas periféricas às regiões áridas.) são na verdade parte do ponto de referência maior que é a Região Norte. Portanto "ali" poderia ser qualquer um, ficou a critério do examinador. A explicação que Ali indica, contudo, uma proximidade maior, ou mesmo um lugar distante que é visível, cabe a qualquer das 3 opções, Semiárido, vale e região, pois nada estava perto do autor. 23:02 do dia 29/03/2021 e eu falando sozinho com meu computador! #PF2021 (SarsCOV) Lockdown.

  • Vi inúmeras explicações, um copia e cola danado, e ninguém explica pq ali não se refere ao SEMIARIDO OU AO VALE DO SÃO FRANCISCO. Uns comentários que não ajudam de jeito algum.

  • Alguns colegas perguntando por que retoma Região Nordeste ao invés de semiárido, motivo,Alí se refere termo distante, caso quisesse se referir a outros termos diria aqui. Comentem nesse aspecto pessoal, já que essa é a verdadeira dúvida.

  • Ali, refere-se a lugar = Região Nordeste.

  • Alguma explicação mais abrangente ref. a coesão? "Help"...

    "Coesão: refere-se aos conectores"

  • Ali=lugar = Região Nordeste.

    #estudaguerreiro

    #fenopaiquesuaaprovacaosai!

  • De fato! Pela coerência das ideias apresentadas, faz total sentido associar o advérbio “Ali” à região Nordeste.

  • O termo "Ali" claramente retoma "no semiárido", até mesmo por uma questão de bom senso e um pouco de conhecimento geográfico! A região nordeste não se resume ao semiárido, e as secas periódicas ocorrem no semiárido e não em toda a região. 

     Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    A professora defende que o termo "ali" retoma algo mais distante. E, sim, semiárido está antes de "Vale do são Francisco", já caracteriza o distanciamento. 

    Examinador fuleiro e preconceituoso com o meu Nordeste kkkk #chateada

  • GABARITO: CERTO

  • Ali = advérbio de lugar "Região Nordeste"

    Funciona como elemento de coesão? SIM

    COESÃO = (LIGAÇÃO/CONEXÃO/SETAS) referente.

    "Tudo é possível àquele que crê. Tenha fé"

  • @Joyce Silva, também achei uma questão vaga, apesar que marquei certo.

  • ufa por pouco pens ei que s eria região s semiárida.

  • Imaginei que se referisse ao VALE DO SÃO FRANCISCO, não a região Nordeste como um todo.

  • Ali tá se referindo ao termo mais distante dentro do período anterior, não ao mais próximo.

    • Aqui = isto/este/esta (Está perto)
    •  = isso/esse/essa (Está Mediano)
    • Ali = aquilo/aquele/aquela (Está Longe)
  • Essas horas eu queria ter nascido nos EUA pra não ter que sofer com essa putaria que é a Língua Portuguesa.

  • Aqui = São Francisco.

    Ali = Região nordeste.

  • A meu ver, fui diretamente ao termo "Nordeste", visto ser um termo mais longe e tudo mais, e o abrangente/geral que o texto retrata.

    Não vi muita ambiguidade, por ler somente a 1ª parte do período. A super concordo que se fosse aqui, talvez pudesse se referir ao Vale São Francisco. Porém, "ali" fica mais longe, digamos.

    GAB CERTO

  • Fui salvo pela vírgula depois de "Na região Nordeste".

    Gab.:CERTO

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Me diz uma coisa, esta fazendo só questões e esta esquecendo de treinar para a REDAÇÃO!?

    Por que não adianta de nada passar na prova objetiva e reprova na redação, se isso acontece contigo vai ser um trauma para o resto da vida.

    Pensando nisso deixo aqui minha indicação de um curso de redação que tem me ajudado muito na preparação, quem tiver interesse em melhorar na discursiva é uma boa opção.

    Link do site: https://go.hotmart.com/D49209586D

  • Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco.

    Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    Ali: região nordeste

    Aqui: vale do São Francisco.

  • Questão LINDAAAA! - 110% Certa!

  • Ali equivale ao aquele, aquilo, naquele, naquilo. Refere-se ao termo que está mais longe do elemento de coesão.

    Aqui equivale ao isto, este (a). Refere-se ao termo que está mais próximo do elemento de coesão.

    Ali → No Nordeste.

    Aqui → Vale do São Francisco

  • GABARITO: CERTO

    A coerência das ideias apresentadas, faz total sentido associar o advérbio “Ali” à região Nordeste.

    Bons Estudos!

  • ALI = sentido de lugar e não de coisa. Pegue ali aquele algodão - Pegue naquele lugar o algodão.

  • Normalmente é assim:

    Aqui = Neste (mais próximo)

    Ali = Nesse (um pouco distante)

    Lá = Naquele (distante)

    Fonte: Alexandre Soares (pão, pão, queijo, queijo)

  •  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    ALI/ AQUILO = Longe

    AQUI/ ISTO = Perto

  • Oração não está na ordem direta, você colocando, nota-se que a " região nordeste " é ultima da oração, retornando o "ali". Essa parada de ali, aqui sei lá o que, nunca nem vi!

  • Embora tenha acertado a questão, ficou bem ambígua... Tive de ler 3x, até deslocar o adjunto adverbial do início da frase para o local de origem.

  • QUESTÃO: No sétimo parágrafo, o termo “Ali” (no início do segundo período) refere-se à expressão "região Nordeste" e funciona como elemento de coesão. CERTA.

    TEXTO:  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. INÍCIO DO 2º PERÍODO Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    Ali, equivale AQUILO, ao termo mais longe, no caso da questão se refere a região nordeste.

    Bons Estudos!


ID
5028376
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


No último parágrafo do texto, o pronome “ela”, em “Aliada a ela”, refere-se à expressão “produtividade agrícola”.

Alternativas
Comentários
  • Gab. E

    O pronome "ela" retoma irrigação. "Aliada a ela [a irrigação], uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • gaba ERRADO

    [...] A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela(a irrigação), uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    pertencelemos!

    *****************************************************************************************

    MATERIAL DEPEN E PRF RETA FINAL COMENTADO. PREÇO DE CONCURSEIRO PARA CONCURSEIRO :)

  • ❌ERRADO❕❗

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela(ELA QUEM?A IRRIGAÇÃO, BAITINGA KKKK) , uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • ERRADO

    “A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de outras práticas agronômicas deve ser devidamente considerada”.

    O referente de “ela” deve ser necessariamente uma prática agrícola. Isso fica evidente na passagem “uma série de outras práticas agronômicas”. Dessa forma, não faz sentido o pronome “ela” se referir a “produtividade”, pois esta não é uma prática agronômica.

    https://www.direcaoconcursos.com.br/artigos/gabarito-comentado-com-propostas-de-recursos-portugues-codevasf/

    Fonte: Professor José Maria.

  • No último parágrafo do texto, o pronome “ela”, em “Aliada a ela”, refere-se à expressão “produtividade agrícola”.

    ERRADO

       A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, [...]

    • A Irrigação constitui-se em [algo] para [algo]. Aliada a ela [Irrigação]
    • Aliada a ELA [O processo descrito anteriormente]
    • ELA constitui-se [...] --> Troque e perceba como se encaixa.

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade."

  • Gab ERRADO

    O pronome reto "ela" remete-se à irrigação.

  • Errado.

    Faz referência com produtividade agrícola.

    “A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de outras práticas agronômicas deve ser devidamente considerada”.

  • irrigação

  • Questão Errada.

    Ela se refere à irrigação.

    No último parágrafo do texto, o pronome “ela”, em “Aliada a ela”, refere-se à expressão “produtividade agrícola”.

    Voltando ao texto:

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Note que, se fosse referente à ''produtividade agrícola'', teria que se referir: ''O aumento da produtividade agrícola'', ai o pronome de referência teria que ser ELE.

    Aliado a ELE... Ele quem??? ''O aumento da produtividade agrícola.''

  • Na verdade retoma a palavra '' irrirgação''

    errada

  • GAB:ERRADO

    ASSERTIVA:

    No último parágrafo do texto, o pronome “ela”, em “Aliada a ela”, refere-se à expressão “produtividade agrícola”

    Refere-se à irrigação.

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada

    Aliada a irrigação, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada

  • Sem textão pra explicar algo simples.

    Ela refere-se à irrigação.

    Sempre que o Cespe vier com questão se referindo a termo anterior desconfie.

  • A expressão A ela(termo anafórico), refere-se à IRRIGAÇÃO.

  • Pronome “ela”, em “Aliada a ela”, retoma a irrigação.

  • Refere-se à irrigação.

  • IRRIGAÇÃO. A banca sempre vai tentar te confundir com uma palavra próxima.

  • O correto seria:

    No último parágrafo do texto, o pronome “ela”, em “Aliada a ela”, refere-se à expressão “A irrigação”.

  • Assertiva E

      A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • Refere-se à irrigação.Questão errada.

  • Refere-se à irrigação

  • O promone ela refe-se a irrigação

  • Leiamos todo trecho: “A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de outras práticas agronômicas deve ser devidamente considerada”.

    O referente de “ela” deve ser necessariamente uma prática agrícola. Isso fica evidente na passagem “uma série de outras práticas agronômicas”. Dessa forma, não faz sentido o pronome “ela” se referir a “produtividade”, pois esta não é uma prática agronômica. É uma prática agronômica a irrigação.

    Gabarito: ERRADO

  • ❌Errada

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    É a IRRIGAÇÃO aliada à produtividade agrícola.

    Bons estudos!!!

    Pessoal, estou disponibilizando meu resumo de AFO, especificamente dentro da LRF, a partir do dia 16/02. Quem tiver interesse é só falar comigo no PV.

  • É uma situação de referência anafórica:

    "Aliada a ela" tem a mesma referenciação se, no texto, a expressão fosse "Aliada àquela"...

    "Aliada a ela" Ela quem? "A irrigação"

    Gab. Errado

  • Aliada a ela, ela A IRRIGAÇÃO.

  • A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela (IRRIGAÇÃO), uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • Beloveds, eu pensei assim:

    A irrigação (sujeito/nome) constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola (complemento nominal - aumento é subs. abstrato; com preposição e recai sobre produtividade). Aliada a ela (pronome, retoma nome, ou seja, a irrigação), uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Vocês acham que faz sentido essa interpretação?

  • A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Aliada a quem ou o que você pode estar somando para melhorar o aumento da produtividade? aliar outros métodos à irrigação.

  • (ERRADO)

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela ...

    OBS: Questão clássica do cebraspe sobre termos anafóricos;

  • Aliada a quem? A irrigação!

  • A irrigação 

  • Já teve a impressão da banca sempre cobrar aquilo que você menos sabe?

    Enfim

  • Faça a pergunta aliada a quem ? A irrigação

  • Basta fazer a pergunta para a questão:

    Aliada a quem? A irrigação

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Vença seu maior inimigo, você mesmo.

  • ALIADO A QUEM?

    • AUMENTO DA PRODUTIVIDADE AGRICOLA: NAO
    • IRRIGACAO: SIM
  • da produtividade agrícola , não pode ser sujeito por causa da preposição.

    Gabarito errado

  • vc sai da prova de analista contábil e pega essa só pra respirar, jaja vem bordoada!

  • Refere-se à irrigação.
  • Aliada a quem? A irrigação

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola.

    Quem constitui uma das mais importantes tecnologia [...] ? A IRRIGAÇÃO

     Aliada a ela, uma série [...]

  • P-E-R-T-E-N-C-E-R-E-M-O-S-!

  • ERRADO

    "ela" = IRRIGAÇÃO

  • Questão top.

    Fácil de ser respondida, sem precisar querer dá uma de Machado de Assis.

    Dica: quer ficar bom em questões de interpretação, separa todos os dias 30 minutos de leitura, livros de qualquer gênero.

    Com poucas semanas você irá notar uma facilidade em interpretar vários tipos de textos.

    Repetição com correção até a exaustão vai te levar próximo da perfeição.

  • A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela- (RETORNA PARA A PALAVRA IRRIGAÇÃO )

  • Sei nem se tem muita logica pra esta questão mas usei este esquema da Latanne Cristina

    É simples, mas cai. Veja!

    1. Utilizamos o "AQUIALIAÍ Quando o objeto ou pessoa está ao alcance dos nossos olhos e portanto está acessível:
    • AQUIPERTO de quem fala - refere-se a ISTO.
    • ALILONGE de ambas as pessoas - refere-se a AQUILO.
    • PERTO da pessoa com quem se fala, refere-se a ISSO.

    "Aliada a ela" como começa com Ali constei que não ia ser tão perto "mas nem sei se da certo"

  • Isso não é CESPE nem fudend*

  • Aliada a irrigação.

  • Errei de vacilo, mas essa prova não está massante não, se o leitor ler com atenção ele consegue mandar bem.

  • A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Um trecho pequeno, mas que derruba muita gente.

    aliada a quem ou ao que?

    a irrigação

    prova?

    por que a irrigação esta entre outras serie de praticas dentro da produtividade agrícola

  • Aliada a quem? A Irrigação.

    Ficou com duvida, pergunta ao verbo !!

  • Aliada a ela, quem está ligada a ela ? R:uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • "Aliada a ela"

    "ela = irrigação.

  • "aliada a ela" o termo ela refere-se "a irrigação".

    Vejamos a substituição: aliada a irrigação, uma série de prática agronômicas....

    Gab.: ERRADO!

  • O referente de “ela” deve ser necessariamente uma prática agrícola. Isso fica evidente na passagem “uma série de outras práticas agronômicas”. Dessa forma, não faz sentido o pronome “ela” se referir a “produtividade”, pois esta não é uma prática agronômica.

    GAB: errado.

  •  Errado.

      A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • PELO AMOR DE DEUS!!!!!! REPORTEM ABUSO DESSES COMENTARIOS DE MAPA MENTAIS E ETC

  • EM REGRA, sujeito não pode ser preposicionado

  • Retoma "irrigação".

  •  Refere-se à expressão "IRRIGAÇÃO" 

  • Refere-se a irrigação.

  • Aqui o candidato precisa mobilizar conhecimentos acerca de coesão referencial, de modo que consiga saber a qual termo do texto determinada palavra está se referindo.     A questão pede o seguinte:   “No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue". 

    No último parágrafo do texto, o pronome “ela", em “Aliada a ela", refere-se à expressão “produtividade agrícola". 

      Vejamos, agora, o trecho do texto associado ao qual o enunciado faz menção:   “A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada".   A dificuldade reside na presença de dois substantivos femininos (irrigação e produtividade) no mesmo período.     Uma leitura desatenta poderia cravar que o pronome ela (responsável por fazer a coesão referencial, isto é, por retomar o referente) está se referindo à palavra produtividade, até por estar mais próximo. Porém, o contexto nos diz que, na verdade, o pronome ela se refere ao vocábulo irrigação. A própria continuação do período nos dá tal certeza, pois a irrigação é uma das tecnologias, que pode ser aliada a outras práticas. Para facilitar, sublinhei os dois termos na resolução.

     
    Gabarito do Professor: ERRADO.
  • Refere-se à IRRIGAÇÃO.

    PMAL 2021 - Foco!!

  • aliada a irrigação.

  • Questão 110% ERRADA!

    Refere-se à expressão "IRRIGAÇÃO" !

  • GABARITO: ERRADO

    ela” deve ser necessariamente uma prática agrícola. Isso fica evidente na passagem “uma série de outras práticas agronômicas”. Dessa forma, não faz sentido o pronome “ela” se referir a “produtividade”, pois esta não é uma prática agronômica.

    Bons Estudos!

  • A irrigação

  • GAB: ERRADO

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • “Aliada a ela”, diz respeito à IRRIGAÇÃO.

  • Gab errada ✓ refere-se a irrigação.
  • irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.   

    A própria continuação do período nos dá tal certeza, pois a irrigação é uma das tecnologias, que pode ser aliada a outras práticas.

  • A IRRIGAÇÃO.

  • Gab E. O pronome "ela" retoma "irrigação" e não “produtividade agrícola”, como afirma a questão.

    Abs!

  • Gabarito : Errado, o termo refere-se ao sujeito da oração anterior (a irrigação).

  • O pronome "ela" retoma irrigação. "Aliada a ela [a irrigação], uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Sempre que o Cespe vier com questão se referindo a termo anterior desconfie.

    Bons estudos!!

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R

  • Se fosse retomando a irrigação não seria aliada àquela?

  • QUESTÃO: No último parágrafo do texto, o pronome “ela”, em “Aliada a ela”, refere-se à expressão “produtividade agrícola”. ERRADA.

    POR QUÊ ESTÁ ERRADA A QUESTÃO?   PODE EXPLICAR POSSO SIM.

    TEXTO:   A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Esse assunto trata-se de coesão referencial.

    Está errada porque o pronome ela se refere ao vocábulo irrigação e NÃO a produtividade agrícola.

    Bons Estudos!

  • A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela (irrigação), uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada

    Retoma o termo "irrigação"

    Gabarito Errado

  • Aliada a ela = irrigação

    Se ainda possuir alguma dúvida, preste atenção: "...práticas agronômicas..."

    Irrigação é uma prática agronômica? Sim !

    Logo "Aliada a ela" => irrigação


ID
5028379
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


De acordo com o texto, a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes.

Alternativas
Comentários
  • gaba CERTO

    sendo direito.. tá no primeiro período a resposta.

    A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos...

    o resto é cocóricó...

    pertencelemos!

  • De acordo com o texto, a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes.

    CERTO

    •  A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola
    • A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

    "A disciplina é a maior tutora que o sonhador pode ter, pois ela transforma o sonho em realidade."

  • Resposta no parágrafo 3 e no 9.

    Gabarito: C.

  • Minha contribuição:

    Significado de PERENE:

    adjetivo

    Que dura para sempre; que é eterno; perpétuo.

    Que se conserva durante muito tempo; duradouro.

    Que não pode ser interrompido; contínuo.

    [Botânica] Cujo tempo médio de vida pode chegar aos três anos ou mais, falando de plantas: planta perene.

    [Botânica] Característica das plantas que possuem folhas durante o ano todo, apresentando novas folhas em todas as estações;

    Fonte: dicio.com.br

    Que Deus abençoe cada um em seus estudos! ;)

  • "De acordo com o texto" = compreensão de texto. Afirmar apenas aqui que está expressamente contido no excerto.

  • Resposta encontrada em "A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola [...]" (9º parágrafo), assim como em "A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes" (3º parágrafo).

    É importante ressaltar que, em questões com o comando "De acordo com o texto", diferentemente do que ocorre naquelas cujo comando é "Infere-se", a resposta poderá ser encontrada diretamente no texto.

    GABARITO: CERTO

  • GAB: CERTO

    ASSERTIVA:

    De acordo com o texto, a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes.

    Vamos dividir a questão em duas partes.

    Primeira: 9º Parágrafo

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Segunda: 3º Parágrafo

      A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

  • Assertiva C

      A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola.(...)

  • Gab: CERTO

    A justificativa está em 3 pontos do texto. Parágrafos 5, 6 e 9. Veja!

    1° parte da questão: "a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola"

    • CERTO: Começando pelo parágrafo 9 - a irrigação suplementar é uma das mais importantes tecnologias para se aumentar a produtividade agrícola. ok. É exatamente como traz também a assertiva.

    Seguindo...

    2° parte da questão: "especialmente no cultivo de culturas perenes"

    • CERTO: esse ponto está explicado no parágrafo 5 e complementado pelo 6. Quando o texto informa que no período seco, as culturas perenes atravessam fases de sensível deficiência de água.
    • Já no parágrafo 6, o texto complementa com a informação de que (e aqui está o pulo do gato), a vantagem e a justificativa da irrigação suplementar está na garantia de safra, no que diz respeito à incerteza de chuvas. Ou seja, Especialmente no cultivo de culturas perenes (pois há deficiência de chuvas), a irrigação é importante.

    Erros, mandem mensagem :)

  • De fato! A irrigação, segundo o texto, é mais importante para as culturas perenes, pois estas são mais afetadas pelo período de seca.

    Gabarito: CERTO

  • OHH DEUS mais uma vez eu aqui discordando do Gabarito da BANCA

    explicações:

    o comando da questão fala: '' de acordo com o texto a irrigação constitui UMA DAS MAIS IMPORTANTES TECNOLOGIAS para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes"

    No terceiro paragrafo, assim diz: "A irrigação, DE CARÁTER SUPLEMENTAR ÀS CHUVAS , tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes."

    pelo que eu me entendo de gente suplementar é algo que suplementa, acrescenta, algo acessório.

    no caso da questão a irrigação faz suplemento às chuva (ou seja acrescenta), especialmente em culturas perenes.

    posso estar errado!!!

  • ASSERTIVA:

    De acordo com o texto, a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes.

    TEXTO

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes" (3º parágrafo).

    No texto, fala-se que a irrigação DE CARÁTER SUPLEMENTAR ÀS CHUVAS tem sido usada especialmente em culturas perenes, não somente a irrigação em si, como na assertiva. Não é à toa que, em todo o texto, o autor utiliza "irrigação" e "irrigação de caráter suplementar à chuva" de modos diferentes, em alguns ele usa somente "irrigação", em outros ele usa "irrigação de caráter suplementar à chuva"

    Extrapolação.

  • Último parágrafo:  A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola.

    Aos colegas que citaram "A irrigação, DE CARÁTER SUPLEMENTAR ÀS CHUVAS , tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes." cabe ressaltar que a irrigação é uma tecnologia, a chuva não, e a questão pergunta se a irrigação constitui uma das tecnologias mais importantes, portanto questão correta!

  •  A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

    a partir desse trecho tirei minha conclusão

    #BORA VENCER

  • Justificativa da resposta:

    Último parágrafo:

      A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola.

    e terceiro parágrafo:

     A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

    Vença seu maior inimigo, você mesmo!

  • CERTO.

    A irrigação, segundo o texto, é mais importante para as culturas perenes, pois estas são mais afetadas pelo período de seca.

  • Questão subjetiva. O texto não fala em momento algum de irrigação associado com aumento de produtividade. "Prosperidade" é referente ao povo prosperar, nada tem a ver com a irrigação aumentar a produtividade da plantação. Essa questão estaria certa se tivesse um "infere-se" no comando.

    Como veio "De acordo com" deveria ser Errada. Justificar com gabarito é fácil, quero ver quando cair uma dessa que for extrapolação kkkk

  • GABARITO CERTO.

    NO ÚLTIMO PARAGRAFO É TRANSCRITO PRATICAMENTE TODO NA PERGUNTA FEITO PELA BANCA.

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. [...]

    -------------------------------------------

    O RESTANTE QUE RATIFICA A QUESTÃO ESTÃO EM OUTROS TRECHOS, POR EXEMPLO.

    1° paragrafo = [...] em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    3° paragrafo = A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

  • GAB: C

    • CULTURAS PERENES: TÊM DIFICULDADE DE SE DESENVOLVER EM PERIODO DE POUCA CHUVA, PORTANTO, A IRRIGACAO AJUDARIA MUITO
    • CULTURAS ANUAIS: CONSEGUEM SE DESENVOLVER MESMO COM POUCA AGUA
  •  A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

     

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água.

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

    gabarito : Certo

  •  A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

     

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água.

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

    gabarito : Certo

  •  A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

     

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água.

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

    gabarito : Certo

  •    Gab: CERTO

    ÚLTIMO PARAGRAFO DIZ A RESPOSTA:

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • Gab: Certo

    3º parágrafo:  A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

    9º parágrafo:  A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Vamos juntar...

      A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente em culturas perenes.

  •  "A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes."

    Deve ter sido a questão mais fácil da prova.

  • Formato péssimo pra se resolver pelo computador.

  • A questão trabalha apenas compreensão textual.

    Antes de tudo, é importante saber distinguir compreensão de interpretação textual. Eis as explicações:

    Quando se fala em compreensão textual, as informações estão no texto, não há a necessidade de inferir as ideias. Geralmente, os comandos do enunciado são:


    . Segundo o texto... / De acordo com o texto ...


    . O texto informa que...


    . No texto...

    Já a interpretação textual, as informações estão além do texto, é uma questão de inferência, de apreender as ideias. Geralmente, os comandos do enunciado são:


    . Depreende-se / infere-se / conclui-se do texto que...

    . É possível subentender a partir do texto que...

    . O texto permite deduzir que...

    . Qual a intenção do autor quando afirma que...

    Agora, analisemos a questão.


    O enunciado diz: “De acordo com o texto, a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes".

    O último parágrafo corrobora com a afirmação da primeira parte do enunciado “a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola", em relação a isso, não há o que divergir. A segunda parte do enunciado “especialmente no cultivo de culturas perenes", pode ser corroborada pelo terceiro parágrafo, complementado pelos parágrafos quinto e sexto.

    A irrigação é importante, principalmente no cultivo de culturas perenes, porque, no período seco, o solo acaba ficando improdutivo. Então, nas regiões áridas, mesmo com a incerteza da chuva, a irrigação é de grande utilidade, evitando, assim, sérios problemas econômicos e sociais.


    Gabarito da professora: CERTO.

  • De acordo com o texto, a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes.

    Certo!

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

  • "A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola."

    Essa estava tão na cara que quase marco errado achando que era pegadinha :)

  • Meu amigo, essas questões nesse formato... ja ja meu mouse quebra de tanto subir e descer kkkkkk pqp to tonto!!!!

  • Mais fácil que isso, só dois disso kkkkkkkkkkkk

  • Perenes são conhecidas agronomicamente como culturas de ciclo longo, o texto se refere a um ciclo anual então esta CORRETO a resposta

  • Uma questão bem tranquila ☺️. Só prestar atenção na leitura.
  • nem li o texto para responder, pra falar a verdade essa prova de português nem parece padrão CEBRASPE, algo errado não esta certo.

  • Complementação da resposta no último período do texto.

    Gabarito: certo

  • Discordo. O autor não faz juízo de valor de ser "uma das mais importantes tecnologias" isso é possível INFERIR, entretanto o comando da questão é DE ACORDO COM O TEXTO.

  • Nem parece CESPE

  • "especialmente no cultivo de culturas perenes."

    Em que parte do texto está escrito isso? :|

  • De fato! A irrigação, segundo o texto, é mais importante para as culturas perenes, pois estas são mais afetadas pelo período de seca.

  • Nem precisa lê o texto se a informaçao condiz com a realidade óbvio que o gabarito e o C.
  • É possível encontrar a resposta em dois parágrafos em específico no texto.

    5° parágrafo:

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    Último parágrafo:

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • É possível encontrar a resposta em dois parágrafos em específico no texto.

    5° parágrafo:

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    Último parágrafo:

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • Errei por conta da palavra "especialmente"... como ele pergunta no texto, e não no parágrafo, interpretei que o local de maior necessidade seria o nordeste (especialmente).

    O cespe me dando uma surra novamente!

  • perene - PERMANENTE

  • Em diversas passagens do texto, o autor deixa clara a importância da irrigação como forma de suplementar a falta de chuvas em alguns períodos do ano. Evidencia-se, assim, que, para as culturas mais perenes (aquelas que são realizadas o ano inteiro) a irrigação tem especial importância.

    No 4° parágrafo o texto diz que algumas culturas (arroz, milho, etc), por serem praticadas anualmente, podem se desenvolver no período chuvoso, em que o solo é mais fértil.

     Já as culturas mais perenes (café, cana-de-açúcar, etc) dependem das chuvas para se desenvolverem.

    Além disso, a irrigação é importante não apenas na região Centro-Oeste, mas em outras regiões também (3° e 7° parágrafos). Daí a generalização.

  • A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

  • Questão 110% VERDADEIRA.

    O 7° parágrafo deixa evidente:

    Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

  • GABARITO: CERTO

    QUESTÃO: De acordo com o texto, a irrigação constitui uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola, especialmente no cultivo de culturas perenes. CERTA.

    A irrigação, segundo o texto, é mais importante para as culturas perenes, pois estas são mais afetadas pelo período de seca.

    Bons Estudos!

  • CERTO

    A irrigação, segundo o texto, é mais importante para as culturas perenes, pois estas são mais afetadas pelo período de seca.

  •   A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

     A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

  • Leia com muita calma e procure por partes.

  • Fala concurseiro! Se seu problema é redação, então o Projeto Desesperados é a Solução. O curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, entre outras vantagens. Link: https://go.hotmart.com/A51646229K  
  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R

  • MUITA GENTE COM DIFICULDADE EM INTERPRETAÇÃO DE TEXTO. (DICAS IMP.) 1- LEIA BASTANTE LIVROS QUE VOCÊ GOSTA; 2- JOGUE MUITO VÍDEO GAME (MELHORA O QI); SUGESTÃO DE JOGOS: Cálculos, Infinit ticles, Dama, Xadrez, Fri Fri, Lou, etc.. 3- MELHORE A SUA ALIMENTAÇÃO: OVOS, PEIXES, NOZES, LEGUMES, CHÁ VERDE, ALECRIM, LUGOL 5% (OBS: eles não te contam isso)

ID
5028382
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


Infere-se do texto que a escassez de chuvas na região central do Brasil não permite a prática de culturas anuais sem o uso de tecnologias de irrigação.

Alternativas
Comentários
  • Gab. E

    Generalizou total. A falta de irrigação NÃO IMPEDE a prática de culturas anuais de arroz, milho, soja etc, conforme se infere do trecho "Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas"

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • ❌ERRADO ❕❗

     Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • Gabarito: ERRADO

    As culturas mais afetadas pela escassez de água não são as anuais, e sim as perenes.

  • Atenção no trecho:

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    Ora, colheitas menores ainda são colheitas, então a prática não é totalmente impedida.

  • "Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água."

    Questão:

    "Infere-se do texto que a escassez de chuvas na região central do Brasil não permite a prática de culturas anuais sem o uso de tecnologias de irrigação."

    Errada!

  • Permite apenas a prática de cultura anuais ( arroz, milho, soja,...). Isso está no texto.

    Gabarito: E.

  • ERRADO

     A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

    ou seja, há chuva, porém a irrigação atua de maneira SUPLEMENTAR. ATUAM CONJUNTAMENTE

    OBS: qualquer erro me corrijam!

    bons estudos!

  • Gab: ERRADO

    Assertiva:

    Infere-se do texto que a escassez de chuvas na região central do Brasil não permite (erro) a prática de culturas anuais sem o uso de tecnologias de irrigação.

    TEXTO:

     Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação PLUVIOMÉTRICA, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) PERMITE, apenas, a prática de CULTURAS ANUAIS (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • 4º parágrafo: Boas médias de chuvas anuais, porém, escassez no inverno. Com isso, a produção anual de arroz, milho, soja etc.

    Meu resumo sobre a ideia do parágrafo.

  • região central ¹??? não , era no centro-oeste. só isso já matou a questão .

  • Do 4ª parágrafo (região central do Brasil) infere-se que não há uma escassez de chuva, pois existem bons índices de Precipitação pluviométrica, possibilitando, assim, a prática de culturas anuais. Portanto, gabarito: Errado.

  • Assertiva E

    Infere-se do texto que a escassez de chuvas na região central do Brasil não permite a prática de culturas anuais sem o uso de tecnologias de irrigação.

     (...) Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • ERRADO

    Transcreverei apenas as partes do texto que não concordam com o exposto pela questão.

    (...) Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica (...)

    Ou seja, as chuvas na região central não são escassas, elas são periódicas.

    Lembrei das minhas aulas de geografia, visto que na época errei uma questão justamente sobre isso:

    Índice pluviométrico é uma medida em , resultado do somatório da quantidade da  de  (CHUVA)

    (...) sua distribuição anual (de chuva)  permite, apenas, a prática de culturas anuais (...)

    Com esse trecho percebemos que as Culturas Anuais são mantidas, visto que essas mantém água no subsolo.

  • A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

      

      Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água

  • Sem muito arrodeio, quando a questão restringe a possibilidade de cultura sem a implementação de medidas suplementares de irrigação, ela anula o disposto no 4º parágrafo, onde exprime a possibilidade em se tratando de culturas não perenes: "permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.)".

    portanto, extrapola. assertiva INCORRETA.

  • As culturas mais afetadas pela escassez de água não são as anuais, e sim as perenes.

    Gabarito: ERRADO

  • E - Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • ERRADO Na região central do Brasil ,apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso.

  • Beloveds, sigam o raciocínio:

    No parágrafro: "Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas."

    A assertiva diz: Infere-se do texto que a escassez de chuvas na região central do Brasil não permite a prática de culturas anuais sem o uso de tecnologias de irrigação.

    ERRADO

    Culturas Perenes (que permanecem por muito tempo) atravessam o período seco, acarretando colheitas menores. Ou seja, permite, mas não em boa quantidade.

  • ERRADO Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • Errado

     Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • PERGUNTA: a escassez de chuvas na região central do Brasil não permite a prática de culturas anuais sem o uso de tecnologias de irrigação.

    TEXTO:  Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica (LEIA-SE CHUVA), sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    Então, a questão disse que não permite e o texto retrata que permite.

  • infere-se = deduzir, tirar conclusão

  • No quarto parágrafo...

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    Gab Errrado.

    Vença seu maior inimigo, você mesmo!

  • A irrigação é suplementar, ou seja, poderá existir práticas de culturas anuais sem necessitar da irrigação. Gab E

  • sem delongas essa é a resposta:

     Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • A grande sacada é diferenciar as culturas anuais(temporárias, podem ser realizadas somente com o auxilio da chuva) das culturas perenes ou permanente. ( estas indicam necessidade de complementação pela irrigação).

    gab.ERRADO

  • GAB: E

    • CULTURAS ANUAIS: PERMITE
    • CULTURAS PERENES: NAO PERMITE
  • ''a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica ''

    Gabarito : errado

  • A prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água. / Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco.

    Diferença das culturas anuais e perenes é que se baseiam em que uma necessita de irrigação suplementar (perenes), e a outra não (anuais)...

    Gab: Errado

  • GAB: ERRADO

    4º PARAGRAFO DO TEXTO:

      Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • a questão afirma o contrário (extrapolação)

  • ''Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica..."

  • Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais [...] "as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água." [...]

  • Resposta completa :

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    Não são todas as culturas, mas pode decorrência da escassez algumas ainda conseguem ser cultivadas!!

  •  Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.),

  • GAB E

    O texto: "Embora (...) permite, apenas, a prática de culturas anuais.."

    A pergunta: " na região central do Brasil não permite a prática de culturas anuais.."

  • permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  •  permite, apenas, a prática de culturas anuais 

  • Questão mamão com açucar. kk

  • Aquela extrapolada básica que aparece em quase toda prova de português da CESPE.

  • Extrapolou. Questão errada!

  • Não impede. A precipitação pluviométrica que ocorre anualmente nessa região só permite a prática de cultura anuais. Ou seja, há limitações não impedimentos.

  • Parágrafo 4 a resposta.

    GAB.C

  •  Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    GABARITO ERRADO

  • "Infere-se" - você entendeu

  • " A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas."

    Se a irrigação é suplementar ,logo a falta dela sim permite a prática de culturas anuais.

    GABARITO: E

  • Parágrafo 4º do texto: "Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, ..., permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), ...."

    Gab.: ERRADO!

  • As culturas mais afetadas pela escassez de água não são as anuais, e sim as perenes.

    GAB: errado.

  • Gosta quando os textos eram em pdf

  • 4° parágrafo:

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

  • O mais engraçado desta questão é que ela é inferência, ou seja, gerlamente a resposta vem de uma dedução daquilo que o texto apresenta, mas, desta vez, a resposta você encontraria no próprio texto.

  • "(...) permite, apenas, a prática de culturas anuais (...)". Ao meu ver a resposta está clara nesse trecho, ou seja, é o oposto do que a questão afirma, sendo o gabarito errado.

  • Questão 110% ERRADA!

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

  • GABARITO: ERRADO

    QUESTÃO: Infere-se do texto que a escassez de chuvas na região central do Brasil não permite a prática de culturas anuais sem o uso de tecnologias de irrigação. ERRADA.

    POR QUE ESTÁ ERRADA?

    R. As culturas mais afetadas pela escassez de água não são as anuais, e sim as perenes.

    Bons Estudos!

  • ERRADO

    As culturas mais afetadas pela escassez de água não são as anuais, e sim as perenes.

  • Aí galera, fica ligado nesse tipo de quesão da cespe que fala: "INFERE-SE" ela gosta de extrapolar legal.

    PMAL 2021

  • Minha contribuição.

    Interpretação de texto: consiste em saber o que se infere (conclui) do que está escrito. Os comandos de interpretação (está fora (além) do texto) são:

    Depreende-se/infere-se/conclui-se do texto que...

    O texto permite deduzir que...

    É possível subentender-se a partir do texto que...

    Qual a intenção do autor quando afirma que...

    O texto possibilita o entendimento de que...

    Com o apoio do texto, infere-se que...

    O texto encaminha o leitor para...

    Pretende o texto mostrar que o leitor...

    O texto possibilita deduzir-se que...

     

     

    Compreensão de texto: consiste em analisar o que realmente está escrito, ou seja, coletar dados do texto. Os comandos de compreensão (está no texto) são:

    Segundo o texto...

    O autor/narrador do texto diz que...

    O texto informa que...

    No texto...

    Tendo em vista o texto...

    De acordo com o texto...

    O autor sugere ainda...

    O autor afirma que...

    Na opinião do autor do texto...

    Fonte: Colaboradores do QC

    Abraço!!!

  • Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

        

    as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

       

    anuais perenes

  • EXTRAPOLAÇÃO

  • Região central do Brasil: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Brasília

  • na verdade acarreta colheitas menores ou nulas

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Se você esta todo desorganizado nos seus estudos e perdido, sem saber oque fazer posso te indicar uma solução que desde quando comecei a usar mudou meu game no mundo dos concursos. É a Planilha do Aprovado, que é totalmente automatizada para organizar sua rotina de estudos revisões, grade horaria, tempo liquido de estudos e muito mais. Ela é totalmente intuitiva e de fácil execução não exigindo conhecimentos avançados sobre excel. Uma ferramenta dessa natureza otimiza muito o seu tempo e qualidade de aprendizado, pois controla e exibe toda sua evolução com o passar do tempo ajudando a se organizar melhor e dar ênfase nos seus pontos fracos colaborando para sua aprovação. Para quem tiver interesse é só acessar o link abaixo.

    Link do site: https://go.hotmart.com/H63735566R


ID
5028385
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


Sem prejuízo da correção gramatical do texto e da informação nele veiculada, o sexto parágrafo poderia ser reescrito da seguinte forma: A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

Alternativas
Comentários
  • A questão pede para que o candidato analise a correção gramatical e se as informações do texto não seriam alteradas ao se fazer as substituições.

    Nesse caso, não há dúvida que a correção gramatical foi mantida, visto que a expressão "a despeito de" se caracteriza como um conjunção subordinativa concessiva adverbial, assim como o termo "apesar de". Por consequência, as informações também seriam preservadas, pois a substituição trata de termos semelhantes.

  • gaba CERTO

    "a despeito" constitui expressão com locução adverbial concessiva. Podendo tem como sinônimos

    • apesar de
    • ainda que
    • independentemente de
    • embora
    • não obstante
    • mesmo que
    • nada obstante
    • sem embargo de

    ► A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

    __________________________________________________________________

    grupo do telegram com questões diárias → https://t.me/aplovado

    pertencelemos!

  • GABARITO - CERTO

    Redação original :

     A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

     

    Proposta de Redação:

     A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

    A proposta de reescrita mantém a correção e o sentido original. Destaque-se o emprego do concessivo “a despeito de”, substituído por “apesar de” na proposta de reescrita.

    A despeito de - Concessão

    A pesar de - Concessão.

    Bons estudos!

  • CERTO

    A proposta de reescrita mantém a correção e o sentido original. Destaque-se o emprego do concessivo “a despeito de”, substituído por “apesar de” na proposta de reescrita.

  • "Sem prejuízo da correção gramatical do texto e da informação nele veiculada, o sexto parágrafo poderia ser reescrito da seguinte forma: A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar."

    Se ele não tivesse colocado uma palavra que gera hipótese, esta questão estaria errada:

    "colheita" pode ser o ato de colher ou o conjunto do que foi colhido.

    A garantia de colheita contém a vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

  • A despeito de = apesar de

    Ano: 2007 Banca:CESPE  Órgão:TCU-Analista de Controle Externo

    Na linha 10, a informação que se inicia com "A despeito das recentes turbulências" constitui, no texto, uma concessão ao argumento que se inicia por "a Tailândia".

    CERTO

  • Julguei como errada por achar que garantir a "colheita" era diferente de garantir a "safra".

    Colheita: ato ou efeito de colher produtos agrícolas; apanha.

    Safra: o conjunto desses produtos colhidos num determinado período; safra.

  • Imaginei que o "sem prejuízo da informação nele veiculada" fazia referência ao sentido.. É óbvio que a correção gramatical não mudou. Caí nessa questão, infelizmente.

  • Assertiva C

    A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

  • Gab: CERTO

    Como o enunciado pede a manutenção da correção gramatical e das informações veiculadas (que é o mesmo que coerência e que é diferente de sentido), a questão fica correta. Tendo em vista que lendo o texto original e a reescritura, percebemos que em ambos, apesar da incerteza de chuvas, a colheita é garantida e se justifica pela irrigação suplementar".

    Erros, mandem mensagem :)

  • Em relação ao questionamento de alguns colegas.

    A questão não quer saber se mudou sentido, então pouco importa o significado de "safra" e "colheita".

    Gramaticalmente está tudo redondinho ? se sim, CERTO.

    Bons estudos.

  • De fato! A proposta de reescrita mantém a correção e o sentido original. Destaque-se o emprego do concessivo “a despeito de”, substituído por “apesar de” na proposta de reescrita.

    Gabarito: CERTO

  • Gente posso estar errado , mas esse gabarito com certeza vai ser alterado,

    porque na reescrita a banca pede ''A garantia DE COLHEITA"?????

    só isso ja mata a questão, porque Colheita é um substantivo Feminino "a colheita"

    na reescrita deveria vir "DA COLHEITA".

    isso afetaria a correção Gramatical, logo Questão ERRADA

    como eu disse posso estar errado.

    mas é melhor errar aqui!!

  • Desde quando Safra e colheita são a mesma coisa? E ele fala 'sem prejuízo a informação do texto''.

  • "a despeito de" = "apesar de" = concessão

  • Fui no sentido e errei!

    Falta de atenção, pois em nenhum momento pede a manutenção do sentido. Segue o jogo.

  • SINÔNIMO

    1} A DESPEITO DE: Independente, apesar de, ainda que, embora, não obstante, mesmo que, nada obstante.

    ________

    Bons Estudos.

  • "da informação nele veiculada" achei que se tratava de sentido.

    Enfim, melhor errar aqui !

  • Gabarito:C

    Só ter paciência e ler, quer da para entender a questão...

  • Mas um diz sobre a garantia de SAFRA e o outro da garantia de COLHEITA, o que não são sinônimos... Uai??????

  • A despeito de: Apesar de

  • Para a galera que está falando que "informação veiculadas = Coerência" ; segue UMA DAS questões que ela abordou, no enunciado da questão, o mesmo referente:

    Ano: 2014 Banca: Cespe Órgão: Polícia Federal

    Texto: No entanto, com o decorrer do tempo, assumiu um sentido particular, passando a representar a ação do governo (...)

    Pergunta: Não haveria prejuízo das informações veiculadas no texto, caso se substituísse “No entanto” (L .3) por Portanto.

    Resposta : Errado

    Logo, o gabarito está equivocado.

    Colheita: ato ou efeito de colher produtos agrícolas; apanha.

    Safra: o conjunto desses produtos colhidos num determinado período; safra.

  • "Informações veiculadas" é sinônimo de sentido.

    Vejam esta questão:

    Ano: 2018 Banca: Órgão: Provas:

    Julgue o seguinte item, com relação aos aspectos gramaticais do texto CB1A1AAA.

    Sem prejuízo das informações veiculadas no texto, a forma verbal “responda” (l.7) poderia ser substituída por atenda.

    GABARITO: CERTO

    Não se esqueçam de ver o comentário do Professor Alexandre Soares.

    safra

    substantivo feminino

    1.conjunto dos produtos agrícolas de um ano; colheita.

    Portanto, correta a questão.

  • Pessoal, esta é uma típica questão na qual o Cespe quer saber se o candidato sabe sobre certos elementos de coesão e coerência, exemplo: "a despeito".

    Se você se atentar palavra por palavra vai verificar que SAFRA não é a mesma coisa que COLHEITA, porém não era essa a questão. Até porque essas duas palavras são sinônimas (vejam na maioria dos sites que trazem sinonimia). Se você está com dúvida em questão deste tipo, sugiro deixar em branco!

    Avante, camaradas!

  • Quem fez a prova de informática da PF nunca mais vai esquecer esse "a despeito de".

  • Duas coisas na vida são certas: a morte e que nunca vou conseguir fechar uma prova de português, não importa quanto estude. Considerei essa reescrita tão confusa que já taquei um errado logo de cara. Me lasquei.

  • é a típica questão que primeiro você olha o que se pede, sentido, correção ou ambos. Se for correção, melhor: coloque os antolhos e olhe só para o que o cara trocou. Às vezes o que se pede é só para saber se uma conjunção pode ou não ser trocada por outra, ou a alteração na voz passiva analítica para sintética, por exemplo.

    Viu que dá para trocar sem prejuízo, taca o F$%%@ para o resto da frase... Funciona sempre? Óbvio que não, gafanhoto kkkkkk

  • apesar de = a despeito

    *conjunções concessivas (chave para a questão)

  • GABARITO CERTO

    CESPE ama "a despeito de". Na prova da PF, errei uma questão de informática por causa justamente desse bendito "a despeito de".

  • Gabarito: certo

     A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

     A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

    A banca só trocou os termos de lugares e mudou o conectivo concessivo de ''a despeito de'' para '' apesar de'' . Porém, quanto aos termos ''safra'' e ''colheita'' acho que a banca forçou demais em dizer que safra e colheita não mudam as informações veiculadas, visto que a safra é o objeto a ser recolhido na respectiva colheita e não a própria colheita.... Mas vida que segue!!!

  • ''informação nele veiculada" é a mesma coisa que sentido do texto?

  • Não concordo com esse gabarito, afinal garantia de safra não é a mesma coisa que garantia de colheita.

    O que é Safra:

    É o período compreendido entre o preparo do solo para o plantio até a colheita de determinada cultura.

  • Em relação a essa questão, eu fiquei na dúvida por causa dos significados de safra e colheita, pois safra se trata do período em que uma cultura está produzido seus frutos ou resultados, já colheita está mais relacionada com o ato de colher os frutos, porém se no contexto dava pra entender, marquei certo, e que seja assim no grande dia e que Deus esteja conosco.

  • Provavelmente será anulada, pois há mudanca de sentido.

  • QUESTAO REDONDINHA, APENAS TROCOU A POSICAO DOS TERMOS

  • Significado de safra no dicio: Colheitas, produções.

  • a pergunta é bem simples, mas vinda do CESPE a gente desconfia

  • Questão chatinha, pois parece que altera o sentido, mas se ler novamente, reler, ler e depois parar e ler de novo kkkkk, o sentido não alterou está o mesmo o processo de irrigação é importante e bla bla bla

  • A despeito de= apesar de, embora, conquanto, ainda que, mesmo que... Ideia de concessão.

  • Lembrando, a banca não citou: sentido, mas sim informações presentes no texto. Desse modo, a alternativa se apresenta como certo!

  • Errei a questão porque divaguei entre colheita e safra.

  • "informação nela veiculada" pede sentido ou não?

    CORREIÇÃO TEXTUAL OK

    COESÃO OK

    SENTIDO = BAIXARIA.

  • A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

     

    garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas, estão na vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar

    isso ta certo????

  • Quando tem no enunciado da questão: "sem prejuízo as ideias veiculadas no texto" é a mesma coisa de sentido?

  • FALOU CORREÇÃO E NÃO SENTIDO

  • Errei por dar um sentido restrito à palavra "consiste", olhei o dicionário e é muito ampla, pode ser ativa e passiva.

  • Aquela velha casca de banana.

    Correção gramatical x Sentido.

  • Mas mudou a informação original do texto.

    Não é a mesma informação.

    Houve prejuízo.

  • Quem acertou a questão certamente não sabe a diferença de sentido entre "colheita" e "safra"

  • Fiquei perdido...kkk

  • A SUBSTITUIÇÃO DE: ESTÃO POR CONSISTE CAUSA SIM MUDANÇA NA INFORMAÇÃO.

  • Despeito = apesar de

  •    A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

    A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

  • PALAVRA CHAVE ...A DESPEITO DE ... = .INDEPENDENTE

  • Esse "informação veiculada" quebrou o peão ;(

  • A correção gramatical está perfeita e ainda sim o texto transmite uma informação.

    Quem ficou analisando mudança de sentido ERROU, pois o comando da questão não exigiu analisar o sentido.

  • Consiste = tem fundamento

    A despeito = Apesar de

  • Marquei certo pelo fato de pedir SOMENTE a correção gramatical, ja que SAFRA é diferente de COLHEITA

  • A despeito = Independente

  • jtyjtyjtyjtyjtyjty

  • Aiaiai... vocês tentando justificar que não causou mudança de sentido na troca de "safra" por "colheita"... kkkk Só podem estar de brincadeira. Justificar com o gabarito na mão é fácil.

    A questão claramente pediu para analisar a manutenção do sentido original ("Sem prejuízo da correção gramatical do texto e da informação nele veiculada...").

    Ok. Safra é informação. E me desculpem os críticos, mas colheita não é sinônimo.

  • Parem de repetir a mesma coisa sobre a palavra "a despeito de".

    O problema da questão foi dizer que safra tem o mesmo significado de colheita. É aí que a discussão deve ser feita, já que não temos comentário dos professores.

  • Safra é sinônimo de: colheita, produção

    Fonte: https://www.dicio.com.br/safra/

  • "A despeito de" = Apesar de, não obstante; que expressa uma ideia contrária ao que ocorre anteriormente sem impedir sua realização; malgrado: a taxa de desemprego se mantém baixa, a despeito de estarmos em recessão

  • Inicialmente, podemos errar pelo fato de "colheita" e "safra" serem coisas distintas. No entanto, a questão não pede correção dos sentidos do texto.

    Veja: "Sem prejuízo da correção gramatical do texto e da informação nele veiculada"

    --> Pelo recente histórico da banca, "informação nele veiculada" se refere à COESÃO E COERÊNCIA e não ao SENTIDO do texto.

    Bons estudos.

  • Acho que o problema é que a questão só pede a correção gramatical e muitos estão olhando somente para o sentido, ou significado da palavra, caso esse que não está sendo cobrado na questão.

  • Nossa, pra mim não fez sentido nenhum!

  • QUESTAO CERTA

  • Afinal, ALGUM ABENÇOADO(A) PODE RESPONDER ESSA DÚVIDA: INFORMAÇÕES VEÍCULADAS = SENTIDO ??????????????????

  • Não entendi o gabarito...

    Galera, corrijo redações em até 24 horas. Incluo dicas, orientações e correção baseada no espelho da banca. O valor é 10 reais. sou formada em Letras pela UERJ.

  • Galera vou explicar o modo que me fez acertar essa questão, ja utilizei em outras similares da banca ( créditos a um desconhecido do site que eu nao anotei o nome).

    A informação permanece a mesma, faça uma comparação de cor com cor que eu coloquei que você perceberá, que para o leitor não fará diferença na hora que estiver lendo ( vai entender o que o autor quis dizer no parágrafo)

     

    A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

     A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

    Gabarito: CERTO

  • Irmão, concordo com vc, mas bateu conjunção em um e em outro, 90% da banca só quer isso mesmo. No caso temos as concessivas:

    -> A despeito de

    -> Apesar de

    isso que valida o gabarito como certo.

    agora, que, colheita e safra são atos diferentes, isso ai não restam duvidas .

  • A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas. 'PERIODO NA ORDEM INDIRETA'

    A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar. 'PERIODO NA ORDEM DIRETA'

    -O que consiste na vantagem e na principal justificativa ... ? ''A garantia da Colheita!''

  • A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

    A garantia de colheita consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar, apesar da incerteza das chuvas

  • Não sabia que safra e colheita eram a mesma coisa....

  • Extrapolou ao comparar safra e colheita e informar que não haveria prejuízo na informação veiculada. Ter uma safra de 10t e ter uma colheita de 10t é beem diferente.

  • Posso estar errado... Mas pelo que entendi "correção gramatical do texto e da informação nele veiculada" é quase é a mesma coisa que " mantendo a correção gramatical e a coesão do texto".

    Desse modo a questão está certa, já que a coesão não exige a transcrição exata, e sim o simples entendimento da informação.

  • Parabéns ao estagiário por ter colocado o texto numa formatação péssima.

  • Sim safra e colheita são sinônimos, complicou ai pra quem só está em cidades grandes.

  • A irrigação está garantido uma boa colheita, EMBORA A INCERTEZA DAS CHUVAS

  • A coesão, beleza. Mas o sujeito e o adjunto adverbial se inverteram. Gramaticalmente estaria certo? Alguém poderia me explicar?

  • De fato! A proposta de reescrita mantém a correção e o sentido original. Destaque-se o emprego do concessivo “a despeito de”, substituído por “apesar de” na proposta de reescrita.

    gab: C

  • >A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar = GARANTIA DE COLHEITA consiste na vantagem + principal justificativa econômica

    >A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas = vantagem + principal justificativa econômica estão na GARANTIA DE SAFRA.

    Apesar de/ A despeito de = são sinônimos

    COLHEITA/SAFRA = também são sinônimos

  • O segredo é entender a técnica de parafrasear da banca, perceba que muda-se o sujeito, mas no final a mesma ideia é transmitida.

    Forçaa !!

  • Em questões "quebra-cabeças" como essa, ajuda trocar algumas palavras por termos que usamos no cotidiano. Por exemplo: a vantagem e principal justificativa para trabalhar é ganhar dinheiro, apesar da pandemia. Proposta de reescrita: ganhar dinheiro, apesar da pandemia, consista na principal vantagem e na justificativa para trabalhar. Pegou a ideia?! Bons estudos.

  • Safra: Substantivo

    O que é Safra:

    É o período compreendido entre o preparo do solo para o plantio até a colheita de determinada cultura.

    Colheita: Substantivo

    O que é Colheita:

    S.f.(a)

    1.Ação de colher, principais produtos agrícolas.

    Dizer que não há prejuízo na informação veiculada é analfabetismo funcional do examinador.

  • informação nele veiculada = coerência

    se a banca tivesse colocado no comando da questão '' Sem prejuízo da correção gramatical do texto e da coerência '' tenho certeza que muitos teriam acerto. segue o jogo!

  • Sem prejuízo da correção gramatical do texto e da informação nele veiculada. Não está pedindo sentido e sim apenas a correção gramatical e coerência, o sentido da reescritura foi alterado, mas não foi o que a questão pediu.

  • PRA MIM aparece o trecho no sexto parágrafo e não no sétimo sacanagem

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Me diz uma coisa, esta fazendo só questões e esta esquecendo de treinar para a REDAÇÃO!?

    Por que não adianta de nada passar na prova objetiva e reprova na redação, se isso acontece contigo vai ser um trauma para o resto da vida.

    Pensando nisso deixo aqui minha indicação de um curso de redação que tem me ajudado muito na preparação, quem tiver interesse em melhorar na discursiva é uma boa opção.

    Link do site: https://go.hotmart.com/D49209586D

  • Questão 110% CORRETA

    Linda questão!

    Desloca sujeito e predicado!

  • Apesar de...a despeito de...ambas concessiva.

  • GABARITO: CERTO

    Destaque-se o emprego do concessivoa despeito de”, substituído por “apesar de” na proposta de reescrita.

    Bons Estudos!

  • Daniel Reis Gonçalves, eu também errei pensando da mesma forma que você.

  • PORQUE TA CERTA ?

    A proposta de reescrita mantém a correção e o sentido original. Destaque-se o emprego do concessivo “a despeito de”, substituído por “apesar de” na proposta de reescrita.

    CERTO

  • Só correção gramatical, não importa o sentido.

    Fica a dica: Quando é correção gramatical, é so olhar a gramática, não precisa voltar no texto.

    TMj

    Bons estudos!!!

    PMAL 2021

  • PMAL 2021, VAMO QUE VAMO

  • Alguém percebeu que mudou o sujeito também??

  • ORIGINAL:  A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

    REESCRITA: A garantia de colheita, apesar da incerteza das chuvas, consiste na vantagem e na principal justificativa econômica da irrigação suplementar.

    a despeito = apesar de, ainda que, independente de, embora, não obstante, mesmo que...- CONCESSIVAS.

  • Gabarito: Certo.

    Importante saber:

    8 sinônimos de ''a despeito de'':

     não obstante, embora, apesar de, sem embargo de, nada obstante, ainda que, mesmo que, independentemente de.

    -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- -- --

    OUTRAS QUESTÕES SOBRE O ASSUNTO:

    (Q232025) A despeito do sucesso, o ganha-pão do escritor seria obtido...

    O elemento grifado acima pode ser corretamente substituído, sem alteração do sentido original, por ''Em que pese o'' CERTO

    (Q24549) "A despeito de sua natureza relativamente controversa..." (L.11-12)

    Assinale a alternativa que não poderia substituir a expressão grifada acima, sob pena de alteração de sentido.

    A - Malgrado/B - Não obstante/C-Apesar de/D-Nada obstante/E-Porquanto gabarito E

    (Q1098654) Com relação à correção gramatical e à coerência das substituições propostas para vocábulos e trechos destacados do texto, julgue o item “a despeito de serem” (linha 20) por embora sejam. CERTO

    (Q912902) Assinale a opção em que é apresentada proposta de reescrita gramaticalmente correta e de acordo com as ideias originais do trecho “apesar de pertencer a uma família de classe média” (l.2-3).

    a despeito de pertencer a uma família de classe média CERTO

  • GABARITO: CORETO

    A despeito de = apesar de

    Ano: 2007 Banca:CESPE  Órgão:TCU-Analista de Controle Externo

    Na linha 10, a informação que se inicia com "A despeito das recentes turbulências" constitui, no texto, uma concessão ao argumento que se inicia por "a Tailândia".

  • -

    "a despeito" constitui expressão com locução adverbial concessiva. Podendo tem como sinônimos

    • apesar de
    • ainda que
    • independentemente de
    • embora
    • não obstante
    • mesmo que
    • nada obstante
    • sem embargo de

  • GABARITO: CERTO

    "a despeito" ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL CONCESSIVAS.  

    Por Exemplo: Luciana gosta muito de dançar, embora esteja com o pé quebrado.

    QUAIS SÃO AS CONJUNÇÕES CONCESSIVAS?  

    PAMPE SC

    Por mais que

    Ainda que

    Mesmo que

    Posto que

    Embora

    Se bem que

    Conquanto .... Apesar de que, a despeito de que, sem que, malgrado, não abstante.

    REESCRITURA!  Dicas!

    1-   Procurar primeiros os erros gramaticais;

    2-   Reescrever a frase com as devidas mudanças;

    3-   Analisar os sentidos;

    4-   Ordem das palavras (muda o sentido) Ex: grande homem, home grande;

    5-   Troca dos elementos;

    Ex: troca uma palavra por outra que aparece até sinônimo, mas que não é (muda o sentido).

    6-   Troca os tempos verbais;

    Ex: O governo fazia contrato.

    Ex: O governo fez contrato.

    7-   Analise o verbo;

    8-   Houve troca, 95% muda o sentido;

    9-   Gramática correta, muda sentido certo;

    10-  Gramática e sentido corretos, errado;

    11-  Uma frase pode ser reescrita sem que gere erro gramatical nem se altere o sentido;

    12-  Deslocamento do advérbio;

    13-  Voz ativa / Voz passiva;

    14-  Orações adjetivas restritivas e orações adjetivas explicativas.

    Bons Estudos!


ID
5028388
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Português
Assuntos

      A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação.

    

     O Brasil, dotado de grandes áreas agricultáveis localizadas em regiões úmidas, não se baseou, no passado, na irrigação, embora haja registro de que, já em 1589, os jesuítas praticavam a técnica na antiga Fazenda Santa Cruz, no estado do Rio de Janeiro. Também na região mais seca do Nordeste e nos estados de Minas Gerais e São Paulo, era utilizada em culturas de cana-de-açúcar, batatinha, pomares e hortas. Em cafezais, seu emprego iniciou-se na década de 50 do século passado, com a utilização da aspersão, que se mostrou particularmente interessante, especialmente nas terras roxas do estado de São Paulo.

    

    A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes.

   

    Embora a região central do Brasil apresente boas médias anuais de precipitação pluviométrica, sua distribuição anual (concentrada no verão, sujeita a veranicos e escassa ou completamente ausente no inverno) permite, apenas, a prática de culturas anuais (arroz, milho, soja etc.), as quais podem se desenvolver no período chuvoso e encontrar no solo um suprimento adequado de água.

    

    Já as culturas mais perenes (como café, citrus, cana-de-açúcar e pastagem) atravessam, no período seco, fases de sensível deficiência de água, pela limitada capacidade de armazenamento no solo, o que interrompe o desenvolvimento vegetativo e acarreta colheitas menores ou nulas.

    

      A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

 

  Na região Nordeste, a irrigação foi introduzida pelo governo federal e aparece vinculada ao abastecimento de água no Semiárido e a planos de desenvolvimento do vale do São Francisco. Ali, a irrigação é vista como importante medida para amenizar os problemas advindos das secas periódicas, que acarretam sérias consequências econômicas e sociais.

    

    No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais. Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco, a irrigação tem destacado papel a cumprir, como, aliás, já ocorre em importantes polos agroindustriais da região Nordeste.

    

     A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.


Internet:<www.codevasf.gov.br> (com adaptações). 

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto apresentado, julgue o item que se segue.


A ideia principal do texto é defender a técnica de irrigação na região Nordeste do Brasil, já que se trata de uma área semiárida.

Alternativas
Comentários
  • Gab. E

    O texto é dissertativo e apresenta marcas argumentativas e expositivas, sendo a ideia principal do texto esclarecer a irrigação e ressaltar sua importância como tecnologia para aumento da produtividade agrícola.  

    Tudo que há de bom: https://linktr.ee/pedrohtp

    bons estudos!

  • gaba ERRADO

    A ideia principal do texto é transcrever de forma argumentativa, histórica e expositiva todo o conceito de irrigação e sua importância não só no presente, como no passado também.

    pertencelemos!

  • Errado

    o autor nao defende ideia nenhuma, apenas argumenta e expõe fatos sobre o tema

  • Gabarito: ERRADO

    Seu propósito principal é falar acerca da importância da irrigação suplementar.

  • GAB: Errado

    Embora o texto fale sobre a "região nordeste", a defesa é sobre a irrigação suplementar!!

  • "A ideia principal do texto é defender a técnica de irrigação na região Nordeste do Brasil, já que se trata de uma área semiárida."

    A ideia principal não é defender a irrigação no Nordeste, é defender a irrigação devido a sua importância na manutenção da produtividade agrícola (que não ocorre só no nordeste).

    O Nordeste, por inteiro, não tem clima semiárido, soa até como ignorância falar isso.

  • O último parágrafo do texto responde a questão:

    "A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola."

    Vislumbra-se, portanto, que o objetivo principal do texto é defender a técnica de irrigação. Não se limitando, no entanto, à região nordeste - apesar de ser citada.

    GABARITO: ERRADO

  • Fala sobre a irrigação da técnica de irrigação no NE? Sim!

    Mas essa é a ideia principal? Não!

    GAb.: ERRADO

  • Gabarito: ERRADO

    A ideia principal do texto é sobre a importância da técnica de irrigação e o aumento da produtividade agrícola proporcionada por ela.

    Resposta : " A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada."

  • Além do erro em dizer que a ideia principal do texto é defender a técnica de irrigação no Nordeste, em nenhum momento o autor do texto fala que o Nordeste inteiro é uma área semiárida. O enunciado generaliza, portanto a questão também está errada por generalização.

    Trecho do texto que justifica o meu argumento; "Com relação à geração de empregos diretos, a agricultura irrigada nordestina é mais intensiva do que nas outras regiões do país. Na região semiárida (do Nordeste), em especial no vale São Frascisco (que fica no Nordeste), a irrigação (...)" Isso significa dizer que existem outras regiões no Nordeste com outra características climáticas.

    O Cespe costuma fazer sempre esse tipo de generalização.

  • Assertiva E

      A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.(...)

  • Sendo bem direto, a ideia principal do texto é defender a importância da irrigação no auxílio do desenvolvimento da agricultura EM TODO O PAÍS. Tanto é assim que o autor vai "pincelando" essa técnica em algumas regiões do país.

    Abraço! Forca a todos!!

  • Ideia principal = tópico frasal

    Ideia principal = tópico frasal

    Ideia principal = tópico frasal

    Ideia principal = tópico frasal

  • Errada

    Porque no texto não se fala so da área do nordeste se fala de todo o Brasil e como o processo de irrigação é importante em todas as áreas.

  • Embora cite o Nordeste, o foco principal do texto não está nessa região. Seu propósito principal é falar acerca da importância da irrigação suplementar.

    Gabarito: ERRADO

  • século 2021 e os caras me botam um texto nesse formato.

  • Realmente, o texto não pretende defender a implantação da irrigação no Nordeste. Erro 1

    E também, o Nordeste não possui, por inteiro, um clima semiárido. Erro 2

    MAS CUIDADO!

    Há comentários afirmando que em nenhum momento o texto menciona o clima nordestino, e outros afirmando que o Nordeste não possui, em nenhum caso, o clima semiárido, o que é um equívoco enorme...

     ''Na região semiárida, em especial no vale do São Francisco''

    O vale do São Francisco é uma mesorregião nordestina, e no próprio texto pode-se encontrar a menção ao clima desse local

  • Acredito que no texto, predomina o caráter Expositivo, e não o Argumentativo. Me baseei nessa análise para considerar a assertiva como ERRADO.

    Me corrijam se estiver errado, aprendo muito com as várias contribuições dos comentários no QC. Abraço!

  • o texto em si não se trata de técnicas agrícolas, está questão e de pura interpretação.

    na minha opinião essa questão está errada.

  • Olhem a fonte codesvaf.gov.br, se é algo ligado ao governo, a possibilidade de ser ARGUMENTATIVO é quase nula(eu nunca vi uma questão cespe tratar textos oficiais como argumentativos). 99,9% esses textos são expositivos.

  • (ERRADO)

    Bela extrapolada;

  •   "A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada."

    O texto traz a região Nordeste sim, porém não tem como seu foco principal essa região.

    GAB: ERRÔNEO

  • Texto expositivo. O máx. que ele pode defender é a importância das irrigações para a agricultura.

  • O texto relata a importância da  irrigação no Brasil, mas não só no Nordeste.

  • ERRADO

    O texto não se restringe a falar da Irrigação no Nordeste, mas no Brasil como um todo.

  • ERRADO.

    Embora cite o Nordeste, o foco principal do texto não está nessa região. Seu propósito principal é falar acerca da importância da irrigação suplementar.

  • Errada pq a técnica de irrigação já é praticada no nordeste.

  • hahahahahhahahaha desculpem pessoal pelo comentário kkkkkk estou feliz de mais porque não escorreguei na casca de banana e acertei a questão, para quem não sabe, sou horrível em língua portuguesa e acertar uma questão dessas é uma vitória enorme.

    Acertei muitas questão aqui hoje, salvo engano errei 3 apenas, porém acerto umas que não sei nem porque acertei, já outras eu entendi perfeitamente, é Deus mesmo kkkkkk não tenho vergonha de pedir ajuda de todos vocês quando não entendo uma questão.

    Bons Estudos a todos está quase chegando a hora ohoouuu \O/

  • Cespe brincando com a memória recente... Por enfatizar a irrigação na região Nordeste, nos últimos parágrafos, tendemos a achar que o foco central seria este, mas ao longo do texto foi abordada a técnica de irrigação nas diversas regiões brasileiras.

  • Cespe querendo nos pegar! resposta é Errado, pois o tema central do texto não é falar sobre a técnica de irrigação na região Nordeste do Brasil.

  • o texto fala a respeito do sistema de irrigação.

  • Galera acredito que o erro da questão é afirmar que a técnica está diretamente ligada ao nordeste, quando na verdade o foco principal é o centro-oeste, o nordeste apenas foi um usuário da técnica, mas a questão o trata como se fosse o tal!

  • Não é possível encontrar no texto uma defesa com relação a técnica de irrigação na região Nordeste.

  • A professora Adriana Figuereido justificou que a pergunta está ERRADA, pois o texto é expositivo e não argumentativo, portanto o texto não coloca opiniões e nem defende uma técnica, ela expõe somente fatos.

  • PRIMEIRO; A IDEIA PRINCIPAL FALA SOBRE A TÉCNICA DE IRIIGAÇÃO NÃO SÓ NO NORDESTE, MAS EM TODO BRASIL.

    SEGUNDO; NÃO É UMA DEFESA ELE ESTÁ EXPONDO DADOS IMPORTANTES SOBRE IRRIGAÇÃO.

  • Acreditei que a questão estava certa por causa deste trecho: "A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola".

    Enfim fui ludibriado pela CESPE outra vez.

  • essa cespe é tensa

  • Defesa de opinião se refere-se a argumentação, que é feita por sustentação de argumentos.

    E o texto é expositivo tem por objetivo apresentar informações utilizando explicações.

    A questão está incoerente, pois é um texto expositivo.

  • objetivo apresentar informações utilizando explicações.

  • O texto fala sobre irrigação como um todo e não só da irrigação no nordeste.

  • A principal ideia do texto é esclarecer a irrigação e sua importância de uma forma geral, não apenas no Nordeste.

  • Sou aqui do Vale do São Francisco e a possibilidade de quem é daqui não ler o texto e marcar essa questão como certa é grandiosa!

  • mostrar a importância da irrigação no contexto geral.

  • não falou nada especifico sobre técnica utilizada no nordeste

  • na segunda linha já tem a resposta::

       "A história da irrigação se confunde, na maioria das vezes, com a história da agricultura e da prosperidade econômica de inúmeros povos. Muitas civilizações antigas se originaram assim, em regiões áridas, onde a produção só era possível com o uso da irrigação"

  • A ideia principal está aqui no último parágrafo do texto.

    A irrigação constitui-se em uma das mais importantes tecnologias para o aumento da produtividade agrícola. Aliada a ela, uma série de práticas agronômicas deve ser devidamente considerada.

    Falar sobre a cultura da irrigação e de sua importância para o aumento da produtividade.

  • aquela restrição basica da cespe

  • Quando a questão está restringindo algo, desconfie!

    Não desista!

  • Muito embora fale sobre a irrigação no MEU NORDESTE, a ideia principia não é essa e sim falar do processo de irrigação como um todo.

  • Ele fala dos benefícios da irrigação de um modo geral.

  • A região Nordeste não é semiárida, já da pra matar a questão ai.

  • Texto apelou para a ignorância em relação ao Nordeste.

  •  A vantagem e a principal justificativa econômica da irrigação suplementar estão na garantia de safra, a despeito da incerteza das chuvas.

  • O clima do nordeste é predominantemente o semiárido, coexistindo com outros.

  • Embora cite o Nordeste, o foco principal do texto não está nessa região. Seu propósito principal é falar acerca da importância da irrigação suplementar.

    gab: E

  • A ideia principal é defender a irrigação em várias partes do Brasil.

  • Defende de modo geral, a importância da irrigação para a produtividade agrícola.

  • Não é específico ao nordeste

    Errado

  • "No contexto das estratégias nacionais de desenvolvimento, um programa de irrigação [não especificou região] pode contribuir para o equacionamento de um amplo conjunto de problemas estruturais."

  • Falta de Respeito com o concurseiro fazer ele ler esse texto enorme!.

  • O texto não fala sobre a irrigação específica da região Nordeste. Houve extrapolação neste caso.

  • O texto não defende, apenas esclarece!

  • Esta questão avalia as habilidades de interpretação de texto e pode ser considerada como apresentando certa dificuldade, principalmente porque, de uma maneira geral, o texto associado efetivamente fala a respeito da importância da irrigação como técnica, que, por ser algo suplementar às chuvas, pode contribuir de maneira significativa para a agricultura em regiões onde há maior predominância da seca. Portanto, a leitura deve ser bastante atenta.   Dito isto, prestemos atenção no que nos diz o enunciado:   A ideia principal do texto é defender a técnica de irrigação na região Nordeste do Brasil, já que se trata de uma área semiárida". 

    Pois bem. A resposta é simples, não? Na verdade é. E o próprio enunciado já nos fornece pistas para responder corretamente. Vejam: o enunciado diz que a ideia principal do texto é defender a irrigação na região Nordeste, já que se trata de uma área semiárida. Mas será que é isso mesmo? Não. O texto apenas menciona o Nordeste brasileiro, no entanto, trata da irrigação de maneira mais ampla, chegando até a mencionar que tal técnica, como tentativa de suprir a falta de chuvas, é aplicada em várias localidades, como o Centro-Oeste, por exemplo.

    Sendo assim, a afirmativa do enunciado é falsa.

    Gabarito do Professor: ERRADO.
  • Muita atenção na casca de banana !!!

    Questão 110% ERRADA!

    O texto é dissertativo e apresenta marcas argumentativas e expositivas, sendo a ideia principal do texto esclarecer a irrigação e ressaltar sua importância como tecnologia para aumento da produtividade agrícola.

  • GABARITO: ERRADO

    QUESTÃO: A ideia principal do texto é defender a técnica de irrigação na região Nordeste do Brasil, já que se trata de uma área semiárida. ERRADA.

    Seu propósito principal é falar acerca da importância da irrigação suplementar.

    Bons Estudos!

  • GAB: ERRADO

    RESTRINGIU DEMAIS

  • principal ideia do texto não é defender a técnica de irrigação na região Nordeste, embora o autor reconheça a importância que a irrigação possui para o desenvolvimento dessa região.

    Podemos dizer que a principal ideia do texto é demonstrar a importância e a necessidade da irrigação para as diversas regiões do Brasil.

  • Eu nem li, porque falar dessa forma do Nordeste já me deixou cismado.

  • Apenas menciona o Nordeste brasileiro, no entanto, trata da irrigação de maneira ampla - chega a mencionar que tal técnica, como tentativa de suprir a falta de chuvas, é aplicada em várias localidades, como o Centro-Oeste.

  • restringiu!!!!

  • Minha contribuição.

    Tipologia Textual

    Narração: Narrar é contar uma história que envolve personagens e acontecimentos. São apresentadas ações e personagens: O que aconteceu, com quem, como, onde e quando.

    Descrição: A intenção deste tipo de texto é que o interlocutor possa criar em sua mente uma imagem do que está sendo descrito. Podemos utilizar alguns recursos auxiliares da descrição.

    Dissertação: Podemos dizer que dissertar é falar sobre algo, sobre determinado assunto; é expor (expositiva); é debater (argumentativa). Este tipo de texto apresenta a defesa de uma opinião, de um ponto de vista, predomina a apresentação detalhada de determinados temas e conhecimentos.

    Exposição: Aqueles textos que nos levam a uma explicação sobre determinado assunto, informa e esclarece sem a emissão de qualquer opinião a respeito, é um texto expositivo.

    Injunção: Os textos injuntivos são aqueles textos que nos orientam, nos ditam normas, nos instruem.

    -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

    Narração: Personagens, Enredo, Espaço...

    Descrição: Enumeração, Comparação, Retrato Verbal...

    Dissertação: Expositiva, Argumentativa, Debater...

    Injunção: Instrucional (Manuais, Receitas, Bulas...)

    Exposição: Fatos, Impessoal (Notícias Jornalísticas)

    Fonte: www.tudosobreconcursos.com

    Abraço!!!!

  • "A irrigação, de caráter suplementar às chuvas, tem sido aplicada na região Centro-Oeste do país, especialmente em culturas perenes."

    Culturas perenes são aquelas espécies vegetais cujo ciclo de vida é longo, sobrevivem por mais de um ciclo sazonal. 

    ex: laranja, manga, caju, banana

    Culturas anuais completam seu ciclo de crescimento durante um ano e precisam ser replantadas no seguinte.

    ex: arroz, milho, soja

  • ERRADO❌, MOTIVO: O objetivo do texto é ressaltar a importância da irrigação. Ele fala da região Nordeste como um exemplo. ---------------------------------------------------------------------------- "QUEM É SÁBIO PROCURA APRENDER, MAS OS TODOS ESTÃO SATISFEITOS COM A SUA IGNORÂNCIA". Autor: O homem mais sábio da humanidade: Rei Salomão.

ID
5028391
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Redação Oficial
Assuntos

Julgue o seguinte item de acordo com as prescrições constantes no Manual de Redação da Presidência da República acerca das características formais e linguísticas das correspondências oficiais.


O texto do documento oficial, padrão ofício, deve seguir a seguinte padronização de estrutura: introdução, desenvolvimento e conclusão, sendo facultativo o desenvolvimento nos casos em que há apenas encaminhamento de documentos.

Alternativas
Comentários
  • Texto do documento Dica! 

    --- > Regra: introdução/ desenvolvimento/ conclusão.  

    - -- > Exceção: introdução/ desenvolvimento (opcional)/ conclusão. [encaminhamento de documentos

    Sem encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é obrigatório.  

    Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo

  • gaba CERTO

    O texto do documento oficial deve seguir a seguinte padronização de estrutura:

    I – nos casos em que não seja usado para encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura:

    • a) introdução: em que é apresentado o objetivo da comunicação. Evite o uso das formas: Tenho a honra de, Tenho o prazer de, Cumpre-me informar que. Prefira empregar a forma direta: Informo, Solicito, Comunico;
    • b) desenvolvimento: em que o assunto é detalhado; se o texto contiver mais de uma ideia sobre o assunto, elas devem ser tratadas em parágrafos distintos, o que confere maior clareza à exposição; e
    • c) conclusão: em que é afirmada a posição sobre o assunto.

    "não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos"

    pertencelemos!

  • Regra: todo texto deve ter introdução, desenvolvimento e conclusão, exceto encaminhamento de documentos, o qual deve ter introdução e conclusão

    Logo, desenvolvimento é facultativo para encaminhamento

  • Certo

    Para os não assinantes

  • autoexplicativa essa questão

    autoexplicativo é junto tá, para você que vai fazer PC-PR fica a dica.

  • se alguém tiver um resumo maroto sobre Manual, deixa nos comentários pfv

  • Texto do documento

    • Regra: introduçãodesenvolvimentoconclusão.
    • Exceção: introduçãodesenvolvimento (opcional)/ conclusão. [Encaminhamento de Doc.]

    Desenvolvimento no Encaminhamento somente se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento

  • Gabarito Oficial: CERTO

    A banca de como gabarito CERTO, mas discordo humildemente. Eis minhas argumentações:

    De acordo com o Manual de Redação da Presidência da República, em sua 3a edição, não fica claro que a estrutura padrão do padrão ofício é introdução, desenvolvimento e conclusão. Isso é verdade somente para os documentos que não são de mero encaminhamento.

    Nos documentos de mero encaminhamento, a estrutura padrão é de introdução e desenvolvimento, sendo este facultativo.

    A seguir, a reprodução do que consta na página 30, do Manual de Redação da Presidência da República, 3a edição:

    “O texto do documento oficial deve seguir a seguinte padronização de estrutura:

    I – nos casos em que não seja usado para encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura:

    a) introdução: em que é apresentado o objetivo da comunicação. Evite o uso das formas: Tenho a honra de, Tenho o prazer de, Cumpre-me informar que. Prefira empregar a forma direta: Informo, Solicito, Comunico;

    b) desenvolvimento: em que o assunto é detalhado; se o texto contiver mais de uma ideia sobre o assunto, elas devem ser tratadas em parágrafos distintos, o que confere maior clareza à exposição; e

    c) conclusão: em que é afirmada a posição sobre o assunto.

    II – quando forem usados para encaminhamento de documentos, a estrutura é modificada:

    a) introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento. Se a remessa do documento não tiver sido solicitada, deve iniciar com a informação do motivo da comunicação, que é encaminhar, indicando a seguir os dados completos do documento encaminhado (tipo, data, origem ou signatário e assunto de que se trata) e a razão pela qual está sendo encaminhado; e

    (…)

    b) desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos”.

    Em virtude do exposto, penso que o gabarito deveria ser alterado para ERRADO.

  • O texto do documento oficial deve seguir a seguinte padronização de estrutura:

    I – nos casos em que não seja usado para encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura:

    a) introdução: em que é apresentado o objetivo da comunicação. Evite o uso das formas: Tenho a honra de, Tenho o prazer de, Cumpre-me informar que. Prefira empregar a forma direta: Informo, Solicito, Comunico;

    b) desenvolvimento: em que o assunto é detalhado; se o texto contiver mais de uma ideia sobre o assunto, elas devem ser tratadas em parágrafos distintos, o que confere maior clareza à exposição; e

    c) conclusão: em que é afirmada a posição sobre o assunto.

    II – quando forem usados para encaminhamento de documentos, a estrutura é modificada:

    a) introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento. Se a remessa do documento não tiver sido solicitada, deve iniciar com a informação do motivo da comunicação, que é encaminhar, indicando a seguir os dados completos do documento encaminhado (tipo, data, origem ou signatário e assunto de que se trata) e a razão pela qual está sendo encaminhado; e

    b) desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos.

    Fonte: Manual de Redação, 3ª edição.

  • CERTO

    Regra:

    O texto do documento oficial deve seguir a seguinte padronização de estrutura:

    I – nos casos em que não seja usado para encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura: a) introdução; b) desenvolvimento e c) conclusão.

    Exceção:

    Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo.

  • MANUAL DE REDAÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

    5.1.6 Texto do documento:

    O texto do documento oficial deve seguir a seguinte padronização de estrutura:

    I – nos casos em que não seja usado para encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura:

    a) introdução: em que é apresentado o objetivo da comunicação. Evite o uso das formas: Tenho a honra de, Tenho o prazer de, Cumpre-me informar que. Prefira empregar a forma direta: Informo, Solicito, Comunico;

    b) desenvolvimento: em que o assunto é detalhado; se o texto contiver mais de uma ideia sobre o assunto, elas devem ser tratadas em parágrafos distintos, o que confere maior clareza à exposição; e c) conclusão: em que é afirmada a posição sobre o assunto.

    II – quando forem usados para encaminhamento de documentos, a estrutura é modificada:

    a) introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento. Se a remessa do documento não tiver sido solicitada, deve iniciar com a informação do motivo da comunicação, que é encaminhar, indicando a seguir os dados completos do documento encaminhado (tipo, data, origem ou signatário e assunto de que se trata) e a razão pela qual está sendo encaminhado; e Exemplos: Em resposta ao Ofício n o 12, de 1o de fevereiro de 2018, encaminho cópia do Ofício no 34, de 3 de abril de 2018, da Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas, que trata da requisição do servidor Fulano de Tal. Encaminho, para exame e pronunciamento, cópia do Ofício no 12, de 1o de fevereiro de 2018, do Presidente da Confederação Nacional da Indústria, a respeito de projeto de modernização de técnicas agrícolas na região Nordeste.

    b) desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos.

  • De acordo com a 3ª edição (atualizada) do Manual de Redação da Presidência da República.

    Exitem dois momentos na padronização do documento oficial:

    1) NÃO encaminhamento de documento:

    -Uso obrigatório: introdução/desenvolvimento/conclusão

    2) Encaminhamento de documento:

    -Uso obrigatório: introdução

    -Facultativo: desenvolvimento

  • existe conclusão nos de mero encaminhamento?

  • Em casos de encaminhamento, não é necessário seguir a estrutura padronizada.

    Logo...

  • Gab.: CERTO!

    (CESPE 2020) O texto de um documento oficial deve seguir a estrutura padronizada de introdução, desenvolvimento e conclusão, exceto em casos de encaminhamento de documentos. (C)

  • GABARITO CERTO.

    Texto do documento

     Dica!

    --- > Regra: introdução/ desenvolvimento/ conclusão.

     --- > Exceção: introdução/ desenvolvimento(opcional)/ conclusão. [encaminhamento de documentos]

    > Sem o encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é obrigatório.

    > Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo.

    FONTE: MEUS RESUMOS.

  • Importante!

    O MRPR não prevê conclusão para documentos de encaminhamento.

    Somente Introdução e desenvolvimento (facultativo).

  • PADRÃO É IDC

    CARMINHA INTROMETIDA

    (ENCARMINHAMENTO LEMBRA DA CARMINHA > SOMENTE INTRO)dução

  • 5.1.6 Texto do documento 

    padronização de estrutura:

    I – nos casos em que não seja usado para encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura:

    a) introdução

    b) desenvolvimento

    c) conclusão

    II – quando forem usados para encaminhamento de documentos, a estrutura é modificada:

    a) introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento. Se a remessa do documento não tiver sido solicitada, deve iniciar com a informação do motivo da comunicação, que é encaminhar, indicando a seguir os dados completos do documento encaminhado (tipo, data, origem ou signatário e assunto de que se trata) e a razão pela qual está sendo encaminhado; e

    Exemplos:

    Em resposta ao Ofício n o 12, de 1o de fevereiro de 2018, encaminho cópia do Ofício no 34, de 3 de abril de 2018, da Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas, que trata da requisição do servidor Fulano de Tal.

    Encaminho, para exame e pronunciamento, cópia do Ofício no 12, de 1o de fevereiro de 2018, do Presidente da Confederação Nacional da Indústria, a respeito de projeto de modernização de técnicas agrícolas na região Nordeste.

    b) desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos.

    -Manual de Redação da Presidência da República, página 30

    (CESPE - 2020) O texto de um documento oficial deve seguir a estrutura padronizada de introdução, desenvolvimento e conclusão, exceto em casos de encaminhamento de documentos. CERTO

  • CERTO

    (Regra) Introdução - Desenvolvimento - Conclusão

    (Encaminhamento de Documento) Desenvolvimento é facultativo

    • Sem encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é obrigatório.  
    • Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo
  • Gab:Certa

    Apenas nos casos em que o texto NÃO FOR DE MERO ENCAMINHAMENTO DE DOCUMENTOS será constituído de introdução, desenvolvimento e conclusão.

    > Sem o encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é obrigatório.

    Quando se tratar de MERO ENCAMINHAMENTO DE DOCUMENTOS, deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento.

    > Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo.

    sobre o assunto:

     CESPE - 2020 - MPE-CE - Técnico Ministerial

    Com base no Manual de Redação da Presidência da República, julgue o próximo item.

    O texto de um documento oficial deve seguir a estrutura padronizada de introdução, desenvolvimento e conclusão, exceto em casos de encaminhamento de documentos. Certa

    CESPE / CEBRASPE - 2013 - Telebras - Nível Superior - Conhecimentos Básicos 

    O texto de todas as comunicações que seguem o padrão ofício, como é o caso do aviso, do ofício e do memorando, deve ser constituído de três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão. Errado

     CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal 

    A menos que o expediente seja de mero encaminhamento de documentos, o texto de comunicações como aviso, ofício e memorando, que seguem o padrão ofício, deve conter três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão. Certa

  • texto do documento oficial é objetivo

    • introdução: Evite o : "Tenho a honra de" seja direto: Informo, Solicito, Comunico;
    • desenvolvimento: o assunto é detalhado, se for mais de uma ideia, parágrafos distintos
    • conclusão: em que é afirmada a posição sobre o assunto.
    • quando forem usados para ENCAMINHAMENTO de documentos, a estrutura é modificada

  • "SEDO" --- Sem Encaminhamento, Desenvolvimento Obrigatório.

    "CEDF'' --- Com Encaminhamento, Desenvolvimento Facultativo.

  • Esta é uma questão que exige do candidato conhecimento referente à estrutura do padrão ofício.

    De acordo com o manual de redação, o texto de qualquer documento oficial deve seguir a seguinte padronização de estrutura:
    - nos casos em que não for usado para mero encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura: introdução, desenvolvimento e conclusão;
    - já quando forem usados para encaminhamento de documentos, a estrutura é modificada, pois só deve conter introdução e desenvolvimento. Ainda, quanto à inserção deste no texto, ele só pode fazer parte se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha. Caso contrário, não deve haver parágrafo(s) de desenvolvimento. Ou seja, é obrigatório inserir apenas introdução.

    Com base no exposto acima, no texto do documento oficial que é utilizado apenas para encaminhamento de documento é facultativo o parágrafo do desenvolvimento. Portanto, a afirmação presente no item é correta.
    Gabarito do professor: CERTO.


  • Regra: INTRODUÇÃO + DESENCOLVIMENTO + CONCLUSÃO (macete dissertação)

    EXCEÇÃO: encaminhamento de de documentação.

  • Certo.

    A regra é → Introdução - Desenvolvimento - Conclusão.

    Sendo facultativo o desenvolvimento no ENCAMINHAMENTO de documentos.

  • Sem encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é obrigatório.  

    Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo

    SHOW!!!

  • CERTO

    Não há obrigatoriedade de parágrafos de desenvolvimento em aviso ou ofício de mero encaminhamento.

  • Perfeito, é justamente a exceção.

    Encaminhamento ---> desenvolvimento (opcional)

  • Depois da prova da PRF pessoal vindo em peso aqui né kkkkk OBS: SOU UM DESSES.

  • BOM DIA!

    Consoante ao que enseja previsto no Manual de Redação da Presidência da República:

    5.1.6 TEXTO DO DOCUMENTO

    (...)

    O texto do documento oficial deve seguir a seguinte padronização de estrutura:

    I – nos casos em que não seja usado para encaminhamento de documentos, o expediente deve conter a seguinte estrutura:

    a) introdução: em que é apresentado o objetivo da comunicação. Evite o uso das formas: Tenho a honra de, Tenho o prazer de, Cumpre-me informar que. Prefira empregar a forma direta: Informo, Solicito, Comunico;

    b) desenvolvimento: em que o assunto é detalhado; se o texto contiver mais de uma ideia sobre o assunto, elas devem ser tratadas em parágrafos distintos, o que confere maior clareza à exposição; e

    c) conclusão: em que é afirmada a posição sobre o assunto. 

    II – quando forem usados para encaminhamento de documentos, a estrutura é modificada:

    (...)

    b) desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, PODERÁ acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos.

    Muito bem, entende-se que utiliza a clássica virtude do DEPENDE. Logo sem obrigações ao remetente, vulgo autor da comunicação.

    DE GRÃO EM GRÃO A GALINHA ENCHE O BICO. TENHA CALMA QUE O SEU BICO VAI ENCHER COM A HORA DA APROVAÇÃO, ELA VAI CHEGAR!!!

  • Gabarito: Certo

    Sem o encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é obrigatório.  

    Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo. 

    Bons estudos!

    ==============

    Materiais Gratuitos: portalp7.com/materiais

    Mapas Mentais: portalp7.com/mapas

    Organize-se: portalp7.com/planilha

  • Literalidade do Manual (pág. 30):

    b) desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos.

  • Encaminha o documento?

    => NÃO... então

    ........( introdução / desenvolvimento / conclusão) = uso OBRIGATÓRIO 

    => SIM.... então

    ...... introdução = uso OBRIGATÓRIO

    .......desenvolvimento / conclusão = uso FACULTATIVO

  • Terrível!

  • Gente, CUIDADO!

    Estou vendo muitos comentários equivocados.

    No encaminhamento de documentos o manual não prevê conclusão, apenas introdução e desenvolvimento, sendo que o desenvolvimento é facultativo.

    Por esse mesmo motivo, o gabarito da questão é, no mínimo, duvidoso. Ao meu ver, deveria ser ERRADO, porque essa estrutura introdução + desenvolvimento + conclusão vale apenas para casos em que não há encaminhamento de documentos, ou seja, não é uma estrutura "padrão".

  • Gab. Certo

  • Aqui é onde o filho chora e a mãe não vê

  • CERTO.

    Quando o ofício for encaminhamento não é obrigatório ter o desenvolvimento. Mas se desejar, pode fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, tornando este o desenvolvimento.

  • quando forem usados para encaminhamento de documentos, a estrutura é modificada:

    b) desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em expediente usado para encaminhamento de documentos.

  • ASSERTIVA CORRETA.

    De acordo com o manual de redação oficial o documento citado na questão deve seguir a padronização: Introdução, desenvolvimento e conclusão.

  • Se tem, não precisa ter.

  • Revisão:

    Texto do documento Dica! 

    --- > Regra: introdução/ desenvolvimento/ conclusão.  

    - -- > Exceção: introdução/ desenvolvimento (opcional)/ conclusão. [encaminhamento de documentos

    Sem encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é obrigatório.  

    Com encaminhamento de documentos: Desenvolvimento é facultativo

  • POSITIVO!

    ESQUEMATIZANDO:

    1. DOCUMENTO QUE NÃO SEJA USADO PARA ENCAMINHAMENTO DE DOCUMENTO: deve conter introdução, desenvolvimento & conclusão.
    2. DOCUMENTO USADO PARA ENCAMINHAMENTO DE DOCUMENTO: deve conter introdução & o desenvolvimento É OPCIONAL.


ID
5028394
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Redação Oficial
Assuntos

Julgue o seguinte item de acordo com as prescrições constantes no Manual de Redação da Presidência da República acerca das características formais e linguísticas das correspondências oficiais.


O pronome Vossa Excelência deve ser utilizado para fazer referência de forma indireta a autoridades, como no seguinte exemplo: A Vossa Excelência, o Ministro de Estado da Educação.

Alternativas
Comentários
  • O pronome Sua Excelência é utilizado para se fazer referência a alguma autoridade (indiretamente).

    Usamos “Sua Excelência” para se referir a uma terceira pessoa e “Vossa Excelência” para nos referirmos diretamente à autoridade. Por isso, “sua excelência” aparecerá no endereçamento. “Vossa Excelência” aparecerá na forma de tratamento, na forma de “falar” com a autoridade.

  • Vossa excelência: diretamente

    Sua excelência: fazer referência

  • Gabarito: ERRADO

    Manual de Redação da Presidência da República

    item 4.1.1 Concordância com os pronomes de tratamento, página 24,

    "Os pronomes Vossa Excelência ou Vossa Senhoria são utilizados para se comunicar diretamente com o receptor."

    LINK PARA DOWNLOAD DO MRPR: http://ava.icmbio.gov.br/pluginfile.php/4592/mod_data/intro/Manual%20de%20Reda%C3%A7%C3%A3o%20Oficial%20Presid%C3%AAncia%20Rep%C3%BAblica.pdf

  • Sua Excelência X Vossa Excelência

    “Sua Excelência”:

    - aparece no Endereçamento;

    - usamos para se referir a uma terceira pessoa (de quem se fala);

    “Vossa Excelência”:

    - usamos para nos referirmos diretamente à autoridade (com quem se fala). - aparece na forma de tratamento, na forma de “falar” com a autoridade. 

    Perseverança!

  • NÃO VAI CAIR na PF só para avisar, porque ja caiu aqui ljkkkkkkkkkkkkk

    • Sua Excelência”:
    1. ➡Usamos para se referir a uma terceira pessoa (de quem se fala);
    2. ➡Aparece no Endereçamento;
    • VoSSa Excelência”:
    1. ➡Usamos para nos referirmos diretamente/peSSoalmente com a autoridade (com quem se fala)
    2. ➡Aparece na forma de tratamento, na forma de “falar” com a autoridade.

    Fonte: Estratégia

  • A forma indireta de tratamento é Sua Excelência. A forma direta, Vossa Excelência.

    Gabarito: ERRADO

  • Acho que com o DECRETO Nº 9.758/19, o pronome de tratamento que deve ser usado, ”, independentemente do nível hierárquico, é “SENHOR”

  • "Me deixa de fora desse seu mau sentimento, você é uma pessoa horrível, uma mistura do mal com atraso e pitadas de psicopatia. Isso não tem nada a ver com o que está sendo julgado. É um absurdo vossa excelência vir aqui fazer um comício cheio de ofensas, grosserias. Vossa excelência não consegue articular um argumento, fica procurando, já ofendeu a presidente, já ofendeu o ministro Fux, agora chegou a mim. A vida para vossa excelência é ofender as pessoas, não tem nenhuma ideia, nenhuma, nenhuma, só ofende as pessoas"

  • ERRADO.

    A forma indireta de tratamento é Sua Excelência.

    A forma direta, Vossa Excelência.

  • ERRADO!

    PRONOME DE TRATAMENTO (ATUALIZADO COM O DECRETO nº 9.758 DE 2019)

    Único pronome de tratamento utilizado na comunicação com agentes públicos federais: SENHOR

    Independentemente do nível hierárquico, da natureza do cargo ou da função ou da ocasião.

    O pronome de tratamento é flexionado para o FEMININO e para o PLURAL.

    Formas de tratamento VEDADAS (Conforme o Decreto Federal nº 9.758 de 2019):

    I - Vossa Excelência ou Excelentíssimo;

    II - Vossa Senhoria;

    III - Vossa Magnificência;

    IV - doutor;

    V - ilustre ou ilustríssimo;

    VI - digno ou digníssimo; e

    VII - respeitável.

    São vedadas ainda que abreviadas

  • Vossa = falo com a pessoa

    Sua = falo da pessoa

  • nunca mais errarei!

    Na série Brighton da netflix a Daphine sempre que se referia diretamente ao seu marido Duque o chamava de Vossa Graça

  • lembrei dos deputados conversando em plenário, se chamam de vossa excelência

  • Sua falo dela.

    Vossa com ela.

    • Sua Excelência”:
    1. ➡Usamos para se referir a uma terceira pessoa (de quem se fala);
    2. ➡Aparece no Endereçamento;
    • VoSSa Excelência”:
    1. ➡Usamos para nos referirmos diretamente/peSSoalmente com a autoridade (com quem se fala)
    2. ➡Aparece na forma de tratamento, na forma de “falar” com a autoridade.

  • GABARITO ERRADO.

    REDAÇÃO ORIGINAL

    O pronome Vossa Excelência deve ser utilizado para fazer referência de forma indireta a autoridades, como no seguinte exemplo: A Vossa Excelência, o Ministro de Estado da Educação. ERRADO.

    ------------------------------------------

    REDAÇÃO RETIFICADA.

    O pronome Vossa Excelência deve ser utilizado para fazer referência de forma DIRETA a autoridades, como no seguinte exemplo: A Vossa Excelência, o Ministro de Estado da Educação. CERTO.

    Dica!

    --- >Vossa Excelência: fala diretamente com a pessoa.

    --- > Sua Excelência: fala indiretamente da pessoa.

  • VOSSA = DIRETA.

  • --- >Vossa Excelência: fala diretamente com a pessoa.

    --- > Sua Excelência: fala indiretamente da pessoa.

  • Assertiva errada. Consoante o Manual da Presidência da República, 3a edição, revista, atualizada e ampliada, página 25:

    "O pronome Sua Excelência é utilizado para se fazer referência a alguma autoridade (indiretamente).

    Exemplo:

    A Sua Excelência o Ministro de Estado Chefe da Casa Civil (por exemplo, no endereçamento do expediente)".

  • O pronome Sua Excelência é utilizado para se fazer referência a alguma autoridade (indiretamente).

    Exemplo:

    A Sua Excelência o Ministro de Estado Chefe da Casa Civil (por exemplo, no endereçamento do expediente)

    -Manual de Redação da Presidência da República, página 25

  • gab: E

    Uma questão que responde essa:

    Prova: IDIB - 2019 - Câmara de Petrolina - PE - Agente Administrativo

    II. Os pronomes Vossa Senhoria ou Vossa Excelência são usados para se comunicar diretamente com o receptor. CERTA

  • O pronome Sua Excelência é utilizado para se fazer referência a alguma autoridade (indiretamente).

    se eu to falando dela ---> ela é SUA EXCELÊNCIA (indiretamente)

    se eu to falando com ela ----> ela é VOSSA EXCELÊNCIA (diretamente)

  • Vossa Excelência é a forma DIRETA (com quem se fala).

  • aprendi isso assistindo filme medieval... "Com vocês, Sua Majestade, o rei Fulano" (sobre quem se fala) / "Vossa Alteza aceita um chá?" (com quem se fala) kkkkkkk

  • Vossa Excelência é a forma DIRETA (com quem se fala). Com Ministro de Estado da Educação.

  • poxa, quando eu parei pra pensar nessa "indireta" aí... eu já tinha marcado responder. Nãaaoaaaoo! foi o que eu disse na hora mas já era tarde. kk

  • Esta questão exige do candidato conhecimento acerca do pronome de tratamento Vossa Excelência.
    De acordo com o Manual de Redação da Presidência da República, os pronomes Vossa Excelência ou Vossa Senhoria são utilizados para se comunicar diretamente com o receptor. O pronome que deve ser utilizado para  fazer referência a alguma autoridade indiretamente é Sua Excelência.
    Com base nessa informação, identificamos que o pronome que deve ser utilizado para fazer referência de forma indireta a autoridades é Sua Excelência e, portanto, a afirmativa presente neste item é incorreta.

    Gabarito do professor: ERRADO.


  • Lembro-me sempre dos políticos se xingando. "Vossa excelência é um ladrão" kkkkkkkkkkkkkk

  • ERRADO

    Vossa Excelência substitui o "você"

    VOCÊ - VO CÊ - VO CÊCELÊNCIA - VOSSA EXCELÊNCIA

    Quando se faz referência a alguém indiretamente:

    "Ao fulano de tal..." ---- "A SUA Excelência"

  • Solicitem o comentário do Professor para esta questão

  • Sua Excelência = indireta

    Vossa Excelência = Direta

  • Vossa Excelência: Fala com a pessoa (Tratamento direto)

    Sua Excelência: Fala da pessoa (Tratamento indireto).

  • Olha, acho que os comentarios estao equivocados.....houve mudanca no manual da redacao oficial. Queria ver um comentario de professor.

  • Vossa Excelência = direta

    Sua Excelência = indireta

  • Na questão dis: de forma indireta, ou seja , o oposto de forma direta. Por esse motivo, está errada.

    Vossa Excelência = forma direta

    Sua Excelência = forma indireta.

  • Eu não gostei da SUA INDIRETA.

  • Vossa Excelência = forma direta

    Sua Excelência = forma indireta

  • A Vossa Excelência: fala diretamente com a pessoa – é ele a excelência     

    A Sua Excelência: fala indiretamente da pessoa – é dele a excelência.

    #4passos.

    #CFP2021

  • Forma direta > Vossa Excelência

    Forma indireta > Sua Excelência

  • VoSSA: PeSSoalmente → Ou seja, de forma direta

  • Direto ao ponto

    O pronome Vossa Excelência deve ser utilizado para fazer referência de forma indireta (DIRETA) a autoridades, como no seguinte exemplo: A Vossa Excelência, o Ministro de Estado da Educação.

    GABARITO: ERRADO

  • E agora como fica? Com a atualização do pronome de tratamento, através do DC 9758/19, a única forma de tratamento é Senhor/Senhora:

    Pronome de tratamento adequado

    Art. 2º O único pronome de tratamento utilizado na comunicação com agentes públicos federais é “senhor”, independentemente do nível hierárquico, da natureza do cargo ou da função ou da ocasião.

    Parágrafo único.  O pronome de tratamento é flexionado para o feminino e para o plural.

    Formas de tratamento vedadas

    Art. 3º  É vedado na comunicação com agentes públicos federais o uso das formas de tratamento, ainda que abreviadas:

    I - Vossa Excelência ou Excelentíssimo;

    II - Vossa Senhoria;

    III - Vossa Magnificência;

    IV - doutor;

    V - ilustre ou ilustríssimo;

    VI - digno ou digníssimo; e

    VII - respeitável.

    § 1º  O agente público federal que exigir o uso dos pronomes de tratamento de que trata o caput , mediante invocação de normas especiais referentes ao cargo ou carreira, deverá tratar o interlocutor do mesmo modo.

    § 2º  É vedado negar a realização de ato administrativo ou admoestar o interlocutor nos autos do expediente caso haja erro na forma de tratamento empregada.

    Eu sei que nessa questão, mesmo levando em consideração as regras anteriores, a assertiva estaria errada, conforme os comentários dos colegas. Mas devemos responder de acordo com o Manual (cujos pronomes de tratamento estão obsoletos) ou com o novo decreto?

  • chamar um politico de vossa excelência realmente era incabível, deveria ser vossa corruptência, prepotência, vigarigência, etc...

  • É só lembrar que '' Sua '' é sempre um fuxico.

  • Vossa excelência: diretamente

    Sua excelência: fazer referência

  • http://www4.planalto.gov.br/centrodeestudos/assuntos/manual-de-redacao-da-presidencia-da-republica/manual-de-redacao.pdf

  • ENDEREÇAMENTO: A SUA EXCELÊNCIA O SENHOR ......

    TRATAMENTO NO CORPO DO TEXTO: VOSSA EXCELÊNCIA ....

  • Vossa Excelência – fala COM a pessoa. (Falo com Você).

    Sua Excelência – fala DA pessoa. (Falo Sobre você).

  • Sua Excelência -> indiretamente

    Vossa Excelência -> diretamente

  • A questão está errada.

    Para fazer referência de forma indireta a autoridades usa o pronome sua excelência.

  • Decreto 9.758/19, a única forma de tratamento é Senhor/Senhora
  • ERRADO

    Sua Excelência - falo Sobre você (forma indireta)

    Vossa Excelência - falo com Você (forma direta)

  • Gabarito: Errado

    Vossa Excelência: fala diretamente com a pessoa.

    Sua Excelência: fala indiretamente da pessoa.

    Bons estudos!

    ==============

    Materiais Gratuitos: portalp7.com/materiais

    Mapas Mentais: portalp7.com/mapas

    Organize-se: portalp7.com/planilha

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Me diz uma coisa, esta fazendo só questões e esta esquecendo de treinar para a REDAÇÃO!?

    Por que não adianta de nada passar na prova objetiva e reprova na redação, se isso acontece contigo vai ser um trauma para o resto da vida.

    Pensando nisso deixo aqui minha indicação de um curso de redação que tem me ajudado muito na preparação, quem tiver interesse em melhorar na discursiva é uma boa opção.

    Link do site: https://go.hotmart.com/D49209586D

  • gente,também é proibido usar artigo antes de pronome de tratamento.(exceto senhor, senhora e senhorita)

  • Gabarito: errado

    Página 24 do MRPR:

    "Os pronomes Vossa Excelência ou Vossa Senhoria sao utilizados para se comunicar DIRETAMENTE com o receptor."

    DICA!

    • VOSSA: comunicação DIRETA com o receptor;
    • SUA: referência a alguma autoridade (indiretamente).
  • Gabarito: E

    Diretamente a quem se fala (falando com a pessoa): Vossa Excelência.

    Indiretamente a quem se fala (falando da pessoa): Sua Excelência.

  • Os pronomes Vossa Excelência ou Vossa Senhoria são utilizados para se comunicar diretamente com o receptor.

    Exemplo: Vossa Senhoria designará o assessor.

    O pronome Sua Excelência é utilizado para se fazer referência a alguma autoridade (indiretamente).

    Exemplo: A Sua Excelência o Ministro de Estado Chefe da Casa Civil (por exemplo, no endereçamento do expediente)

  • Forma direta: Vossa Excelência

    Forma indireta: Sua Excelência

  • Vossa Excelência – fala COM a pessoa. (Falo com Você).

    Sua Excelência – fala DA pessoa. (Falo Sobre você).

  • Vossa pessoa = estou falando com Vc ( direto ao ponto)

    Sua pessoa = estou falando de Sua pessoa ( indiretamente)

  • GAB.ERRADO

    VOSSA X SUA :

    FORMA DIRETA

    VOSSA:Tratamento direto! Falando com a autoridade peSSoalmente.

    Ex: Vossa Excelência deseja algo?

    Por correspondência.:

    Forma Indireta

    Ex: Solicitamos a Vossa Excelência...

    SuA:a autoridade é asSUnto do ato comunicativo.

    Ex: Informamos a vossa senhoria que na próxima semana, sua excelência o Ministro Barroso visitará o órgão...

  • Quando se fizer referência (indireta) a alguma autoridade, a forma adequada é Sua Excelência, como em um endereçamento do expediente:

    “A Sua Excelência o Ministro de Estado Chefe da Casa Civil”

  • Revisão:

    ERRADO

    O pronome Sua Excelência é utilizado para se fazer referência a alguma autoridade (indiretamente).

    se eu estou falando dela ---> ela é SUA EXCELÊNCIA (indiretamente)

    se eu estou falando com ela ----> ela é VOSSA EXCELÊNCIA (diretamente)

    _______________________

    • Sua Excelência”:
    1. ➡Usamos para se referir a uma terceira pessoa (de quem se fala);
    2. ➡Aparece no Endereçamento;
    • VoSSa Excelência”:
    1. ➡Usamos para nos referirmos diretamente/peSSoalmente com a autoridade (com quem se fala)
    2. ➡Aparece na forma de tratamento, na forma de “falar” com a autoridade.

  • ERRADA!

    A forma indireta ➡ Sua Excelência.

    A forma direta ➡ Vossa Excelência.

  • Para facilitar o entendimento quando utilizamos - VOSSA = você ( porém como é autoridade utilizamos o VOSSA, que é diretamente) e o SUA quando falamos com um terceiro sobre a autoridade( indiretamente)

  • Gabarito: ERRADO.

    # Os pronomes Vossa Excelência ou Vossa Senhoria são utilizados para se comunicar diretamente com o receptor.

    # O pronome que deve ser utilizado para fazer referência a alguma autoridade indiretamente é Sua Excelência.

    # O pronome que deve ser utilizado para fazer referência de forma indireta a autoridades é Sua Excelência e, portanto, a afirmativa presente neste item é incorreta.

    Gabarito do professor: ERRADO.

    Autor: Dayanna Menezes, Graduada em letras na UEPB, Pós-graduada em leitura, análise e produção de texto na UnB e Mestre em Linguística na UERJ. Corretora de redação da banca CESPE/UNB e do ENEM., de Português, Redação Oficial, Secretariado

    Bons Estudos!


ID
5028397
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Redação Oficial
Assuntos

Julgue o seguinte item de acordo com as prescrições constantes no Manual de Redação da Presidência da República acerca das características formais e linguísticas das correspondências oficiais.


A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, podendo, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais ser tratados tanto de forma pessoal quanto impessoal.

Alternativas
Comentários
  • CARACTERÍSTICA DA REDAÇÃO OFICIAL: I M P E S S O A L I D A D E.

    Na redação oficial não há lugar para impressões pessoais, ela deve ser isenta da interferência da individualidade de quem a elabora.

    autor : Agnaldo Martino - Português esquematizado.

  • gaba ERRADO

    A redação oficial deve caracterizar-se por:

    • clareza e precisão;
    • objetividade;
    • concisão;
    • coesão e coerência;
    • impessoalidade;
    • formalidade e padronização; e
    • uso da norma padrão da língua portuguesa

    PERTENCELEMOS!

  • GAB E

    As comunicações administrativas devem ser sempre formais, isto é, obedecer a certas regras de forma (BRASIL, 2015a).

    Isso é válido tanto para as comunicações feitas em meio eletrônico (por exemplo, o e-mail , o documento gerado no SEI!, o documento em html etc.),quanto para os eventuais documentos impressos.

    PDF FOCUS

  • Somente de forma IMPESSOAL

  • Somente de forma impessoal, ou seja, em nome do serviço publico.

  • GABARITO: ERRADO

    Manual de Redação da Presidência da República

    3.5 Impessoalidade, página 20.

    "A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos. Sendo assim, os assuntos objetos dos expedientes oficiais não devem ser tratados de outra forma que não a estritamente impessoal."

    fonte: MRPR http://ava.icmbio.gov.br/pluginfile.php/4592/mod_data/intro/Manual%20de%20Re

    da%C3%A7%C3%A3o%20Oficial%20Presid%C3%AAncia%20Rep%C3%BAblica.pdf

  • ATRIBUTOS DA REDAÇÃO OFICIAL

    Por sua natureza pública e por decorrência dos princípios constitucionais, a Redação Oficial deve caracterizar-se por:

    ✓ clareza e precisão;

    ✓ objetividade;

    ✓ concisão;

    ✓ coesão e coerência;

    ✓ impessoalidade;

    ✓ formalidade e padronização; e

    ✓ uso da norma padrão. 

    Perseverança!

  • IMPESSOALIDADE nas comunicações oficiais:

    • Impessoalidade do Emissor: Ausência de impressões individuais, a comunicação é sempre feita em nome do serviço público

    • Impessoalidade do Receptor: Deve ser tratado de modo impessoal, como parte de um órgão ou como público (no caso de comunicação direcionada a cidadãos).

    • Impessoalidade do Assunto: Sempre assuntos de interesse público, afetos ao serviço público;

    Não cabe aqui tratar de assuntos de interesse pessoal do servidor.

  • De forma alguma pode haver impressões pessoais no conteúdo de um correspondência oficial. Esta deve ser impessoal.

    Gabarito: ERRADO

  • ❌Errada

    Características da Redação Oficial = Impessoal, uso do padrão culto de linguagem, concisão, formalidade, uniformidade.

    A questão erra ao falar de PESSOALIDADE.

  • ERRADO

    Como quem fala é sempre o serviço público, a impessoalidade deve se fazer presente.

  • IMPESSOALIDADE

    O tratamento impessoal nas comunicações oficiais decorre, principalmente, do fato de o comunicador ser o serviço público.

    • Agente comunicador único: serviço público

    • EMISSOR: não deve apresentar impressões subjetivas sobre o que comunica

    • DESTINATÁRIO: deve receber tratamento homogêneo

    • ASSUNTO: deve ser de interesse público

    OBS: Uso da primeira pessoa (singular ou plural): não fere a impessoalidade

    Prof.ª: Tereza Cavalcanti

  • GABARITO ERRADO.

    REDAÇÃO ORIGINAL.

    A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, podendo, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais ser tratados tanto de forma pessoal quanto impessoal. ERRADA.

    --------------------------------------

    REDAÇÃO RETIFICADA.

    A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, podendo, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais ser tratados EXCLUSIVAMENTE DE FORMA IMPESSOAL.  CERTO.

    --------------------------------------

    Impessoalidade

    * A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos.

    > Os assuntos objetos dos expedientes oficiais não devem ser tratados de outra forma que não a estritamente impessoal.

  • ERRADO.

    De forma alguma pode haver impressões pessoais no conteúdo de um correspondência oficial. Esta deve ser impessoal.

  • A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, podendo, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais ser tratados tanto de forma pessoal quanto impessoal.

    A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais devem ser tratados de maneira impessoal.

  • Gabarito Errado

     Características Redação Oficial:

    Impessoalidade;

    Concisão;

    Clareza;

    Formalidade;

    Uso do padrão culto de linguagem.

    NÃO PODENDO

    usar regionalismo;

    texto rebuscado;

    gírias;

    linguagem técnica excessiva;

    linguagem específica para redação oficial.

    *O estrangeirismo Deve ser evitado, mas não é vedado.

    *O uso de jargão técnico deve ser evitadomas não é vedado.

    *Regionalismos e neologismos não devem ser utilizados.

    *Não deve haver abuso no uso de negrito, itálico, sublinhado, letras maiúsculas, sombreado, sombra, relevo, bordas ou qualquer outra forma de formatação que afete a elegância e a sobriedade do documento.

    *Não existe propriamente um “padrão oficial de linguagem”, o que existe é o uso do “padrão culto” nos atos de comunicação oficial.

    Bons Estudos!

    ''Confie no Senhor de todo o seu coração.'' Provérbios 3:5

  • A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, podendo, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais ser tratados tanto de forma pessoal quanto impessoal.

  • A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais devem ser tratados de maneira impessoal. e não PESSOAL

  • Esta questão exige do candidato conhecimento acerca das características formais das correspondências oficiais.
    De acordo com o atributo da impessoalidade, o tratamento impessoal que deve ser dado aos assuntos que constam das comunicações oficiais decorre: da ausência de impressões individuais de quem comunica; da impessoalidade de quem recebe a comunicação; e do caráter impessoal do próprio assunto tratado. Isso ocorre porque a redação oficial deve ser elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos. Nesse sentido, os assuntos objetos dos expedientes oficiais não devem ser tratados de outra forma que não a estritamente impessoal. Ou seja, não há a possibilidade dos assuntos que constam nas comunicações oficias serem pessoais e, portanto, a afirmação presente neste item é incorreta

    Gabarito do professor: ERRADO.


  • Impessoalidade, sempre que tratar-se de Serviços Públicos. Em obediência ao art. 37 da Constituição da República.

  • Impessoal

  • deve além de tudo obedecer a LIMPE do art. 37 da constituição.

  • Nunca de forma pessoal!

  • GABARITO ERRADO.

    cabe lembrar que a redação oficial não é impermeável(aceita) atualizações da linguagem desde que siga os padrões ja mencionados aos colegas. Portanto a questão que disser que é uma comunicação engessada, sem direito a novos ditames é errada a linguagem acompanha a evolução social, mas desde que dentro das premissas mencionadas.

  • Gabarito: Errado

    A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, podendo, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais ser tratados tanto de forma pessoal quanto impessoal.

    A redação oficial deve ser caracterizada por: clareza e precisão, objetividade, concisão, coesão e coerência, impessoalidade, formalidade e padronização e uso da norma padrão da língua portuguesa.

    Bons estudos!

    ==============

    Materiais Gratuitos: portalp7.com/materiais

    Mapas Mentais: portalp7.com/mapas

    Organize-se: portalp7.com/planilha

  • EAI CONCURSEIRO!!!

    Me diz uma coisa, esta fazendo só questões e esta esquecendo de treinar para a REDAÇÃO!?

    Por que não adianta de nada passar na prova objetiva e reprova na redação, se isso acontece contigo vai ser um trauma para o resto da vida.

    Pensando nisso deixo aqui minha indicação de um curso de redação que tem me ajudado muito na preparação, quem tiver interesse em melhorar na discursiva é uma boa opção.

    Link do site: https://go.hotmart.com/D49209586D

  • Gabarito: Errado

    A questao trata do atributo da IMPESSOALIDADE.

    O MRPR trata sobre esse assunto na página 20:

    "A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos. Sendo assim, os assuntos objetos dos expedientes oficias não devem ser tratados de outra forma que nao a estritamente impessoal."

  • (CESPE - PRF - 2021) Entre as características da redação oficial incluem-se a objetividade, impessoalidade e a informatividade. ERRADO

  • A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos. Sendo assim, os assuntos objetos dos expedientes oficiais não devem ser tratados de outra forma que não a estritamente impessoal.

  • APENAS IMPESSOAL.

  • QUESTÃO ERRADA!

    Os assuntos da redação oficial devem ser escritos de forma impessoal..

  • Revisão:

    gaba ERRADO

    A redação oficial deve caracterizar-se por:

    • clareza e precisão;
    • objetividade;
    • concisão;
    • coesão e coerência;
    • impessoalidade;
    • formalidade e padronização; e
    • uso da norma padrão da língua portuguesa.

    IMPESSOALIDADE nas comunicações oficiais:

    • Impessoalidade do Emissor: Ausência de impressões individuais, a comunicação é sempre feita em nome do serviço público
    • Impessoalidade do Receptor: Deve ser tratado de modo impessoal, como parte de um órgão ou como público (no caso de comunicação direcionada a cidadãos).
    • Impessoalidade do Assunto: Sempre assuntos de interesse público, afetos ao serviço público;

    Não cabe aqui tratar de assuntos de interesse pessoal do servidor.

    NÃO PODENDO NA REDAÇÃO OFICIAL:

    usar regionalismo;

    texto rebuscado;

    gírias;

    linguagem técnica excessiva;

    linguagem específica para redação oficial.

    *O estrangeirismo Deve ser evitado, mas não é vedado.

    *O uso de jargão técnico deve ser evitadomas não é vedado.

    *Regionalismos e neologismos não devem ser utilizados.

    *Não deve haver abuso no uso de negrito, itálico, sublinhado, letras maiúsculas, sombreado, sombra, relevo, bordas ou qualquer outra forma de formatação que afete a elegância e a sobriedade do documento.

    *Não existe propriamente um “padrão oficial de linguagem”, o que existe é o uso do “padrão culto” nos atos de comunicação oficial.

  • A redação oficial é elaborada sempre em nome do serviço público e sempre em atendimento ao interesse geral dos cidadãos, podendo, por isso, os assuntos objetos dos expedientes oficiais ser tratados tanto de forma pessoal quanto impessoal.

    • É sempre pautado no atributo da IMPESSOALIDADE;
    • A impessoalidade é um dos princípios fundamentais da administração pública, devem nortear a elaboração de atos e comunicações oficiais;
    • Evita tratamento personalista;
    • E lembre - se: não está ligada ao emprego da pessoa gramatical.

ID
5028400
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Redação Oficial
Assuntos

Julgue o seguinte item de acordo com as prescrições constantes no Manual de Redação da Presidência da República acerca das características formais e linguísticas das correspondências oficiais.


Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino, como no seguinte exemplo: Ministra de Estado.

Alternativas
Comentários
  • Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino.

    Exemplos:

    Ministra de Estado

    Secretária-Executiva interina

    Técnica Administrativa

    Coordenadora Administrativa

  • Certo

    A utilização de variação de gênero para cargos públicos, exceto às patentes militares.

    Assim, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino.

    Exs.: Ministra de Estado; Técnica-administrativa; Coordenadora Administrativa”. Tal recomendação, entretanto, não se estende às patentes militares.

  • Em homenagem à presidentA Dilma

  • Vale para Presidenta também? Porque lembro que no período Dilma houve uma polêmica a esse respeito. Só não lembro se foi uma polêmica quanto à formalidade ou se foi uma briga política

  • Só lembrei da Dilma. Pelo menos de alguma coisa ela serviu kkkkkkkkk

  • GABARITO: CERTO

    Manual de Redação da Presidência da República

    4.2.2 Signatárias do sexo feminino, página 25.

    "Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino."

    Exemplos: Ministra de Estado, Secretária-Executiva interina, Técnica Administrativa, Coordenadora Administrativa.

    EXTRA: 4.3 Grafia de cargos compostos

    Escrevem-se com hífen:

    a) cargos formados pelo adjetivo “geral”: diretor-geral, relator-geral, ouvidor-geral;

    b) postos e gradações da diplomacia: primeiro-secretário, segundo-secretário;

    c) postos da hierarquia militar: tenente-coronel, capitão-tenente;

    d) cargos que denotam hierarquia dentro de uma empresa: diretor-presidente,

    diretor-adjunto, editor-chefe, editor-assistente, sócio-gerente, diretor-executivo;

    e) cargos formados por numerais: primeiro-ministro, primeira-dama;

    f) cargos formados com os prefixos “ex” ou “vice”: ex-diretor, vice-coordenador.

    Atenção: nomes compostos com elemento de ligação preposicionado ficam sem hífen: general de exército, general de brigada, tenente-brigadeiro do ar, capitão de mar e guerra;

  • Copiando comentário da Gabriela para anotação posterior.

    1. A utilização de variação de gênero para cargos públicos, exceto às patentes militares.
    2. Assim, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino.

    Ex: Ministra de Estado; Técnica-administrativa; Coordenadora Administrativa”.

  • Lembrei da ministra Cármen Lúcia e acertei haha

  • Essa orientação veio explicitada na 3a edição do MRPR.

    Gabarito: CERTO

  • Ministre de Estade.

  • Pensei que a banca já teria adotado o vocábulo de "único gênero", a saber, "MINISTRE".

    Só o que me falta é isso virar oficial.

  • gab: C de cespe

    A identificação deve flexionar com o gênero!

    Gratidão a galera que interage com as questões, devo uma parte de meu aprendizado a vcs!

  • Lembrem da Ministra Carmem Lúcia

  • GABARTIO CERTO.

    Concordância com os pronomes de tratamento

     * Os pronomes possessivos referidos a pronomes de tratamento são sempre os da terceira pessoa.

    Exemplo:

    Vossa Senhoria designará seu substituto. CERTO.

     Vossa Senhoria designará vosso substituto. ERRADO.

    *Os adjetivos referidos a esses pronomes, o gênero gramatical deve coincidir com o sexo da pessoa a que se refere, e não com o substantivo que compõe a locução.

    Exemplos:

    > Se o interlocutor for homem: Vossa Excelência está atarefado.

    >Se o interlocutor for mulher: Vossa Excelência está atarefada.

  • C

    Exemplos:

    Ministra de Estado

    Secretária-Executiva interina

    Técnica Administrativa

    CoordenadoraAdministrativa

  • Pensei assim: A Dilma se autodenominava 'Presidenta', não é possível, deve estar errado!

    Tomei!

    kkkkkkkkkkkk

  • Mais uma:

    Prova: IDIB - 2019 - Câmara de Petrolina - PE - Agente Administrativo

    Acerca das comunicações oficiais, analise os itens abaixo: 

    I. Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino não deve ser flexionado no gênero feminino. Errado

  • Ministra Damares...rsrsr

    • Tão óbvio que assusta! enfim.. CEBRASP.

    No mais, a flexão do gênero referente ao tratamento aos cargos ocupados por mulheres é inclusive tratado por lei (12.605) na qual torna obrigatória a flexão de gênero de títulos acadêmicos e técnicos.

    Nada mais justo não é mesmo colegas? Uma vez que a totalidade é representada não só por homens! mas sim por Homens e Mulheres.

    Ref; https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/politicas-para-mulheres/arquivo/area-imprensa/ultimas_noticias/2012/04/05-04-lei-torna-obrigatoria-flexao-de-genero-em-diplomas-de-mulheres

  • Esta questão exige do candidato conhecimento acerca da flexão de gênero na identificação do signatário.
    De acordo com o Manual de Redação da Presidência da República, excluídas as comunicações assinadas pelo Presidente da República, todas as demais devem informar o signatário apresentando nome e cargo centralizados na página. No caso do cargo ser ocupado por pessoa do sexo feminino, é preciso flexioná-lo no gênero feminino. Sendo assim, verificamos que a afirmação presente neste item é correta.

    Gabarito do professor: CERTO.

  • Ministre de Estade.

  • Se for oficial das forças armadas.... Tenenta, Coronela.

    zoas

  • 4.2.2 Signatárias do sexo feminino

    Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no

    gênero feminino.

    Exemplos:

    Ministra de Estado

    Secretária-Executiva interina

    Técnica Administrativa

    Coordenadora Administrativa

    Pag 25, Manual de Redação da PR

  • Galera, há oito semanas, comecei utilizar os MAPAS MENTAIS PARA CARREIRAS POLICIAIS, e o resultado está sendo imediato e absurdo, pois nosso cérebro tem mais facilidade em associar padrões, figuras e cores.

    Estou mais organizado e compreendendo grandes quantidades de informações;

    Retendo pelo menos 85% de tudo que estudo;

    E realmente aumentou minha capacidade de memorização e concentração;

     

    Obs.: Alguns mapas mentais estão gratuitos o que já permite entender essa metodologia.

    Mapas mentais no link da bio do instagram: @veia.policial

    “FAÇA DIFERENTE”

    SEREMOS APROVADOS EM 2021!

  • Quando a signatária (isto é, quem recebe o documento) for do sexo feminino, o cargo ocupado deve ser flexionado neste mesmo gênero (gramatical): Ministra de Estado Secretária-Executiva interina Técnica Administrativa Coordenadora Administrativa.

    gab. C

  • Quando a signatária (isto é, quem recebe o documento) for do sexo feminino, o cargo ocupado deve ser flexionado neste mesmo gênero (gramatical): Ministra de Estado Secretária-Executiva interina Técnica Administrativa Coordenadora Administrativa.

    gab. C

  • Quando a signatária (isto é, quem recebe o documento) for do sexo feminino, o cargo ocupado deve ser flexionado neste mesmo gênero (gramatical): Ministra de Estado Secretária-Executiva interina Técnica Administrativa Coordenadora Administrativa.

    gab. C

  • GAB. CERTO

    Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino. Exemplos:

    • Ministra de Estado
    • Secretária-Executiva interina
    • Técnica Administrativa
    • Coordenadora Administrativa 

    Fala galera, vocês sabem que a REDAÇÃO REPROVA também né? Se você está desesperado e pensando em contar com a sorte, então você precisa do PROJETO DESESPERADOS. Esse curso é completo com temas, esqueleto, redações prontas, resumos em áudio, tudo em um só lugar. Ele MUDOU O JOGO para mim: https://go.hotmart.com/D52291915G

  • 4.2.2 Signatárias do sexo feminino Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino. Exemplos: Ministra de Estado Secretária-Executiva interina Técnica Administrativa Coordenadora Administrativa

    http://www4.planalto.gov.br/centrodeestudos/assuntos/manual-de-redacao-da-presidencia-da-republica/manual-de-redacao.pdf

  • Ministrx haha

  • eu vim aqui só pra comentar que a PRF teve EXATAMENTE A MESMA QUESTÃO.

  • é Presidenta

  • O próximo virá Ministre de Estade

  • Gabarito: Certo

    Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino.

    Exemplo: Ministra de Estado

    Bons estudos!

    ==============

    Materiais Gratuitos: portalp7.com/materiais

    Mapas Mentais: portalp7.com/mapas

    Organize-se: portalp7.com/planilha

  • Gabarito: Certo

    Página 25 do Manual de Redação da Presidência da República:

    "Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino."

  • (CESPE - PRF - 2021) Na identificação do signatário de uma comunicação oficial destinada a uma pessoa do sexo feminino, dispensa-se flexão de gênero no nome do cargo. ERRADO

  • Onde está no manual que Presidente não flexiona? A professora comentou que não pode, mas queria confirmar.

  • Errei porque pensei que era opcional nos cargos.

  • Assertiva Correta.

    De acordo com Manual de redação oficial quando o cargo é ocupado por pessoa do sexo feminino, é preciso flexioná-lo no gênero feminino.

  • Revisão:

    GABA CERTO

    Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino. Exemplos:

    • Ministra de Estado
    • Secretária-Executiva interina
    • Técnica Administrativa
    • Coordenadora Administrativa 

  • Positivo!

    Deve ser flexionado no gênero feminino.

    Outros exemplos:

    • ExecutivA internA;
    • TécnicA administrativA.

ID
5028403
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Legislação Federal
Assuntos

Considerando a ética na administração pública e a legislação pertinente, julgue o item a seguir.


O Conselho Fiscal, o Comitê de Auditoria Estatutário e a Auditoria Interna são órgãos de fiscalização da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF), que é empresa pública constituída sob a forma de sociedade anônima.

Alternativas
Comentários
  • Conforme o Art. 1º do Estatuto Social, a CODEVASF é uma empresa pública, constituída sob a forma de sociedade anônima de capital fechado, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

    O erro da questão foi afirmar que a Auditoria Interna é um órgão de fiscalização.


ID
5028406
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Legislação Federal
Assuntos

Considerando a ética na administração pública e a legislação pertinente, julgue o item a seguir.


Se uma pessoa propuser ação judicial contra ato da Diretoria Executiva da CODEVASF, a companhia deverá assegurar aos seus integrantes a defesa judicial, por meio da assessoria jurídica ou por advogado especialmente contratado, desde que não haja incompatibilidade desse ato com seus interesses.

Alternativas
Comentários
  • Gabarito correto.

    A finalidade será sempre o interesse público em detrimento do particular. Portanto, desde que ele tenha agido de acordo com a sua competência, a Administração pública dará suporte a este.

    #ORGULHODEPERTENCER


ID
5028409
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Legislação Federal
Assuntos

Considerando a ética na administração pública e a legislação pertinente, julgue o item a seguir.


Violará o Código de Conduta Ética e Integridade da CODEVASF o agente público com poder de direção nessa companhia que nomear um primo para exercer função de confiança na mesma unidade orgânica que a dele, para ser responsável por realizar procedimentos licitatórios.

Alternativas
Comentários
  • Nepotismo até 3ºgrau.

  • PRIMO É PARENTE DE 4º GRAU

  • GABARITO: E

    Súmula Vinculante 13 - A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal.

  • Pai / Avo / Tio / Primo


ID
5028412
Banca
CESPE / CEBRASPE
Órgão
CODEVASF
Ano
2021
Provas
Disciplina
Direito Administrativo
Assuntos

Considerando a ética na administração pública e a legislação pertinente, julgue o item a seguir.


Se a CODEVASF realizar um procedimento licitatório para aquisição de determinado produto e dois licitantes apresentarem duas propostas com o mesmo valor, um dos critérios que poderá ser utilizado para o desempate será o sorteio.